Doente mental deveria ter direito ao suicídio assistido, diz dono de clínica

Em rara entrevista, o advogado Ludwig Minelli (foto), dono da Dignitas, clínica suíça de suicídio assistido, defendeu o direto a esse tipo de morte aos doentes mentais crônicos, principalmente os esquizofrênicos, e não só aos pacientes terminais.

Para Minelli, trata-se de uma questão de direitos humanos. “A maioria dos portadores de doenças mentais tem discernimento para decidir dar um basta ao seu sofrimento”, disse.

Na Suíça, há outras clínicas de suicídio assistido, mas a Dignitas é a única que atende estrangeiros. De acordo com informação de fevereiro deste ano do jornal britânico Guardian, entre os inscritos na clínica havia cinco brasileiros.

Em 12 anos de existência, mais de mil pacientes terminais passaram pela clínica.

O médico Alois Geiger, que é colaborador da clínica, informou que a Dignitas atendeu em 2008 um espanhol de 39 anos que sofria de esquizofrenia e que já tinha tentado se matar oito vezes. “É uma doença horrível.”

Estima-se que a doença atinja 1% da população mundial. Existem diferentes graus de esquizofrenia, cujos portadores perdem contato com a realidade. Os principais sintomas são alucinações auditivas e visuais, delírios de paranoia.

Geiger contou que tem sido procurado por esquizofrênicos e a maioria deles não diz apenas que quer morrer, mas que “não aguenta mais viver esta vida”.
Com informação da BBC Brasil.
O CVV É UM SERVIÇO DE PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.
TEL: 141. Atende também por e-mail e on-line.

Comentários