Pular para o conteúdo principal

Vídeo mostra picada de cascavel em pastor de 'igreja das serpentes'


Sangue na camisa
 por causa da
 picada da serpente
 perto da orelha

[notícia]

Cody Coots, pastor de uma congregação norte-americana que usa répteis venenosos em suas cerimônias, teve de ser hospitalizado às pressas depois que de uma cascavel o mordeu durante um culto.

O incidente, cuja data não foi revelada, ocorreu em uma igreja em Middlesboro (estado de Kentucky, EUA), quando Cody estava se dirigindo aos fiéis com a serpente enrolada em seu pescoço. 

Depois de receber uma picada perto de orelha, o pastor continuou sua pregação mesmo com sangue saindo da ferida e manchando sua camisa. 


Foi só quando ele se sentiu enjoado que pediu aos seus fiéis para que o transportassem ao topo de uma montanha, onde Deus decidiria se ele deveria viver ou morrer.

O paroquiano Big Cody desobedeceu a ordem e levou o pastor para o hospital, onde os médicos salvaram sua vida e descobriram que ele tinha sido mordido alguns milímetros ao lado da sua artéria temporal e que tinha escapado da morte por pouco.

Cody explicou que "a maioria das pessoas que recebe uma mordida na cara morre em 5 ou 10 minutos" e relembrou que Jamie Coots, o pai de Cody, perdeu a vida "sete minutos depois" que outra cobra da mesma espécie o tinha mordido em 2014.

​As congregações como esta "igreja das serpentes" apareceram nos EUA há pelo menos um século e encontraram inspiração em uma citação bíblica: "Pegarão serpentes com as mãos; e, se algo mortífero beberem, de modo nenhum lhes fará mal, sobre os enfermos imporão as mãos e eles serão curados!" (Marcos 16: 17-18).

Com informação do site Metro e texto do Sputnik.


Cristão morre por crer que era imune a veneno de serpente

Pastor que tinha cascavel como sinal de fé morre de uma picada

Serpente falante só existe em livro de fábulas, como a Bíblia




Pastor sul-africano faz seus fiéis comerem serpentes vivas

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

  1. o cara se fudeo kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. há algo de sadismo em certas crenças religiosas ou seja o desejo doentio de que o proximo seja prejudicado.

    ResponderExcluir
  3. Eu sou ateu, mas farei uma observação considerando o que eu pensava no tempo em que eu era católico: eu lia essa passagem de "São Marco", chamada de "Grande Comissão" (depois vim a saber que ela sequer aparece no Codex Sinaíticus, e muito provavelmente, foi interpolada depois do Concílio de Nicéia), e eu entendia ali que quando Jesus falava em "serpentes", estava apenas aludindo aos "demônios", querendo dizer que o diabo não faria mal aos cristãos. Essas seitas loucas que tocam em cobras de verdade, daquelas que picam e injetam veneno, são um caso patológico, e que a teologia católica chama de "tentar a Deus", que é quando o cristão se coloca de propósito em uma situação perigosa, acreditando que Deus "deve" protegê-lo, o que é totalmente errado, para o próprio cristianismo. Vi a primeira vez essas coisas, no antigo programa "Acredite se Quiser", apresentado por Jack Palance, na extinta TV Manchete, e considerei isso como algo totalmente bizarro, e que devia ser proibido. O cristianismo é uma grande besteira, mas dentro dessa besteira, existe uma leitura "razoável", como a que é feita por teólogos sofisticados como o Papa Francisco e o Frei Leonardo Boff (os quais eu ainda respeito, embora discordando deles), e uma "besteira qualificada", como a que esses pastores de meia-tigela fazem, expondo as pessoas a risco de contrair doenças, como ao ignorar regras de confinamento social, ou a praticar discriminação e comportamentos homofóbicos e misóginos, que acarretam grandes destruições na vida das pessoas que vivem no meio dessas seitas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

Covid-19 mata 16 pastores até agora só da Assembleia de Deus no Mato Grosso

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Angola notifica pastores brasileiros da Igreja Universal para deixarem o país