Integrante da Opus Dei critica o ‘fundamentalismo ateu’ brasileiro

Gandra é porta-voz da entidade
católica ultraconservadora
O advogado Ives Gandra da Silva Martins (foto), 76, escreveu artigo para a edição de hoje (24) da Folha de S.Paulo criticando o “fundamentalismo ateu” que está atacando os “valores das grandes religiões”.

Com exemplo, ele disse ter sido admoestado quando, em nome da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos Brasileiros), defendeu no Supremo Tribunal Federal a inconstitucionalidade do uso de embriões em pesquisas de células-tronco. “Antes da sustentação [no plenário do STF] fui hostilizado, a pretexto de que a Igreja Católica seria contrária à ciência e que iria falar de religião, não de ciência e direito.”

Ives Gandra é porta-voz da Opus Dei, uma entidade ultraconservadora ligada à Igreja Católica. É também professor emérito da Universidade Mackenzie, da Escola de Comando e Estado-Maio do Exército e da Escola Superior de Guerra.

Ele escreveu que, para quebrar a expectativa de que só falaria de religião no STF, começou sua intervenção no plenário daquela Corte com a informação de que a Academia de Ciência do Vaticano tinha naquela época 20 Prêmios Nobel, e o Brasil nenhum.

Gandra citou autores que ressaltaram a importância que a Igreja Católica teve na construção do mundo moderno, através da educação e cultura.

Por isso ele disse estar sempre surpreso com “todos aqueles que, sem acreditar em Deus, sentem necessidade de atacar permanentemente os que acreditam nos valores próprios das grandes religiões”.

Afirmou que os ateus “só não se assemelham aos 'fundamentalistas' do Oriente Médio porque não há terroristas entre eles”.

Sottomaior responde a Gandra: fundamentalismo ateu é ficção ilógica. 
8 de dezembro de 2011

Ateísmo.

Comentários

  1. Íntegra do artigo de Ives Gandra

    Fundamentalismo ateu

    Voltávamos, Francisco Rezek e eu, de uma posse acadêmica em Belo Horizonte quando ele utilizou a expressão "fundamentalismo ateu" para se referir ao ataque orquestrado aos valores das grandes religiões que vivemos na atualidade.

    Lembro-me de conversa telefônica que tive com meu saudoso e querido amigo Octavio Frias, quando discutíamos um editorial que estava para ser publicado sobre encíclica do papa João Paulo 2º, do qual discordava quanto a alguns temas.

    Argumentei que a encíclica era destinada aos católicos e que quem não o era não deveria se preocupar. Com inteligência, perspicácia e bom senso, Frias manteve o editorial, mas acrescentou a observação de que o papa, embora cuidando de temas universais, dirigia-se fundamentalmente aos de fé cristã.

    Quando fui sustentar, pela CNBB, perante o STF, a inconstitucionalidade da destruição de embriões para fins de pesquisa científica -pois são seres humanos, já que a vida começa na concepção-, antes da sustentação fui hostilizado, a pretexto de que a Igreja Católica seria contrária à ciência e que iria falar de religião, não de ciência e direito.

    Fui obrigado a começar a sustentação informando que a Academia de Ciências do Vaticano tinha, na ocasião, 29 Prêmios Nobel, enquanto o Brasil até hoje não tem nenhum, razão pela qual só falaria de ciência e direito. Mostrei todo o apoio emprestado pela Academia às experiências com células-tronco adultas, que estavam sendo bem-sucedidas, enquanto havia um fracasso absoluto nas experiências com células-tronco embrionárias.

    De lá para cá, o sucesso com as experiências utilizando células tronco adultas continuam cada vez mais espetaculares. Já as pesquisas com células embrionárias permanecem em estágio "embrionário".

    Trago essas reminiscências, de velho advogado provinciano, para demonstrar minha permanente surpresa com todos aqueles que, sem acreditar em Deus, sentem necessidade de atacar permanentemente os que acreditam nos valores próprios das grandes religiões, que, como diz Toynbee em seu "Estudo da História", terminaram por conformar as grandes civilizações.

    Por outro lado, Thomas E. Woods Jr., em seu livro "Como a Igreja Católica Construiu a Civilização Ocidental", demonstra que, além dos fantásticos avanços na ciência feitos por sacerdotes cientistas, a Igreja ofereceu ao mundo moderno o seu maior instrumento de cultura e educação, ou seja, a universidade.

    Aos que direcionam essa guerra ateia contra aqueles que vivenciam a fé cristã e cumprem seu papel, nas mais variadas atividades, buscando a construção de um mundo melhor, creio que a expressão do ex-juiz da Corte de Haia é adequada.

    Só não se assemelham aos "fundamentalistas" do Oriente Médio porque não há terroristas entre eles.

    Num Estado, o respeito às crenças e aos valores de todos os segmentos da sociedade é a prova de maturidade democrática, como, aliás, o constituinte colocou no artigo 3º, inciso IV, da nossa Constituição Federal, ao proibir qualquer espécie de discriminação.

    ResponderExcluir
  2. Me desculpa, mas esse discurso não apaga a segregação que as religiões baseada nas lendas do deus de Abraão fazem.

    ResponderExcluir
  3. Sou contra a religião formal, mas não contra a religiosidade e/ou espiritualidade das pessoas.

    ResponderExcluir
  4. ...amarrar arame farpado na coxa e fazer auto flagelação é um dos grandes valores da Opus Dei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em nenhum momento a Opus Dei pediu pra VOCÊ fazer isso. Respeite!

      Excluir
  5. Ok, concordo com o último parágrafo do texto. Totalmente.
    Quanto ao resto? Não. O fato de o Vaticano ter ganho vários Nobels não implica que foi a religião católica a maior causadora da enorme regressão científica e tecnológica que houve durante períodos como a Idade Média. Não implica que a Igreja Católica usou de métodos abusivos para a conversão de habitantes do "novo mundo" para sua religião, tais como morte, escravidão, estupros e tortura. Não implica que a Igreja Católica contrarie informações científicas amplamente aceitas acerca da AIDS e recomende que as pessoas não usem camisinha e não pendem em ter menos filhos (filhos são uma bênção de Deus. Tenham o máximo que puderem). Enfim, são vários os casos.

    Afinal, onde se escondem estes ateus fundamentalistas? Eu vejo quase nenhum. Isso não significam que eles não existam, mas que eu possa estar cego. Quando alguém que é também ateu critica a intervenção da religião no estado, está sendo fundamentalista, claro. Que que custa simplesmente ser tolerante e deixar que a religião determine os rumos da vida de cada um, seja católico, cristão ou não.

    Valores, crenças, deuses e santos não são cidadãos de direito, muito menos possuem mais direitos que um cidadão comum.

    Não existe isso de "nós queremos impor esta ideia na sociedade", mas só "só os cristãos precisam se preocupar com isso, já que se trata de sua religião". Imponha coisas aos cristãos em "escala" privada, pô! Se não quer que os membros de sua Igreja pratiquem aborto, diga à eles que eles vão pro Inferno. Não force uma lei que obrigue até os não-cristãos a isso! Faz parte da democracia a liberdade individual. Cada um faz suas escolhas e vive da maneira que quiser, desde que dentro dos limites definidos na constituição (se bem que a constituição daqui a pouco não valerá como critério, já que os grupos religiosos estão querendo mudá-la para ser uma extensão da bíblia) e na legislação (com tantos projetos de lei com fins religiosos, a lei tbm não será um bom parâmetro daqui a uns anos). Só isso. Felicidade, liberdade vida, paz são direitos; não deveres. Ninguém é obrigado a viver a vida como bem entender (dentro dos limites que citei), mas psosui tal direito. Se eu quiser abrir mão dos meus direitos para fazer o que minha igreja quer, problema meu. Mas, por valor religiosos, deixem quem quer viver longe dos seus dogmas viver como quiser, concordando vocês ou não.

    Voltando ao a vida começa na concepção? Pode até ser, mas o que isso significa? Uma vida como um óvulo é tão humano quanto uma larva de formiga. Na verdade, a vida começa bem antes, quando ocorre a formação do espermatozóide e do óvulo. Ou talvez comece bem antes, já que estas células são parte de um organismo maior, que os gerou.

    Ao meu ver o que importa não é quando a vida começa (como diria George Carlin, a santidade da vida é uma besteira), mas quando uma vida se torna humana (isso vale tanto para embriões quanto para máquinas, no futuro). É mais ou menos consenso que começa quando do desenvolvimento do sistema nervoso e o surgimento da consciência. Isso ocorre muitas semanas após a fecundação.

    Tanto que é aceito, mesmo por religiosos sãos, que a vida termina com o fim do funcionamento do cérebro. A morte cerebral é isso. Mesmo o coração continuando a bombear sangue, sabemos que a pessoa "se foi".

    A Igreja Católica pode ter vários cientistas, muitos deles muito bons em sua área (mesmo eu não conseguindo imaginar como um homem da ciência pode acreditar em tanta besteira), mas ela não fala em nome da ciência (pode ser com C maiúsculo, se quiser). A ciência não é feita de ideias pré-definidas, sem fundamento e imutáveis.

    Sim, meu comentário foi bem sem sentido.

    ResponderExcluir
  6. Eles não gosta de ateus porque escrachamos a mentira que é o cristianismo, e não só como toda religião, encomodamos porque falamos a verdade, a igreja católica matou milhares de pessoas e vem este dai falar que contribuiu para o mundo, ahh vai dormir fala sério. Agora vem falar que ateus são fundamentalistas, fundamentalista é e foi esta igreja católica que é uma grande farsa a começar por jesus que eles sabem que não teve nada de nascer de uma virgem, mais eles encobre tudo isto o papa é uma ''alma'' deslavada.

    ResponderExcluir
  7. Gostaria de me informar, alguém pode por gentileza me passar um link onde possa ler os textos fundamentais ateus?

    Porque tenho entendido que fundamentalismo por definição esta ligado a um sistema de normas baseadas em dogmas.

    Caros amigos, somente um ignorante fala de fundamentalismo ateu...

    ResponderExcluir
  8. O fundamentalista tem a audácia de querer impor os dogmas deles a TODOS os brasileiros, dizendo oq a ciência pode ou não fazer baseado em dogmas de sua religião, e ainda tem a hipocrisia de falar que são os ateus que são fundamentalistas.

    Religião, dizendo como vc deve agir, pensar, para quem vc deve cair de joelhos, e pedir desculpas por existir. Lógico, que o clero é representante do ditador celestial.

    E claro querendo impor seus dogmas a todos, através de leis. Quanto fundamentalismo vc quer mais?

    Ser chamado de fundamentalista por esse cidadão, é mesmo que ser chamado de amarelo por um cacho de bananas.

    ResponderExcluir
  9. Um representante de uma entidade cujo fundador teve uma das canonizações mais rápidas a custo de suborno, será que esses 20 "premios nobel" não apareceram que nem a "santificação" do fundador da O D ?

    ResponderExcluir
  10. Eu não aceito críticas de pessoas nojentas (vulgo: Opus Dei), é um preconceito saudável que eu tenho.

    ResponderExcluir
  11. Que idiota . Não existe Fundamentalismo ateu,assim como não existe fanatismo por NÃO torcer por um time . O que mais perto chega disso é o fanático anti teista:

    http://bulevoador.haaan.com/2011/10/28804/

    ResponderExcluir
  12. Agora ateu é que é fundamentalista???

    ResponderExcluir
  13. sobre fundamentalismo (e terrorismo) ateísta24 de novembro de 2011 14:35

    O jurista Ives Gandra, mais uma vez, está certo.

    Só não concordo com este trecho:

    "[os ateus] só não se assemelham aos 'fundamentalistas' do Oriente Médio porque não há terroristas entre eles."

    Como grande parte dos militantes ateus (e seus parceiros militantes gays) agem como verdadeiros terroristas, tentando intimidar e perseguir quem não concorda com eles, acho que nessa afirmação o Ives Gandra errou um pouquinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante...

      Não vejo gays espancando heterossexuais na Av. Paulista e nem ateus jogando aviões contra edifícios em nome de sua "crença"...

      Não é isso que faz um fundamentalista?

      Excluir
  14. FUNDAMENTALISMO é qdouma religião se ´´fundamenta´´ e seu LIVRO SAGRADO , interpretando ao pé da letra o conteudo do livro....

    Ateus são criticos ferozes dos textos sagrados por acha-los mentirosos , delirantes e perigosos....portanto esse jurista CAROLA , foi infeliz na sua colocação...

    ResponderExcluir
  15. o "funamentalismo ateu" é uma antítese.
    fundamentalismo e ateísmo são opostos por definição.


    mas vem cá: se estivesse tendo os resultados "desejados" as pesquisas com embriòes seriam aceitas pela igreja? nào, né? então não vem fingir que está sendo guiado por pensamento científico.

    ou é muito cínico ou está seguindo o pensamento da inquisição. matar é pecado mortal, mas se for por um bom motivo pode. e quem define bom motivo CLARO que é a igreja.

    ResponderExcluir
  16. Eu sou ateu e se tivesse algum poder , eu só iria proibir o ensino religioso a menores de 16 anos por respeito aos direitos humanos, não iria mais existir batismo e doutrinações de crianças, iria acabar com todos feriados religiosos, iria tirar todos simbolos religiosos de repartições publicas e não haveria mais nenhum tipo de concessão entre governo e religiosidade, as pessoas iriam trabalhar ,fazer tudo normal ,e depois se quisessem iriam até a suas igrejas adorar seus deuses , haveria a separação total de governo e religião em respeito a todas as crenças e liberdade de todo cidadão que não deve ser treinado doutrinado desde criança em nenhuma religião, quando for adulto ele decidiria por se mesmo o que quer sem esta robotização que as igrejas fazem hoje, isto não é fundamentalismo é apenas querer as coisas no lugar certo a favor do bem estar de todos seres humanos.

    ResponderExcluir
  17. "Só não se assemelham aos "fundamentalistas" do Oriente Médio porque não há terroristas entre eles. "

    Justamente! E é uma diferença e tanto, baseada, veja só, no fato de não termos verdades absolutas, creditadas a um ser absoluto e onipotente, contra o qual não há argumento ou razão a ser oposta. Abraão não podia "argumentar" com Jeová, sobre o absurdo que é sacrificar o próprio filho para Ele.

    Ele, como todo terrorista, pode apenas obedecer a vontade de deus, não interpretar ou relativizar (o horror da fé, pensar sobre o assunto). Se o bem e mal, certo e errado, derivam de deus, então se ele deseja algo, é certo e pronto.

    Religiões causam mal. O eventual bem que podem produzir, pode perfeitamente ser praticado sem as mesmas (como os Médicos sem Fronteiras), o que torna vantajoso abandonar esse resquício do nosso passado ancestral (como se pode notar nas sociedades que tem se afastado desse horror).

    As pretensas benesses que religiões, em especial a cristã, teriam "oferecido ao mundo", foram produzidas apesar desta, e não por esta. Religiosos que produziram conhecimento, o fariam perfeitamente sem a cegueira da fé, e muitos, melhor sem o risco envolvido em contrariar religiões autoritárias (um pleonasmo, claro).

    A Igreja Católica, em especial, herdou recursos, estruturas, regras e leis do Império Romano, junto com estradas, correio, e administração. Sua contribuição consistiu em manter sob controle esses recursos, com o poder da violência e da injustiça, até que o Iluminismo separasse Igreja de Estado. E reconhecesse o valor do ser humano, sobre seres imaginários.

    Ateus, ateísmo, não se preocupa com a fé das pessoas, mas com organizações que usam essa fé de forma cruel, violenta, autoritária. Que pretendem ser a "voz de deus", um deus sem evidência de existir.

    Se a religião não interferisse, de forma negativa, na vida das sociedades, não haveriam movimentos ou manifestações ateus. É uma "reação", não ação, há muito submetida pela força da crença.

    Pessoas boas farão coisas boas, com ou sem religião, pessoas más farão coisas más, com ou sem religião, mas para que pessoas boas façam coisas más, é preciso religião.

    Cognite Tute

    ResponderExcluir
  18. O Velho e Respeitável Professor Gandra está mal informado.
    Sir Peter Medawar, que ganhou o Nobel de Medicina e Fisiologia, na Década de 60 do século passado, nasceu no Brasil e aqui morou, se não me engano até os 14 anos de idade. Ele foi um dos pais do MODELO DE DISCRIMINAÇÃO DO PRÓPRIO E DO NÃO PRÓPRIO, que explica o funcionamento do Sistema Imunológico.
    Medawar foi estudar na Inglaterra e só não voltou ao Brasil porque não queria servir ao Exército Brasileiro. De qualquer forma ele teve de atuar como médico, pelo Reino Unido, na II Guerra Mundial.
    Pode-se dizer, assim, que o Brasil tem sim um Nobel.

    ResponderExcluir
  19. Embora Medawar tenha ganho o Nobel por seus trabalhos em prol do modelo que citei, acredito mais no MODELO DO PERIGO da Drª Polly Matzinger.

    ResponderExcluir
  20. Em breve serei laureado com um Prêmio Nobel!
    Serei único nesse país de mentes fracas. Nesta Terra em que muitos acham chique aprender línguas estrangeiras, para serem meros tacanhos tradutores de idéias alheias.

    ResponderExcluir
  21. Admiro o "fervor" dos ateus, e o "fundamentalismo" de alguns, bem "fanáticos". Aliás, cada vez mais fortaleço em mim, o preconceito de que os ateus são seres profundamente religiosos. A "fidelidade " às idéias racionalistas-iluministas, a "confiança" absoluta, inquestionável nos dogmas políticos-econômicos do liberalismo; a "certeza divina", mesmo a "infalibilidade" da "fé" que depositam na totalidade da ciência; e, é claro, a "esperança" imorredoura, inalienável de seus desejos de perenidade, imortalidade e eternidade; fundamentalíssimamente creditados às CURAS E MILAGRES "científicos", notadamente aos "poderes" da tecnologia médica, enfim, a inerrância e a impecabilidade que atribuem os predicados sempre benéficos, higienizadores e sanadores dos poderes divinos das técnicas e ciências...Onipotentíssima vontade, oniscientíssima inteligência, e onipresente visibilidade! Ao deus ex-machina, acrescenta-se a divindade-máquina. Os atributos de Deus vulgarizaram-se, e os valores desapareceram, após tornados os seres profanados (secularizados); por uma crescente e avassaladora redução ao animalesco, ao instintivo, e subsequente regressão à barbárie, ao pré-primitivo! A usura, a ganância, a ostentação pomposa da "virtude" metálica vil, face à desgraça de um mundo destruído, uma fauna devastada e uma flora em vias de ser extinta; assomam-se à decadência de uma humanidade desfigurada, deshumanizada e totalmente mercantilizada.

    ResponderExcluir
  22. "Gandra citou autores que ressaltaram a importância que a Igreja Católica teve na construção do mundo moderno, através da educação e cultura."

    não é a primeira vez que eu leio essa bravata dos cacatólicos. ou seja, eliminou-se toda a História Antiga, toda a cultura grega e romana, toda a influencia do império bizantino. a Igreja recebeu toda a "cultura ocidental" diretamente de Deus para os "bárbaros".

    então muito obrigado, Igreja, por ter nos dado essa cultura de destruição, genocídio, misoginia, racismo, segregação.

    ResponderExcluir
  23. Coitados, o professor Ives Gandra, é um homem respeitável em sua área de advocacia e tem sua religião.Qual é o problema?Ademais, o resto dos comentários mostra mais uma vez a prática de intolerância religiosa.

    ResponderExcluir
  24. Enquato os cristãos criaram a universidade,inúmeras faculdades,lançaram os fundamentos do direito internacional; fundaram várias instituições filantrópicas, plasmaram a cultura ocidental,os ateus mal possuem uma associação.

    Alguém já ouviu falar de alguma faculdade ateia? Se os cristãos possuem a Univ.Católica,os protestantes possuem a Mackenzie e outras mil, os ateus não conseguem fazer nada pelo ensino e pela cultura.Ademais, o primeiro sistema educacional do Brasil foi criado pelos jesuitas...

    A Academia do Vaticano já ganhou 29 Nobel. O coitado do Sottomaior nem curriculo apresenta. Esses mequetrefes ateus querem rivalizar com quem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério???
      alguém vai se dar ao trabalho de explicar pra ele???

      Excluir
  25. Jeova, deus de abrahão e dos judeus, foi inventado pelos seus líderes para justificar toda e qualquer baabárie bélica cometida por aquele povo historicamente, e talves até hoje.

    O grande "poder" a ele atribuido se reflete na ação bélica dos povos que nele crê.

    O mundo seria mais tranquilo e tolerante com seus iguais e diferentes se não houvesse essa crendice, esses dogmas e essas religiões abrahamicas que se multiplicam como o dinheiro que se acumula em nome dele nos bolsos de seus sacerdotes.

    ResponderExcluir
  26. Interessante que a Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano tenha conquistado esses Nobels.

    Mais interessante ainda é que a o Vaticano não incorpore às suas crenças nada do que se pesquisa por ali.
    Estive pesquisando quais seriam estes prêmios e também o que seus autores concluíram.

    Existe um pesquisador chamado Carlo Rubbia, que pesquisou partículas fundamentais do modelo padrão. Porém a Igreja ainda prefere acreditar que Deus criou o Universo...

    ResponderExcluir
  27. O texto do Dr. Grandra, sim , é um exemplo de fundamentalismo. E da pior espécie: o que quer posar de vítima quando, na verdade, é o agressor.

    Ruggero

    ResponderExcluir

Postar um comentário