Bolsonaro retira população LGBTs das diretrizes de Direitos Humanos

Assinada hoje (2 de janeiro de 2019) pelo presidente Bolsonaro, a Medida Provisória que explicita a estrutura do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, não inclui a população LGBTs.

Homossexuais estão
fora das diretrizes do
Governo dos direitos humanos

Tendo a pastora Damares Alves como titular, o Ministério incluiu em seus objetivos só “as mulheres, crianças e adolescentes, população negra, minorias étnicas e sociais e índios”.

As referências aos direitos das pessoas LGBTs que constavam em outros ministérios e nas secretarias especiais da Presidência até o Governo Temer foram retiradas.

O Governo Bolsonaro vai tentar ignorar a pauta LGBTs ou colocando-a em segundo ou em terceiro plano, na Secretaria Nacional de Proteção Global e Secretaria Nacional da Família.

Com informações do Correio Braziliense.



Aviso de novo post por e-mail

Pregação antigay de pastor a não fiéis é fascismo, diz Varella

Políticos adotam pregação de pastores, e Estado laico tende a desaparecer

Estado laico deve proteger todo tipo de família, diz advogado




Não há diferença entre Damares e fundamentalistas islâmicos, diz sociólogo


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários