Pular para o conteúdo principal

Aids é 'uma forma de vingança da natureza', afirma arcebispo belga

O arcebispo André Léonard (foto), a autoridade máxima na hierarquia da Igreja Católica da Bélgica, escreveu em um livro que a Aids não é “um castigo de Deus”, mas "uma espécie de justiça imanente [das leis da natureza] quando maltratamos o amor”.

“Essa epidemia [de Aids] é uma forma de fazer justiça”, reforçou ele no livro, que foi lançado ontem. “É a vingança da natureza. Quando o meio ambiente é maltratado, ele nos maltrata.”

As afirmações de Léonard lembram um pouco o que o aiatolá Kazem Sedighi, de Teerã (Irã), disse em abril deste ano: “As relações sexuais ilícitas têm provocado ultimamente muitos terremotos em várias regiões do mundo”.

O livro de Léonard tem sido duramente criticado pelos políticos liberais belgas. Para o partido flamengo Open VLD, por exemplo, tais declarações “são incompreensíveis, ofensivas e insuportáveis”.

Para Gwendolyn Rutten e Nele Lijnen, desse partido, afirmaram que o arcebispo insultou as pessoas que lutam diariamente contra a síndrome da Aids.

O livro do arcebispo foi publicado em um momento em que a Igreja Católica da Bélgica passa por uma profunda crise por causa de denúncias contra padres pedófilos aos longos dos últimos, com o envolvimento, inclusive, da cúpula da igreja.

HOMOFOBIA - atualização em 1 de novembro de 2010

Jean-Marie de Meester, advogado e dirigente do SPA (Partido Socialista Flamengo), informou que moveu uma ação contra o arcebispo Andre-Joseph Leonard acusando-o de homofobia por declarar que a 'Aids é uma vingança da natureza'. Meester disse que o Leonard violou a lei antidiscriminação ao fazer declarações caluniosas e homofóbicas.

Com informação do site Religión Digital.

> Treze das vítimas dos padres pedófilos belgas se suicidaram.
setembro de 2010

> Sexo ilícito provoca terremotos, afirma aiatolá.
abril de 2010

> Casos de fanatismo religioso.

Comentários

  1. Esse filme eu já vi antes...

    Assim como a sífilis em épocas passadas, percebe-se uma perfeita manipulação dos fatores sexuais e econômicos de discriminação. Afinal, hoje, embora se tenha claro que a transmissão sexual da SIDA não é restrita ao comportamento homossexual e que, se a origem da epidemia foi realmente a África, a causa mais provável são experiências de cientistas do Primeiro Mundo em território subdesenvolvido, a idéia inicial persiste no inconsciente coletivo, mesmo que o perfil atual da Síndrome seja de caráter pandêmico, atingindo todas as faixas etárias, independentemente de classe social e comportamento sexual.
    A vontade de estar imune ao perigo, que seria reservado ao outro, ao pecador, remonta ao século XVIII, quando Cotton Mather (pregador e escritor puritano da Nova Inglaterra, 1663-1728) dizia que a sífilis era um castigo "que o justo juízo de Deus reservou para nossa era tardia" (apud Sontag, 1989, p. 72).
    Hoje Dom Eugênio Sales escreve a respeito da SIDA:
    "E cai, como raio, na humanidade, o perigo da AIDS... Surge como imposição que atinge, em cheio, a inversão sexual, a troca de parceiros, uma interminável lista de assuntos condenados pela legislação divina... Esse clima revela a decadência dos costumes com as conseqüências de um comportamento humano quando contraria o destino para o qual fomos criados...
    Os flagelos sociais servem de instrumento para despertar a consciência, explorar a imoralidade reinante, fazer o homem retornar aos caminhos de Deus" (2).
    Essas visões apocalípticas são absurdas. A SIDA não é algo anormal que vai acabar com a vida e/ou os costumes do homem na Terra, é apenas uma doença.

    ResponderExcluir
  2. Goiabada com queijo pega rato fujão.

    Enquanto isso na sé de oxossi, perdão, digo sebastião do rio de janeiro...padres fogem do país com dinheiro escondido nas cuecas e até em latas de goiabada...
    Quem olha para o rabo dos outros, esquece-se do seu. Cotias purpuradas, cuidai dos vossos.

    ResponderExcluir
  3. Então tinha que dar uma PEREBA SANGRENTA MORTAL no Cú e nos pinto dos padres safados pederastas e pedófilos que abusam sexualmente das crianças católicas nos 4 cantos do mundo....
    isso a ICAR nunca fala......só abafa...!!!

    ResponderExcluir
  4. Essa daí eu lembro, é plágio, esse filme já ouvi antes...dom eugenio, quando surgiu a aids, afirmou que era revolta da natureza por ter sido violada pelos costumes sexuais contrários...rsrs

    ResponderExcluir
  5. Na decada de oitenta vários padres morreram de AIDS mas hoje como há o coquetel...

    ResponderExcluir
  6. Devia ter vergonha de falar uma besteira desta.Pois é,isto mostra o respeito da ICAR pelas vítimas da aids ou seja NENHUM.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Em encontro com Bolsonaro, padre canta que 'Deus pode realizar o impossível'

Vereador critica repasse de verba às igrejas. E é acusado pela bancada evangélica de 'intolerante'