Jovens sem religião indicam que Brasil caminha para secularismo

por John L. Allen Jr., do site National Catholic Reporter

Pesquisa mostra estar aumentando
número de jovens sem religião
Dois terços da população católica do mundo, hoje, está no hemisfério Sul, uma parcela que deve chegar a três quartos até a metade do século. Para discernir para onde a igreja está direcionada, é fundamental olhar para o que está borbulhando no Sul, e algumas histórias recentes merecem estar na tela do radar católico mundial.

Uma delas vem do Brasil, uma superpotência católica, entre os quatro principais países católicos em termos de população, destinado a ser um definidor do ritmo da Igreja do século 21.

No Brasil, um respeitado instituto nacional de pesquisa, a Fundação Getúlio Vargas, publicou um novo estudo que sugere que o secularismo – definido, neste caso, como o ato de jogar a toalha em termos de fé e prática religiosas – está fazendo rápidas incursões entre os jovens brasileiros.

Com base em 200 mil entrevistas realizadas para o Censo do Brasil de 2010, o estudo conclui que a parcela católica da população brasileira caiu para 68%, seu nível mais baixo desde que os dados do censo começaram a ser coletados em 1872, em parte por causa do elevado percentual de jovens que negam ter qualquer filiação religiosa.

A principal conclusão é a seguinte: o número de pessoas com menos de 20 anos que dizem não seguir nenhuma religião está crescendo três vezes mais rapidamente do que entre as pessoas com mais de 50 anos, sendo que 9% dos jovens brasileiros dizem não pertencer a nenhuma religião.

Esses resultados vão no rastro de outros dados do Brasil. Em 2007, o padre  José Oscar Beozzo, que dirige o Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular, em São Paulo, disse que, entre 1980 e 2000, o percentual da população brasileira que se identifica como protestante, cuja maioria é pentecostal, subiu de 12% para 17%. No mesmo período, o percentual de pessoas sem filiação religiosa passou de 0,7% para 7,3%, um aumento de dez vezes.

"Esse é o movimento infinitamente mais importante na situação religiosa brasileira", disse Beozzo na época.

Em termos numéricos, o Brasil é o maior país católico do mundo, com seus 163 milhões de católicos, que representam 85% da população. Esses, entretanto, são os totais batismais, enquanto o novo estudo reflete a parcela que realmente se identifica como católica. Entre outras coisas, a diferença entre os dois indica que 17% dos brasileiros hoje nasceram católicos mas posteriormente abandonaram a Igreja.

Comentaristas apontam para alguma versão de pelo menos quatro teorias:

-- O boom econômico do Brasil, que convenceu uma parte da juventude de hoje que eles simplesmente não precisam da religião;

-- Suposto distanciamento e arrogância por parte do oficialismo católico, combinado com elementos da doutrina da Igreja que não lidam bem com a juventude de mente progressista, incluindo as posições da Igreja sobre aborto, contracepção e homossexualidade (não surpreendentemente, essa ideia é especialmente popular na ala liberal da Igreja brasileira);

-- Uma excessiva concentração na política por parte da Igreja brasileira, especialmente do que restou do movimento da teologia da libertação, com o resultado de que os jovens de hoje estão espiritualmente à deriva (esse tende a ser a explicação favorita da direita católica);

-- A crescente falta de padres no Brasil, juntamente com as dificuldades na mobilização de leigos para compensá-la (isso é o que muitas vezes se ouve da linha de frente dos agentes de pastoral do país).
Qualquer que seja a explicação que se favoreça, a imagem básica parece clara: uma parcela crescente da geração mais jovem do Brasil está efetivamente se secularizando.

Isso poderia ter implicações para além das fronteiras do país, porque, dada a nova força econômica e política do Brasil, as tendências locais envolvem um vigor regional e internacional mais amplo.

Dois pensamentos sobre o significado disso:

Primeiro, a pergunta do milhão sobre a religião no hemisfério Sul foi, durante muito tempo, se o progresso econômico e político necessariamente andaria lado a lado com a secularização. Não parece haver nenhuma lei férrea. O crescimento econômico da China no último quarto de século, por exemplo, foi acompanhado por uma explosão espiritual.

No entanto, esse parece ser o caso do Brasil, que leva à seguinte reflexão: a América Latina, em alguns aspectos, está mais próxima dos padrões históricos da Europa, em que a Igreja Católica tradicionalmente foi um monopólio imposto pelo Estado. Se o secularismo tomar conta da América Latina mais do que outras regiões, isso poderia ser a confirmação final de que confiar no poder do Estado é, a longo prazo, sempre perigoso para a fé?

Segundo, a ideia fixa da classe dirigente da igreja no Ocidente se tornou a defesa da identidade católica, como um meio de proteger a Igreja contra a sua assimilação pelo secularismo. Em termos sociológicos, essa é uma "política da identidade", que é um mecanismo de defesa clássico para subculturas em apuros.

Os desdobramentos no Brasil sugerem que políticas de identidade semelhantes poderiam tomar forma em outras partes do mundo católico, dando a essa tendência ainda mais resistência.





Para evangélicos, secularismo mais que o Islã ameaça o cristianismo
junho de 2011

Estatística das religiões.    Secularismo.



Comentários

Anônimo disse…
Isso indica que precisamos de mais gente na luta pelo estado laico ( e não estado ateu, como gostam de distorger alguns cristãos fundamentalistas), pois o problema do Brasil (além do sistema e dos que insistem em mantê-lo) é que ateísmo não está imune aos ataques e preconceitos, o mesmo vale para mulhers e homoafetivos. Graças a crença no imaginário que nosso país ainda está no mais baixo IDH, subiu uma posição depois de 15 anos, ou seja, só estaremos com um IDH satisfatório daqui há uns 315 anos. Espero que até lá, o estado laico saia do papel. Pena que não vou estar vivo para isso.
John Constantine disse…
Espero que o secularismo avance cada vez mais no Brasil, para conter os fundamentalistas evangelicos e os ultra-conservadores catolicos.
Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Israel Chaves disse…
Parabéns por sair da Matrix! O que vem agora é a realidade, e com ela a felicidade de verdade, sem o medo de ser punido por seres imaginários complexados.
Essa é uma tendência natural, as pessoas querem ser livres para serem elas mesmas, e a religião é contra isso. Resultado: Conforme a sociedade vai evoluindo, e preconceitos vão diminuindo aos poucos, as pessoas vão dando preferência a serem felizes por serem sinceras consigo mesmas do que ter uma religião que as reprime.
Vai demorar. Mas um dia, essas superstições caem.
Diego disse…
Ao menos eu espero que a tendência para os próximos anos seja uma redução no numero de pentecostais e um aumento no numero de pessoas sem religião . Se esses jovens preferirem se declarar deistas ao invés de teistas,já deve ser um bom começo e me dará uma esperança um pouco maior nesse país .
Gustavo Milaré disse…
Nossa, Will, belo comentário.

Permite-me copiá-lo no meu blog?

Quanto ao texto, considero uma excelente notícia :D
Anônimo disse…
a juventude brasileira tem visto o quanto a religão é uma ilusão barata
Gustavo Milaré disse…
Barata? Que nada, custa 10% do seu salário!
Anônimo disse…
antigamente, antes da entrada desta corja cristã, o teatro era usado para o público pensar sobre o homem. Hoje essa corja quer usar o teatro para apontar, com o tom de ameaça nazista, a suposta condição de qualquer um que tenha um pensamento claro, forte, secular e lógico.
Estamos nos tempos da trevas enquanto existir malafaias, severos e papinhas comandando estas mentes fracas tolas.
Gustavo Milaré disse…
E a falácia argumentum ad hominem aparece mais uma vez...
Izaque Bastos disse…
acredito que o numero de catolicos sao bem menores, muitos se dizem catolicos, mas quando perguntam quando foram na igreja, hahaha nem sabem dizer, nao acredito que a igreja influencie assim tanto a sociedade como dizem os secularistas, o problema é que a midia com seu poder concedido pelo estado distorcem os fatos, eu nao sou a favor de violencias seja contra quem quer que seja, só acho que no caso da homoafetividade ou aborto,tenho o direito de ser contra e me manifestar contra, assim que os que sao a favor tem seu direito de se manifestar a favor.

quem conheço, com quem convivo,e é muita gente, pois trabalho com o publico, nao vejo alguem dizer assim , há nao faço isso porque a igreja nao permite, a nao ser adventistas e testemunhas de Jeova, mas o resto?

bom cada um faz o que quer da vida, só acho que eu tenho direito de ser contra o que minha conciencia achar que é errado, muitos tolhem os outros nos seus direitos e só olham pra seus umbogos.
Robson disse…
Umbigos são polêmicos !!!!!!!!!!!

Robson Kvalo
No entanto, esse parece ser o caso do Brasil, que leva à seguinte reflexão: a América Latina, em alguns aspectos, está mais próxima dos padrões históricos da Europa, em que a Igreja Católica tradicionalmente foi um monopólio imposto pelo Estado. Se o secularismo tomar conta da América Latina mais do que outras regiões, isso poderia ser a confirmação final de que confiar no poder do Estado é, a longo prazo, sempre perigoso para a fé?

Gostaria que vocês lessem com bastante atenção este texto e deixem que o seu raciocínio livre os conduza a explorar as várias possibilidades indicadas por este parágrafo.

Alguém tem confirmação se este texto foi censurado pelas instâncias eclesiásticas (ou seja, ele tem "imprimatur")?
Avelino Bego disse…
Existem 3 coisas distintas:

Religião
Religiosidade
Espiritualidade

Não há necessidade alguma de uma pessoa precisar ter religião para se ter as duas últimas.

E nem a necessidade de religiosidade para se ter espiritualidade.

O bom e velho Carl Sagan nos mostra isso.
Anônimo disse…
Os ateus estão aumentando? Ah! Eu já sabia! Ah! Eu já sabia.
Luan Cunha disse…
Os jovens são o futuro da humanidade mesmo.
Anônimo disse…
E as rachaduras da represa estão se tornando cada vez mais evidentes, de modo que não há mais como repará-las...
Anônimo disse…
Isso devemos em grande parte às igrejas evangélicas e suas falcatruas, a leitura da Bíblia e a educação.
Nosferatu disse…
Luan Cunha,

Quais jovens?

Aqueles drogados da USP ou os da UNB, da UFT, de tantas universidades brasileiras que, mesmo com o risco de morte, assaltos, estupros, não querem a polícia por perto, para que tenham um território livre para o uso de drogas ilícitas, que trazem consigo o tráfico etc?

Antevejo um futuro bem escabroso, a depender dos exemplos de juventude que temos, pior do que os ex-jovens atuais mandatários do poder, já perpetram!
Cognite Tute disse…
Nosferatu, o inixistente: "Antevejo um futuro bem escabroso, "

Todas as gerações, todos os conservadores de todas as gerações, fizeram essa mesma "previsão" sobre a dissolução dos "jovens" e o fim do mundo.:-)

Em Roma antiga, na Grécia clássica, nos textos hebraicos da idade do bronze, na Assíria, etc. Muitos textos e discursos "antevendo futuros escabrosos!!!!"..:-) Uma piada recorrente:)

É o medo que o velho tem do novo, a inveja de não poder mais agir como jovem, o risco de ter suas certezas confrontadas e destruídas.

Todas as gerações criticaram os mais novos, os jovens, a rebeldia, e a civilização avana e melhora mesmo assim. Hoje melhor que ontem, amanhã melhor que hoje.

E a diminuição, constante, do poder religioso, das crenças, nos países de melhor IDH, é um exemplo claro.

Você passará, caro demônio inexistente, a civilização não.:-)

Deus não existe, não tem evidência de existir (nenhum deles), largue essa superstição ancestral, viva o que resta de sus, única, vida e seja feliz, faça os outros felizes.

Ou pelo menos, não atrapalhe a vida dos outros.

Cognite Tute
NOSFERATU disse…
Cognite Tute,

SEM COGNIÇÃO,

O presente dirigido pelos jovens do passado te satisfaz?

Se sua resposta for sim, então você de fato não notará nenhum diferença com os alienados dirigentes do futuro!

Quem sabe você não será até convidado para fumar uma RODADA DE CRACK NO PALÁCIO DO PLANALTO?!
Gustavo Milaré disse…
"O presente dirigido pelos jovens do passado te satisfaz?"

Com certeza mais do que o passado dirigido pelos jovens mais do passado ainda.
Headbanger Ateu disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse…
Problema? Até quando vamos misturar água e azeite? Religião, política e humanismo? Putz!! Parem esse mundo de vez pois eu quero é descer!
Anônimo disse…
Deus esteja convosco, humanidade. Vós precisais, mais do que nunca. Fé.
Luan Cunha disse…
Você é um bebê bastante negativo e pessimista. E hipócrita também.

Você acha que os caras pintadas e diretas já eram todos "politicamente corretos"? Vai pensando...
ALBERTO disse…
A religiao,seja ela catolica,protestante,espirita,pelo que me parece por vcs exposta, em nada ajudou a sociedade em nenhuma época,sabemos que isso nao é verdade,sabemos que as grandes universidades,colegios sempre estiveram alinhados com algum tipo de confissao religiosa(nao vou entrar no merito do objetivo das construçoes)sera que vcs vivem neste mundo ou sao zumbis????Dizem :DEUS nao existe,vamos viver sem espiritualidade!!Talvez vcs se achem muitos evoluidos a ponto de negar uma consciencia superior(seja ela chamada de DEUS,grande arquiteto,senhor do universo)que formou a tudo inclusive nos seres mortais!!!!!!Sera que nós mesmos nos inventamos?????????????????????????????????????

Somos iguai a pó,estamos vivos hoje ,amanha espalhados pelo ar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Anônimo disse…
Todos tem o direito de ser contra ou a favor de uma causa igualitária, mas não tem o direito de fazer Marcha para Oprimir os outros e nem de explorar financeiramente os fiéis.
É dever do estado garantir direitos iguais a todos sem exeção, DIREITOS IGUAIS PARA MAIORIAS E MINORIAS.
Anônimo disse…
Tomara, espero ver um Brasil sem corrupção, um Brasil com Igualdade entre Crentes e Descrentes de Religião, um Brasil com Igualdade entre Heterossexual e LGBT.
Anônimo disse…
Não confundir "crescimento econômico" com desenvolvimento econômico,a China ela está crescendo economicamente,mas sua população vive na pobreza tendo sua economia maior que a da Dinamarca,entretanto o desenvolvimento econômico do país escandinavo é melhor por causa da sua boa distribuição de renda.
Cristina disse…
Olá Geraldo,me permita fazer parte do diálogo.Infelizmente só conheci sua opinião hoje.Primeiro é necessário que se defina bem qual é a verdadeira posição do cristinaismo no Brasil.O Papa João PauloII,disse uma vez muito observadoramente,que o Brasil é um país católico afetivamente,e não efetivamente.Isso definindo o catolicismo no Brasil.Outra coisa é o movimento evangélico(seja pentecostal,batista,qual for)que vem ganhando adeptos em muitíssimo maior número do que se divulga.( creio que hoje está quase meio a meio entre os dois segmentos cristãos).Creio que aí também reside um preconceito até mesmo da imprensa,por não saber definir bem o que é o movimento evangélico.Agora,fazer a miscelânia que se vem fazendo,sem estudos mais apurados,é chover no molhado.Pra Igreja Católica Apostólica Romana,religião e Estado,sempre foram a mesma coisa,tanto que o Vaticano é o menor e mais rico principado do mundo.(o Papa é príncipe desde 1923,certo?).Tem suas leis,seus impostos,é um país dentro do outro.E como não poderia deixar de ser,quanto mais rico mais influente.Tanto que os pastores evangélicos são acusados violentamente até,de serem manipuladores dessa nova massa que está só trocando o dinheiro de mãos.Será?Olhe pras propriedades da Igreja Católica ao redor do mundo(pelo menos do ocidental)e veja que sempre estão nos lugares mais lindos e mais caros do planeta.Quando alguém vai se perguntar o porquê dessa transição de católicos para as igrejas evangélicas?Ninguém quer saber o porquê;apenas tiram conclusões precipitadas e as lançam ao vento.Tanto que a Igreja católica está seriamente preocupada com o imenso crescimento evangélico no Brasil,que depois do Papa João Paulo I,todos vem ao nosso país com uma certa frequência,se nos reportarmos aos antigos Papas,não vê assim?Creio que deveriamos pensar no porquê dessa mudança de maneira séria,para que pudessemos respeitar todas as manifestações espirituais, ou religiões como queira,do Brasil.Mas outra coisa também é certa:ninguém quer comentar nem discutir,religiões que sacrificam humanos para se perpetuarem;e o Brasil está abarrotada delas.É mais fácil ridicularizar quem mostra alguma coisa que não queremos ver.Note-se que os verdadeiros cristãos,sejam eles católicos ou evangélicos,não aceitam essa teologia da prosperidade,baseados em um compromisso sério com Deus e seu Filho que professam e vivem.São pessoas sinceras.E quando um sacerdote,seja ele qual for,comete algum crime pelas leis dos homens,os cristãos não desejam que eles fujam das leis dos homens não.Então,concluindo,na medida em que um compromisso com a verdadeira palavra que leva à fé,disvincula a Igreja Católica Apostólica Romana do Estado e do Secularismo,ela é perigosa para a fé...de quem depende desse dinheiro.(pode ser católico ou evangélico.)Isso Lutero dizia,Calvino também.Se você peneirar bem,eles dizem em palavras muito simplificadas:façamos o que nos cabe,que Deus fará a parte dele!!!O difícil é fazermos o que nos cabe.Ou seja :o eterno problema do ser humano é querer um compromisso verdadeiro com Deus!Tudo leva a massa a ridicularizar a fé.E sem fiéis,quem será Igreja.Sem Igreja,o que será do Estado???
Anônimo disse…
cuidado com o que voce pede isso poderia se tornar uma loucura.
duard disse…
É PRA GLORIFICAR/LOUVAR DE PÉ

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

http://www.brasilateu.com/

Sigamos em frente !
Anônimo disse…
O grande problema é o preconceito, os religiosos mais radicais acham não só um erro ser ateu, mas também um insulto, achando que a pessoa é indigna. Que eu saiba, na religião dessas pessoas, é necessário aceitar o próximo, coisa que os ateus fazem muito mais do que os religiosos. Nenhum ateu aborda um religioso e diz "você está errado, deixe de ser religioso agora", enquanto não é muito difícil um ateu ser abordado (como já aconteceu comigo) e ser tratado como lixo.
Unknown disse…
Corrigindo 100% das pessoas nascem ateias, desses, 17% viraram católicos por causa dos pais e depois de terem opinião formadas abandonaram o catolicismo para outra religião ou religião nenhuma.
Adriel Lynconn disse…
é bom saber que o secularismo ta crescendo e vai vencer crenças em imaginarios que impedem o desenvolvimento
Anônimo disse…
É um problema, pois, infelizmente o preconceito é de ambas as partes... Essa é a grande verdade !!!!
Anônimo disse…
Tá aí, vc (que é ateu)está sendo preconceituoso com suas palavras, tal como mtos cristãos.....Então, a tolerância deve ser para todos, com ou sem religião !! Certo ?!
Anônimo disse…
O teu comentário foi o mais sensato e sem levantar bandeira de time algum ! Parabéns !
Beatriz Maia disse…
adorei seu blog de verdade! excelêntes post's

www.sramaia.blogspot.com

-------- Busca neste site