Nos EUA, cristãos conservadores se divorciam mais que ateus


Os cristãos conservadores, sobretudo eles, pregam a importância da religião para manter unida a família, mas nos Estados Unidos se divorciam mais que os ateus, de acordo com pesquisa feita pela organização evangélica Barna Researh Group.

Na média, esses cristãos divorciam-se na proporção de 27% e os ateus, 21%. Para lideranças cristãs, o resultado foi tão inesperado, que, se a pesquisa não tivesse sido feita por uma entidade religiosa, eles provavelmente duvidariam de sua seriedade.

A pesquisa constatou que as maiores taxas de divórcio, acima da média nacional, ocorrem no chamado Cinturão da Bíblia, composto pelos Estados de Tennessee, Arkansas, Alabama e Oklahoma.

George Barna, o responsável pela pesquisa e cristão conservador, anunciou esse resultado com constrangimento. Disse que gostaria “muito” de informar que as famílias cristãs vivem em concordância, mas isso não foi possível.


Ele disse que o desafio agora das igrejas é analisar por que a fé tem, nesses casos, separado os casais em vez de fortalecê-los.

A taxa de divórcios entre os católicos e luteranos – classificados como religiosos moderados – é igual a dos ateus (21%). Os batistas apresentaram a taxa de 29%. Em seguida vêm os protestantes tradicionais (25%), os protestantes independentes (24%) e os mórmons (24%).

Seria interessante confrontar a taxa de divórcios dos cristãos conservadores com as separações de casais homossexuais, os quais, de acordo com lideranças religiosas, não constituem uma “verdadeira família”. Esse dado, contudo, a Barna não levantou.

O que também chama a atenção na pesquisa é que os hispanos, tidos como muito religiosos, estão indo menos às missas e cultos em relação aos brancos e negros, na comparação dos dados de 1999 com os de 2011. A queda foi de 54% para 33%.

Entre os hispanos, a taxa dos adultos que acreditam que os princípios da Bíblia estão corretos caiu de 62% para 32%. Também foi significativa, entre eles, a queda daqueles que acreditam ser importante compartilhar sua crença com outros. Antes, era de 48% e agora, 18%.

Dos três grupos, os negros são os que mais têm sido constantes na frequência dominical às igrejas.

Considerando brancos, negros e hispanos, a frequência semanal às igrejas caiu de 48% para 39%. O hábito de ler a Bíblia teve queda de 42% para 37%.

 A proporção de brancos adultos que se afirmam ser “sem igreja” subiu de 25% para 40%.

Com informação das agências, Sun Sentinel e Barna Group.





Comentários

  1. Pessoas muito religiosas casam muito cedo e não se conhecem bem o bastante para constituir familia, muitos nem ao menos praticam sexo antes. Creio que deva ser esta a principal causa e não as horas gastas rezando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. além de serem chatos pra caramba... fala sério ninguém aguenta (nem eles mesmos)

      Excluir
  2. Caruê falou bem. Também acredito que seja por conta disso.

    ResponderExcluir
  3. Sim, é com certeza esse o motivo, sem contar que entre os extremamentes conservadores ainda existe a prática de casamentos arranjados, e todos sabemos que isso não tem como dar certo (sim, ainda existe. Fui noivo de uma mórmon e via coisas inacreditáveis na família dela, como pessoas se casando poucos meses depois de se verem pela primeira vez e sem mal terem conversado nesse tempo).
    Para um relacionamento dar certo é necessário que o casal se conheça extremamente bem antes do casamento e não pode haver nenhum tipo de pressão que obrigue os dois a ficarem juntos, além do fato de se gostarem, porque essa pressão com o tempo vai se acumulando até que explode.
    Não pode haver nenhum motivo para se estar juntos além do amor entre os dois, e não é o que acontece em famílias religiosas; existe o tabu de que separar é errado e por isso o casal TEM que ficar junto não importa o quê, há as famílias se metendo no meio, o medo do que os outros vão pensar enfim... Religião só coloca um monte de pressão desnecessária no relacionamento. E aí dá nisso.
    Ateus e pessoas menos religiosas são mais tranquilas quanto a isso, portanto conseguem fazer escolhas melhores e mais duradouras.

    ResponderExcluir
  4. Diz o artigo: "Os cristãos conservadores, sobretudo eles, pregam a importância da religião para manter unida a família." NÃO, pregamos a importância do AMOR para manter a família. Dizemos que quem se da ao casamento não se casa para ser feliz, mas para fazer o outro (marido ou mulher) feliz. Isto é casamento, o resto é contrato.

    ResponderExcluir
  5. Desculpe, mas nunca vi um cristão conservador pregando o amor entre a família. Tudo o que vi foi gente preocupada com o que os outros iam pensar.
    Sinto muito amigo, mas nada do que você disser vai mudar a realidade; a pesquisa foi feita pelos próprios cristãos e os resultados estão bem aí.

    ResponderExcluir
  6. Cristão, vc acabou de selar por vez toda felicidade que tenho por não ser cristão.
    Não precisa de amor pra manter a família? Poupa-me.

    ResponderExcluir
  7. Daniel Martins, voce não enxergou a VÍRGULA. Corrigindo: NÃO,,,,,,,,,,.pregamos a importância do AMOR para manter a família. Dizemos que quem se da ao casamento não se casa para ser feliz, mas para fazer o outro (marido ou mulher) feliz. Isto é casamento, o resto é contrato. Poupe-me voce.

    ResponderExcluir
  8. Casar sem a intenção de ser feliz também não é lá muito inteligente. É lógico que se deve ter sempre a intenção de fazer o(a) parceiro(a) feliz, mas nunca deve-se negligenciar a própria felicidade. Um relacionamento, não só o casamento mas qualquer outro, só é bom quando está sendo bom para as duas partes. Se você vive pela felicidade de outra pessoa sem ser feliz com isso, você estará sofrendo e ainda sendo desonesto com a pessoa que ama, porque ninguém que ama de verdade vai querer que a pessoa amada se sacrifique por ela (isso te faz lembrar alguém? Tipo, um ser feito de amor que adora que os outros se sacrifiquem e sofram por ele?).
    Esse é o seu erro, Cristão, achar que ser feliz é pecado. É preciso sim desejar a felicidade ao casar; a sua e a da outra pessoa. Senão, já sabe o que acontece.

    ResponderExcluir
  9. "pregamos a importância do AMOR para manter a família"

    Falou o Cristao, que prega o ódio contra homossexuais, ateus, agnosticos, nao-cristaos, etc..

    ResponderExcluir
  10. A Bíblia não tolera pecado e nunca tolerará. As passagens que se referem ao homossexualismo e a incredulidade que é o maior dos pecados são duras. Cabe aos pecadores se humilharem , reconhecerem os seus erros e se arrependerem. Mas não é isso que acontece, antes se revoltam e blasfemam. Não temos outra coisa a dizer a não ser que colherão os seus frutos. Em contrapartida tenho plena consciência que também sou um grande pecador e que preciso melhorar.----------------------------------------------------------"Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; 1 Pedro 5:6"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Cabe aos pecadores se humilharem[...] Mas não é isso que acontece, antes se revoltam e blasfemam".

      Posso te dizer uma coisa? As palavras "pecadores" e "blasfemar" não fazem sentido NENHUM fora do contexto da religião. Os "incrédulos" não são afetados por eles.
      Cristãos, e outros religiosos também, demonstram tanta autoridade quando ameaçam ateus à "uma eternidade no inferno" quanto os mesmos ateus ameaçam cristãos de "você não ganhará presentes do papai noel esse ano".

      Uma outra coisa: Se vives usando trechos da bíblia, gostaria de perguntar se você:
      Você vende suas filhas como escravas sexuais?
      Mata aqueles que não seguem sua religião?
      Acredita piamente que a terra é um disco?
      Deixa de cortar seu cabelo e barba?
      Nega remédios quando está doente?
      Possui escravos próprios?

      Se a resposta para qualquer uma dessas perguntas for "não", PARABÉNS! Não está seguindo a bíblia, a "palavra de deus", tão bem quanto acha que está.

      Excluir
  11. Israel Chaves. Há um jargão no mundo que diz: "gentileza gera gentileza" Se você ama e honra, em seu tempo será amado e honrado. Se você causa felicidade, será feliz.----------------------------------------------------------------------------- (Porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Gálatas 6:7)-------------------------------------------------------------------- Não devemos esperar que o outro faça o que estiver ao nosso alcance fazer.-----------------------------------------------------------------(E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também. Lucas 6:31)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aproveitando da sua boa vontade, explique Deuteronômio 25:5

      Excluir
  12. "Em contrapartida tenho plena consciência que também sou um grande pecador e que preciso melhorar"

    Nha, ainda bem que reconhece^^

    ResponderExcluir
  13. E o Cristão se esconde atras de um livro de capa preta, para tentar justificar seu odio por todos os outros...

    ResponderExcluir
  14. Cristão, eu sei que não adianta tentar explicar nada para você que, como bom cristão, não tem a capacidade de pensar sozinho, de ponderar outros pontos de vista ou de aprender coisas novas. Mas só por desencargo de consciência, acho bom tentar reafirmar.
    O problema de vocês é ver pecado em tudo, inlusive em ser feliz. Sua religião doentia prega que as pessoas devem sofrer para serem salvas, como se um deus todo feito de amor fosse querer ver seus filhos assim. Mas ser feliz não é errado, nunca foi e nunca será, contanto que essa felicidade não seja às custas de prejudicar alguém. Sofrer só por sofrer não só é inútil como é idiota. Se seu deus gosta disso, ele é realmente doente e devia ser internado em uma clínica para deuses transtornados, porque ele não pode conviver em sociedade sendo um sádico perverso.
    Vocês acham que a culpa, o arrependimento e o medo de punição é algo bom e vivem constantemente com esse peso sobre as costas. É por isso que cristãos não são verdadeiramente felizes. Vocês acham que ateus se sentem livres porque gostam de pecar e blá blá blá. Mas pode ter certeza que se for analizar, exceto pelo pecado extremo de ser descrente, ateus pecam muito menos do que crentes, isso porque não somos hipócritas e vemos a vida de um outro ângulo, um ângulo no qual só temos uma vida e se fizermos merda, teremos estragado nossa única chance. Eu não preciso do medo da punição para ser bom. E você com certeza não é uma pessoa verdadeiramente boa, porque só faz o "bem" pelo medo de ir para o inferno, e não porque chegou à conclusão, por exemplo, de que matar não é legal, mesmo que fosse permitido.
    Enfim, ateus são mais livres para serem eles mesmos. E isso resulta em relacionamentos mais sinceros e, consequentemente, melhores.

    Não é preciso religião. Só é preciso um único pensamento: Tal ato prejudica alguém? Não? Então não é errado.
    Ser feliz prejudica alguém?
    Então acho que ser feliz é completamente certo.

    ResponderExcluir
  15. Oksoks, cristão,erromeu, não vi avírgula XD
    Mas não muda o fato de que os cristãos conservadores se divorciam mais \o\

    ResponderExcluir
  16. O Cristão prossegue com suas evasivas!

    ResponderExcluir
  17. Aposto com segurança que o Cristão fugira da resposta, dar uma desculpa esfarrapada de umas duas linhas, e depois umas 10 a 12 linhas de recitacoes.

    ResponderExcluir
  18. Mas sobre o post, é porque existem muito....mais cristãos conservadores do que ateus.

    ResponderExcluir
  19. Acho que esse anônimo não sabe trabalhar com porcentagens.

    ResponderExcluir
  20. Cara, a imagem que tenho do Cristão é esta:

    Um sujeito com cabecinha levemente tombada para o lado esquerdo, um sorriso branco com voz maviosa e o olho levemente arregalado ao ponto de franzir suavemente a testa, arrematado com um corte de cabelo obsoleto partido para a direita e fixado com gel, onde se misturam fios cinzentos e negros num lamaçal cosmético. O conjunto facial deste ser remete a um psicopata fracassando ao tentar parecer amistoso.

    Suas ações suaves tentam remeter calmaria, mas quando bem analisada é armada. A voz professa sua doutrina errante num tom monótono, onde com um terno escuro barato levanta um livro sagrado e acaloradamente e sem um motivo aparente cita alguns trechos.

    Qualquer sinal de resistência de um "pecador relutante" o faz vociferar alterando seu semblante para algo semelhante ao diabo que tanto diz odiar, substituindo palavrões por palavras de significados iguais, mas por ele considerado adequado (meretriz, pecador, pederasta, etc.) tornando aquela imagem o mais puro retrato do ridículo cristão...

    huahuahuahuahua

    ResponderExcluir
  21. Tem como você colocar a fonte original? Link Direto. To procurando no site do Barna Groupe mas não encontrei nada ainda. Obrigado

    ResponderExcluir
  22. As fontes estão no pé do texto, onde diz: "Com informação de....."

    ResponderExcluir
  23. Não é preciso uma leitura minuciosa para se notar os grosseiros erros e malícia nesse artigo. Desconheço a íntegra do artigo, quem sabe tenham retirado somente o que "interessa segundo certo ponto de vista", do original?! Aliás, descontextualizar é um procedimento corrente nesse blog.
    Entretanto, para quem ignora, a igreja católica não aceita o divórcio, já os protestantes sim. É natural que o índice de divórcio nesse ultimo grupo seja considerável.
    Agora, é muito curioso terem juntado a igreja católica com os luteranos, que segundo dizem, equivale uma porcentagem de 21% de divórcios, mesma porcentagem dos ateus, que blasonam ser baixa. Atualmente nos EUA o catolicismo supera os outros grupos de igrejas.Era de se esperar que fizessem isoladamente a pesquisa com os católicos, o que não houve. Talvez seja pelo receio do provavel resultado favorável ao catolicismo...
    Não sei se percebem a trampa?!

    ResponderExcluir
  24. Olha, sinceramente, os crentalhões não cumprem nem os votos do casamento, fidelidade e respeito. As brigas são constantes e inevitáveis com os filhos. Reparem nos filhos de casal cristão, parece que torcem para o "diabo". Porém, enfatizo que os cristãos, mesmo os mais fanáticos, desprezam a Lei que pregou seu Mestre Jesus. O casal crente, mal divorciou, já está na INTERNET ou na IGREJA para arrumar outro trouxotário/a. Divorciados que se casam novamente, SEM MOTIVO DE INFIDELIDADE, cometem ADULTÉRIO. Porém, parece que mais os crentes cristãos, gostam de se misturar com divorciados, separados e desquitados, mesmo quando o "cristão" não teve MOTIVO JUSTO PARA DIVORCIAR. Todo aquele que se relacionar com um divorciado, sem motivo justo para o divórcio, POR INFIDELIDADE, cometerá ADULTÉRIO. Claro que a maioria dos crentes, apenas 99,9999999999 por cento deles, só ligam para o que ensina a bíblia, quando lhes convém. O que tem de crentes evagélicos, protestantes e católicos, deitando na transa com divorciados/as é coisa de louco. Louco? Talvez melhor o termo LUNÁTICO!

    ResponderExcluir

Postar um comentário