Lançado em português o livro de Dawkins 'A Magia da Realidade'

A Magia da Realidade, livro de Richard Dawkins
Livro explica a ciência para as crianças
A explicação científica dos fenômenos naturais é muito mais fantástica do que a das crenças religiosas, com a diferença de que aquela é real e estas advêm da mitologia e de contos de fadas. Partindo desse pressuposto, o cientista britânico e ativista ateu Richard Dawkins, 70, escreveu para crianças o livro “A Magia da Realidade: Como Sabemos o que é Verdade”. O livro acaba de ser publicado em português, pela Companhia das Letras. Foi traduzido por Laura Teixeira Motta, tem 272 páginas, o ISBN é 9788535920543 e custa R$ 54, em média.

No livro, assim Dawkins se dirigiu ao leitor: “Quero mostrar a você que o mundo real, como é entendido cientificamente, tem sua própria magia. Eu a chamo de magia poética, uma beleza inspiradora que é ainda mais mágica porque é real e podemos compreender como funciona (…) É absolutamente fascinante. Fascinante e real. Fascinante porque é real.” 

Entre os capítulos como “O que é realidade? O que é magia?”, “Quando e como tudo começou?”, “Do que são feitas as coisas?”, há um, o último, que se refere diretamente às crenças, “O que é um milagre?”.

O texto de Dawkins é objetivo e envolvente. As ilustrações de Dave McKean fazem jus ao nome do livro. Na versão eletrônica, não disponível ainda em português, o casamento entre texto e ilustrações ganha movimento. O livro é para crianças com idade em torno de 9 anos, mas sua leitura também tem atraído os pais.

Em uma entrevista no ano passado, Dawkins disse que escreveu o livro porque lhe preocupa a grande quantidade, como poucas alternativas, de “livros de contos de fadas que podem levar as crianças a acreditarem em superstições anticientíficas e na religião”.

Leia trecho do livro ou faça download em pdf aqui

Comentários

Wickedman disse…
Bom saber que já está disponível em português. E o certo é isso mesmo: educar as crianças pra que não cresçam e virem fanáticos religiosos (não digo que é assim com todas, mas infelizmente é assim com muitas).
kelvison disse…
Espero que esse livro tenha boa receptividade na "terra do samba".
"Como qualquer fenômeno do mundo, o espaço é dúplice: em primeiro lugar, uma realidade, isto é, algo que existe fora do nosso cérebro, no mundo exterior; e, em segundo lugar, uma representação que nós formamos dessa realidade no nosso cérebro. Fora do nosso cérebro, a realidade é qualquer coisa de substancial. As representações que dessa ‘realidade’ nós criamos, são produtos do cérebro humano e mudam de homem para homem e de geração para geração.

Ao canto da minha escrivaninha está um gato. O que é um gato toda gente julga sabê-lo. Na verdade, ninguém o sabe. Perguntamos às pessoas o que é um gato e logo apreendemos o que qualquer indivíduo imagina ser um gato, mas ninguém nos pode dizer o que é um gato. Das coisas, o homem não sabe o que elas são, porém apenas o que a respeito delas ele pensa, e, segundo uma regra psicológica que se poderia designar por ‘autoconsciência recíproca’, crêem os homens tanto melhor conhecer uma coisa, quanto menos dela o sabem.

A ciência, como seu nome o diz, restringe-se àquilo que é possível saber. Ela sabe que a natureza das coisas é incognoscível; limita-se, portanto, a descrevê-las, e procura, - e essa é a sua finalidade -, a forma mais breve e mais clara... A ciência, então, não é a ‘busca da verdade’, mas sim a formação de conceitos. A Física não conta ‘fatos’, pois os seus termos: massa, energia, velocidade, não são realidades, e sim os ‘conceitos fundamentais da física’, como aliás muito bem se diz, mas frequentemente nos escapa durante a leitura”. (FRITZ KAHN)

Mundo real! A realidade como diz Kahn é incognoscível o que delas temos são só representações!
Abbadon disse…
O Cristão-Fernando nao tem a idade minima necessaria para ler este livro. Precisa crescer muito !
WillPapp disse…
Ok. A realidade absoluta é incognoscível. É impossível ter 100% de certeza sobre alguma coisa. Devemos, pois, nos contentar com a realidade relativa.

Dentro dessa realidade relativa devemos aprender a viver e devemos aprender a escolher o que é real (relativamente falando) e o que é fantasia.

Ora, todos nós sabemos que um gato é real. Sabemos, também, que um dragão não é real. E como sabemos disso? Real é aquilo que podemos perceber através dos nossos cinco sentidos: visão, audição, olfato, tato e paladar. Podemos usar, também, máquinas que maximizam esses sentidos, como por exemplo, um microscópio, um telescópio, um telefone, etc.

Dizer que a realidade é incognoscível, como fazem os agnósticos-agnósticos, ou seja, aqueles que não são nem teístas, nem ateístas; aqueles que não conseguem criar coragem para descer do muro e escolher um lado, me parece, como eu já escrevi, covardia.

Devemos ter a coragem e a decência de assumir posicionamentos e mudar de ideia, quando necessário. Não escolher é coisa de omisso e covarde.
sem novidade disse…
Que o mundo físico tem sua poesia e magia, sabemos muito bem.

Aliás, o divulgador Carl Sagan, bem antes e melhor do que Dawkins, já procurou mostrar isso em obras como "Cosmos", décadas atrás.

Também vários religiosos, poetas, pensadores, cientistas e artistas o têm demonstrado ao longo dos séculos.

Entretanto, a confissão de Dawkins de que seu interesse é impedir que as crianças acreditem naquilo que ele chama de "superstições anticientíficas e religião" revela que ele continua sendo apenas o militante ateísta de sempre, empenhado em impor sua ideologia e pregar o combate à religião. Bem mais do que qualquer outra coisa.
WillPapp disse…
É verdade.

O Dawkins não tem o direito de pregar nada. O Dawkins não tem o direito de propagar os conhecimentos que tem sobre ciência e sobre o pensamento científico.

As crianças devem continuar nas mãos dos padres, alguns pedófilos, sendo doutrinadas nas aulas de catecismo, tendo os seus cérebros danificados por besteiras religiosas. Ou, ainda, receberem em escolas adventistas, aulas de criacionismo como se tal crença religiosa fosse algo científico.

Ninguém pode atrapalhar a dominação religiosa no mundo. Ninguém pode atrapalhar a propagação de desinformação praticado por religiosos fanáticos.

Preparem as fogueiras, chamem a Inquisição.
liberdade, ainda que tardia disse…
Ateu apelando e esperneando.

Quem falou que o Richard Dawkins não tem o direito de continuar PREGANDO sua CRENÇA, e até de dar pitis e chiliques como os que voce está dando?

Claro que tem, e acredita quem quiser. É um direito básico chamado liberdade de expressão e de credo. Aquele direito que militantes ateus, gays & comparsas odeiam que os OUTROS tenham.

No caso de crianças, talvez caiba aos pais saberem o que está sendo empurrado para seus filhos. Se gostam, beleza. Pra sorte de vocês, não há leis impedindo que crianças sejam doutrinadas no ateísmo fanático dawkiniano (ao contrário das proibições que militantes ateus tentam impor contra o ensino de religião).

De qualquer forma, a criança logo vai crescer e poderá, com alguma sorte e algum raciocínio básico, questionar toda a bobajada (ou não?) que um dia leu do vosso endeusado pregador ateu britânico.

E seu filho poderá até dizer: "Coitado do meu velho pai ateísta! Levava mesmo aquele picareta autor do livrinho a sério!"
Dante disse…
"De qualquer forma, a criança logo vai crescer e poderá, com alguma sorte e algum raciocínio básico, questionar toda a bobajada (ou não?) que um dia leu do vosso endeusado pregador ateu britânico."

E você jura que essa criança vai questionar a ciencia que possui infinitas evidencias e virar religiosa de uma hora para a outra? Muito improvável.
WillPapp disse…
O interessante é que os ateus não idolatram ninguém. Ademais, ateus não possuem líderes.

Eu, sendo ateu, aprecio que o pensamento racional e analítico e a desmistificação e dessacralização das religiões estejam em marcha.

É importante para que as pessoas, realmente, possam decidir no que acreditar. Como pode uma pessoa com o cérebro lavado e cultivado, desde a infância, com mitos e estórinhas que, para ela, representa a Verdade e a Realidade, escolher a não-religião? É impossível. Por isso, é necessário que existam esses neoateus cuja missão é desprogramar as mentes daqueles que, durante décadas, foram programadas através do medo, da desinformação e da super valorização de estórias e mitos infantis. Ademais, é importante, também, que esse ciclo não continue se repetindo. E nesse aspecto, esse livro destinado a crianças é muito bem vindo.

Mais uma coisa. Crença e conhecimento são coisas diferentes. Todos tem o direito de acreditar na crença que quiser. Mas ninguém tem o direito de impô-la a ninguém, como fazem os colégios religiosos.

E finalizando: pior que se arrepender de ter acreditado em um ser humano real, visível e cognoscível é se arrepender de ter acreditado em seres imaginários, invisíveis e incognoscíveis.
Anônimo disse…
Apesar do xororo dos teistas e eles verem perder espaço no mundo intelectual e científico sério eles não desistem jamais de suas fábulas lendárias..

Eu já consegui convencer minha irmã de não por meu sobrinho no catecismo, ela é católica não praticante mais acredita na divindade judaica e acha que deve por o filho no catecismo.Eu consegui salvar meu sobrinho de sofrer a lavagem cerebral infanto-juvenil..E olha que minha irmã é formada ,mais minha família é de tradição católica..
Luan Cunha disse…
Ateísmo tá pra crença assim como careca tá pra cor de cabelo.
liberdade, ainda que tardia disse…
Admitir que não se sabe exatamente o que é realidade, o que existe ou não existe, não é necessariamente "covardia", ou "falta de posicionamento". É, sim, um posicionamento, e até mesmo uma demonstração de coragem (e humildade) diante da complexidade das coisas.

Mas, eu sei, deve ser difícil para um militante ateu dono da verdade - que, em sua cruzada ateísta contra o Perigoso e Malvado Dragão da Religião, só vê as coisas de maneira dualista e em termos partidários de "nós contra eles" - entender isso.
WillPapp disse…
liberdade, ainda que tardiaApr 29, 2012 02:07 PM

Eu sou ateu and agnóstico. O agnosticismo não me impede de ser ateu. Quer que eu explique? Ok.

Eu não sei se existe algum Deus por aí. Em relação a isso sou agnóstico.

Eu não acredito que os Deuses que as religiões vendem com tanto empenho existam. Sou ateu em relação a isso.
Revolução já! disse…
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk verdade!
Anônimo disse…
"liberdade, ainda que tardia", porque é que o ateísmo te incomoda tanto a ponto de vir fazer seu xororô constantemente aqui no blog a troco de NADA? E ainda distribuindo falácias e preconceito, associando gays e comunistas com ateus como se fossem a mesma coisa.
O que Dawkins faz, eu concordo que seja mais agressivo do que o necessário, mas esta a ANOS-LUZ da asquerosa pregação religiosa que vc deve adorar. Se vc nao gosta do que ele diz, ignore, simples assim. Nenhum ateu vai entrar na sua igreja, bater na sua porta as 8h da manhã de domingo, ou te dizer que ta fodido por não crer no mesmo que ele.
Acho que esta na hora de amadurecer um pouco, encarar os fatos e tomar vergonha na cara.
Anônimo disse…
Will Papp, se os neo-ateus são realmente úteis pra sociedade, por estar sempre em combate com os ideais religiosos, então eu acho injusto que muitos de nós, ateus mais moderados, não os vejam com bons olhos, comparando-os com os próprios religiosos. Ass: Winston Smith
Anônimo disse…
Will Papp, se os neo-ateus são realmente úteis pra sociedade, por estar sempre em combate com os ideais religiosos, então eu acho injusto que muitos de nós, ateus mais moderados, não os vejam com bons olhos, comparando-os com os próprios religiosos. Ass: Winston Smith
Anônimo disse…
O correto seria dizer em relação A QUE vc é ateísta. Teísmo, ateísmo e agnosticismo são posições filosóficas e relativas.
Bruno disse…
O que eu digo é: "Coitado do meu velho pai cristianista! Levava mesmo aquele picareta Jesus a sério!"
WillPapp disse…
Winston Smith

É claro que os neo-ateus são uteis e importantes. Afinal, os neo-religiosos pegam pesado, são desonestos e criminosos. É necessário uma força que contra ataque. E é necessário ser, assim como são os neo-ateus: eles não se importam em bater em quem merece apanhar.

Nós, ateus moderados, iremos após a destruição.

Fui dramático agora...
Anônimo disse…
"Como pode uma pessoa com o cérebro lavado e cultivado, desde a infância, com mitos e estórinhas que, para ela, representa a Verdade e a Realidade, escolher a não-religião? É impossível."

Bobagem total. Os fatos comprovam facilmente que tal alegação é falsa, já que existe muita gente que foi criada em ambiente religioso e depois se tornou atéia ou agnóstica.

Novamente os neo-ateus ou ateus militantes exagerando, mentindo e praticando terrorismo político-psicológico, e alardeando os "perigos" da religião, esse bicho-papão terrível que se esconde debaixo de suas camas e que os apavora dia e noite.
WillPapp disse…
AnônimoApr 29, 2012 04:55 PM

Ateus representam uma parcela muito pequena da população. Uma parcela que está crescendo, justamente, pelo processo de desprogramar a mente das sandices religiosas que foram impostas a elas.

O processo que leva um religioso ao ateísmo passa pela desmistificação e dessacralização de suas crenças para que em seguida haja uma análise dessas e por fim o abandono delas.

Mas isso é para pouquíssimas pessoas. Infelizmente.
Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse…
>AnônimoApr 29, 2012 04:55 PM:

>>"Bobagem total. Os fatos comprovam facilmente que tal alegação é falsa, já que existe muita gente que foi criada em ambiente religioso e depois se tornou atéia ou agnóstica."

-Concordo em parte. Sim, não é pelo fato de que a fortíssima doutrinação religiosa que a cultura brasileira possui que esta irá impedir o "nascimento" de ateus e agnósticos, isso é fato, pois eu, como agnóstico, cresci em uma família que me doutrinou bastante, tanto é que sou batizado, catequizado e crismado.

Porém, tal doutrinação cultural cria uma forte barreira para o surgimento de novos ateus e agnósticos, muitas vezes por medo de preconceitos criados por nossa sociedade ou porque foram tirado deles a capacidade de questionar, não generalizando claro. Acho que esse foi o ponto do WillPap.

>>"Novamente os neo-ateus ou ateus militantes exagerando, mentindo e praticando terrorismo político-psicológico, e alardeando os "perigos" da religião, esse bicho-papão terrível que se esconde debaixo de suas camas e que os apavora dia e noite."

-Chamo isso de contra golpe, como já disse, pois o simples fato de os ateus declararem-se ateus, isto já ofende certos religiosos que taram esses ateus com desprezo e ódio. E o modo de agir desses ateus seria uma resposta a esses religiosos intolerantes, é a velha lei, na qual eu concordo, "olho por olho".

Que Satã abençoe-lhe.
Anônimo disse…
Concordo com você. Considero totalmente inútil esses ataques contra a religião. Seria muito mais útil os ateus se dedicarem mais à divulgação da ciência do que atacar a religião.
Eu vejo ateus se esforçarem para mudar situações que não são prioridade, como tirar a frase "Deus seja louvado" das notas de Real. Que diferença isso faz pro cidadão comum? Nenhuma. Tem muita coisa necessária pra ser feita nesse país. E vejo que o pessoal ta procurando pelo em ovo.
WillPapp disse…
Os ateus não atacam as religiões ou religiosos. Eles contra-atacam. Eles revidam. É importante que alguém fale, que alguém mostre, por exemplo, que a sala de aula não permite proselitismo religioso ou que assuntos como a união civil de homossexuais não é assunto religioso e que os assuntos nacionais não devem ser balisados através de um livro velho de mitologias.

Se ninguém reclamar a Teocracia vai se instaurar.
Anônimo disse…
Anônimo das 5:40 PM, você jura que entendeu isso no meu comentário? Eu nem enfoquei este assunto... Ass: Winston Smith
Ana disse…
Muito interessante a forma de abordagem do Dawkins visando a popularização da Ciência também para crianças! O que mais necessitamos hoje é "alcaçar"o público infantil utilizando uma linguagem acessível e fatos científicos muito bem embasados e isso já sabemos que o Dawkins faz muito bem!
Independente de inclinação religiosa, com certeza o livro será (ou já é) um sucesso! Irei comprar e indicar concerteza!
Luiz Mário de Melo e Silva disse…
"O ser humano é a natureza condensada ou objetivada nele. E a ciência é a refinada linguagem dela". A grande questão é que a elite se pretende como centro do universo, e de tudo faz para manter o status quo, tentando, sobretudo, sabotar a ciência (natureza refinada,lembra-se?). E se houver uma elite na natureza esta é a VIDA que é igual e na mesma proporção para cada organismo do mais simples ao mais complexo; portanto, não há o controle de alguns poucos sobre a maioria. É isto que a elite mais teme ser compreendido por cada ser humano.
Qual é o problema de se ser "militante ateísta"? Os religiosos não são militantes, vinte e quatro horas por dia, de suas superstições religiosas? Há séculos vocês religiosos torturavam e queimavam os ateus; agora, impossibilitados de fazer seu morticínio, querem que fiquemos calados?
Esse "liberdade, ainda que tardia", o que ele menos quer é liberdade para os demais. Quer ele que apenas os religiosos tenham liberdade para pregar suas superstições alienantes. A verdade é que há uma enorme contradição, pois o Mito que inventaram odiava o dinheiro, mas seus seguidores, ao contrário, descobriram que "templo é dinheiro". Eles deveriam logo confessar: "Deus quer que você doe até doer. E depois da doção, nós doadores, ficaremos com Deus, enquanto nós, coletores, ficaremos com o dinheiro".