Jornalista Camarotti se comporta como se fosse coroinha do papa

[opinião]

O jornalista Gerson Camarotti (foto abaixo) tem méritos, como o de conseguir a atenção dos telespectadores da Globo News horas a fio, se preciso, sem dizer nada de novo.

É compreensível. Um canal 24 horas de notícias é redundante por sua natureza, porque não há furos ou informação nova o tempo todo, mesmo na conturbada realidade brasileira.

Se não fosse o Camarotti a dizer mais do mesmo seria outro jornalista a fazê-lo, como às vezes, aliás, ocorre.

Talvez, admito, o problema seja o meu, o de assistir demais a Globo News.

Já o problema de Camarotti é quando ele deixa de ser jornalista e se assume como porta-voz oficioso do papa Francisco.


A Igreja Católica está passando por uma profunda crise, com uma debandada geral de fiéis em países desenvolvidos por causa principalmente de padres e bispos pedófilos e do avanço da secularização.

Dentro do Vaticano, há uma guerra entre conservadores e progressistas, estes como apoiadores de Francisco, e sobram acusações de acobertamento de abuso sexual de criancinhas para boa parte deles, indistintamente.

Aqui perto, no Chile, toda a cúpula da Igreja é suspeita de acobertar predadores sexuais, algo grave, gravíssimo.

No Brasil, as igrejas evangélicas crescem, enquanto a CNBB se envolve em política partidária.

E Camarotti paira sobre isso tudo, como um zepelim, sem se aprofundar em nada.

O jornalista comporta-se como um coroinha de Francisco, derramando-se em elogios ao “papa que está mudando a Igreja”.

Os Marinhos, donos do Grupo Globo e católicos praticantes, devem dizer coisa do tipo: “Esse é o nosso garoto!".

Religião é um tabu na imprensa brasileira, embora o assunto seja de interesse geral e tenha profundas implicações na política e na administração do país.

É por isso e outras coisas que o Estado laico brasileiro não é levado a sério sequer por instâncias judiciais.

Camarotti tem direito, claro, de expor o seu fervor religioso e sua devoção a Francisco.

Mas isso não deveria ser apresentado como jornalismo.

Isenção jornalística
 nem com milagre

Com foto de divulgação.


Aviso de novo post por e-mail

Não, papa Francisco, Corão não é da paz porque prega o ódio

Sim, papa Francisco, o Inferno não existe. E o Paraíso também não

Papa diz que mulheres devem ser pacientes com maridos infiéis




Pedofilia pode levar a Justiça do Chile a intimar o papa Francisco

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site