Padre Quevedo, do bordão ‘isso non ecziste’, morre aos 88 anos

O padre Quevedo morreu hoje (9 de janeiro de 2019) de problemas cardíacos aos 88 anos.

O jesuíta Oscar González Quevedo começou a ficar famoso nos anos 1970 por questionar truques de espíritas, como Zé Arigó, João de Deus e Thomas Green Morton.

Em 2000, de janeiro a maio, ele apresentou no Fantástico o quadro “O Caçador de Enigmas”, analisando fenômenos supostamente espirituais usados por charlatões para explorar pessoas.


Ele terminava o quadro com a mesma frase: ‘Isso non ecziste’.

Nascido na Espanha, o padre falava com sotaque.

Um programa [vídeo abaixo] do Fantástico mostra Quevedo enfrentando um homem possuído por Lúcifer, sensacionalismo que garantia audiência à Globo e fama ao padre.

Formado em teologia, filosofia e psicologia, Quevedo nunca questionou um milagre católico.

Hoje em dia o quadro não iria ao ar porque seria acusado de intolerância religiosa.

O bordão ‘isso non ecziste’ ainda é usado em determinados círculos, como o de ateus, para se referirem a Deus.
´

Com informação de “O Globo”



Aviso de novo post por e-mail

Gay denuncia Edir Macedo pela prática de charlatanismo

Rússia veta meios de comunicação aos charlatões espirituais

Tanzânia lidera matança de albinos para feitiçaria




Só o ensino de ciência detém a exploração da fé, afirma Drauzio Varella


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

Postar um comentário

-------- Busca neste site