Jovem morre em tumulto em templo da Universal em São Tome e Príncipe

Cerca de 400 pessoas
 tentaram invadir o templo
 e depois atearam fogo

Um jovem morreu nesta quarta-feira, 16 de outubro de 2019, em um tumulto defronte à sede da Igreja Universal em São Tomé e Príncipe, na cidade de São Tomé, capital.

Cerca de 400 pessoas tentaram invadir o templo em protesto contra a Universal que mandou prender o pastor são-tomense Uidimilo Veloso, com atuação de 14 anos na Costa do Marfim, por ele ter criticado a igreja no Facebook.

O jovem foi morto por uma bala da polícia quando os manifestantes atearam fogo no templo e em viaturas.

O site Voa, de notícias da África, informou que outros templos da Universal foram atacados.

No dia 14 de outubro de 2019, a Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe deu ultimato de oito dias à Universal para que repatriasse Veloso.

A igreja já mandou de volta para São Tomé a mulher do pastor.

Grávida, ela disse que o descontentamento da Universal com seu marido se agravou porque ele se recusou a se submeter a uma vasectomia.

O site África21 informou que o presidente da Assembleia, Delfim Neves, está negociando um acordo com a igreja, tendo como intermédio um deputado federal do Brasil, mas não citou o nome.

O bispo Ranger da Silva disse que a Universal não registrou queixa contra o pastor, mas sim em relação a um perfil falso em nome do religioso.

Ele não explicou por que Uidimilo continua detido na Costa do Marfim.

A Assembleia acusa a igreja brasileira de desrespeitar os direitos humanos e ameaça expulsá-la do país.



 Com informação de sites Voa, E-Global, Rádio Observador, África21 e outras fontes, com foto de reprodução de rede social.



Universal cresce na África com promessas de prosperidade

Em Moçambique, Universal é chamada de 'Igreja dos Ladrões'

Igreja Universal abre templo até em aldeia africana

Lula ajudou a Universal a se expandir na África, diz Crivella




Comentários