Macron defende ‘reparar’ vínculos com Igreja e causa indignações


Presidente da França
quer aproximação com
a Igreja Católica

O presidente Emmanuel Macron (foto), disse na segunda-feira à noite (9 de abril de 2018) que deseja “reparar” elo “danificado” entre a Igreja e o Estado francês, causando indagações, principalmente da esquerda. 

"O laicismo é nosso tesouro”, escreveu no Twitter Olivier Faure, líder do Partido Socialista. “É isso que o presidente da República deveria defender".

Macron, em seu pronunciamento, fez um afago à Igreja Católica.

"Um presidente da República que alegasse um desinteresse pela Igreja e os católicos faltaria com seu dever", disse.

Jean-Luc Mélenchon, da extrema-esquerda, afirmou que Macron se encontra “em pleno delírio metafísico, insuportável”.

“Esperamos um presidente, escutamos um sub-padre.”

Macron pode ter dado um tiro no pé, porque o laicismo é uma forte instituição na França.

Tanto que a maioria dos franceses se declara sem religião.

Com informação das agências.



Justiça da França manda tirar cruz de estátua de João Paulo II

Evangélicos se alastram na França, informa Le Monde




A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

-------- Busca neste site