Igreja Universal faz tráfico de crianças, diz TV de Portugal


Reportagem fala da
família de Edir Macedo

Na década de 90, várias crianças desapareceram de uma casa de crianças em Lisboa mantida pela Igreja Universal do Reino de Deus.

Depois de sete meses de investigação, a TVI, de Portugal, diz que essas crianças foram roubadas pela Universal para adoção por pastores.

Com o título “O Segredo dos Deuses", a reportagem que acusa a Universal de tráfico internacional de crianças foi dividida em 10 episódios, com exibição a partir de 11 de dezembro de 2017.


As jornalistas Alexandra Borges e Judite França consultaram cerca de 10 mil documentos e ouviram mães que entregaram filhos à Universal e os perderam.

“Estas mães literalmente foram roubadas no que diz respeito aos seus filhos, de quem não sabiam há mais de 20 anos”, disse Borges a um jornal da emissora.

“Esta investigação só foi possível ser conhecida 20 anos depois. Agora, algumas pessoas saíram da Igreja, começaram a ver com distanciamento e guardaram, inclusive, documentação original daquela altura”, disse.

“Temos histórias complicadíssimas."

Judite França disse que, inicialmente, houve dificuldade na apuração dos sumiços de crianças, porque as adoções são sigilosas.

Ela contou que descobriram um fio de informação e começaram a puxá-lo, “até que conseguimos chegar a essas mães e a algumas crianças”.

A jornalista afirmou que a “máquina” do tráfico de crianças da Universal “estava muito bem oleada” há vinte anos.

A TVI enviou uma nota à imprensa portuguesa informando que a reportagem mostra como “Edir Macedo, líder máximo da IURD, está envolvido nesta rede internacional de adoções ilegais de crianças, e que os seus próprios ‘netos’ são crianças roubadas do Lar Universal, uma instituição que à época fazia parte da obra social da igreja”.

Até agora, a Universal não se manifestou sobre a reportagem.

Na internet, já há vários meses, um ex-bispo da Universal acusa a igreja de ter envolvimento com adoções ilegais de crianças.






Filho do bispo Edir Macedo diz ser 'o príncipe da máfia'