Pular para o conteúdo principal

Transtornos mentais no Brasil assumem proporção de uma pandemia

Antes do coronavírus, o Brasil já tinha o primeiro lugar em prevalência de ansiosos e o terceiro lugar em depressivos


Jornal da USP

O aumento no número de brasileiros com transtornos mentais revela uma segunda pandemia vivida pela população. Segundo o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), o total de óbitos no país por lesões autoprovocadas dobrou nos últimos 20 anos, passando de 7 mil para 14 mil. A duplicação neste número de mortes no pós-pandemia levanta preocupações com a condição psicológica dos brasileiros.

O índice de deprimidos e ansiosos, que era elevado antes do alastramento da Covid-19, cresceu ainda mais após a emergência sanitária. 

“Antes da pandemia, o Brasil tinha o primeiro lugar em prevalência dos transtornos ansiosos e o terceiro lugar em transtornos depressivos” comenta Vanessa Favaro, psiquiatra e diretora dos Ambulatórios do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. 

Apesar de serem quadros distintos, a presença da depressão associada à ansiedade é apontada como comum, apesar de não ser regra.

O isolamento durante a pandemia da covid-19 também teve impactos diretos na vida dos brasileiros. Para a psiquiatra, nesse período “passamos por muitos fatores estressantes: pessoas que tiveram perdas de familiares pela covid, pessoas que perderam empregos”. 

As consequências indiretas, como a falta de socialização de crianças e idosos também, prejudicaram o desenvolvimento mental de uma ampla gama de pessoas. Assim, surgem alterações comportamentais que seguem um caminho de normalização pela pessoa, como sintomas de insônia, irritabilidade, sensação de fadiga, desinteresse e falta de perspectiva.

PREVENÇÃO

Mesmo diante de estigmas, Vanessa sinaliza que a busca inicial por ajuda externa, medicamentos ou profissionais de saúde são fundamentais para a saúde do indivíduo.

“Eu acho que buscar essa informação permitirá que você entenda o ponto em que está, e se precisa de ajuda”, recomenda a professora. 

“Os transtornos psicológicos atingem todos os grupos de pessoas, de diferentes faixas etárias, gêneros e condições socioeconômicas.”

O tratamento das comorbidades mentais busca fortalecer mecanismos fragilizados pelo paciente, de modo que o agravamento seja contido. 

O SUS disponibiliza as consultas por teleatendimento, no qual a psicoterapia ocorre por ferramentas on-line. A psiquiatra indica que “hoje em dia é possível buscar o teleatendimento. Ele já foi, inclusive, muito testado durante a pandemia e funciona bem”, observa Vanessa Favaro.


> Com informação da Datasul e vídeo da Folha.

O CVV É UM SERVIÇO DE PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.
 TEL: 188. Atende também por e-mail e on-line



Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

Em 2022, no Rio, jovens e brancos foram maioria dos casos da varíola dos macacos

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Por que Jesus é retratado com um tanquinho? Esse messias reflete os valores cristãos de masculinidade

Britney Spears entra na lista de famosos que não acreditam em Deus

Atentados e corte de verba pública colocam as Testemunhas de Jeová em crise

Sam Harris: não é Israel que explica as inclinações genocidas do Hamas. É a doutrina islâmica

Por que Câmara só tem símbolo do cristianismo? Vereadora defende representação do Exu