Jornal critica ensino religioso: fé não é parte do conhecimento


Desvio de recurso de um
ensino que já medíocre

Em editorial em que comenta a nova BNCC (Base Nacional Comum Curricular), a "Folha de S.Paulo' critica o Supremo Tribunal Federal por ter aprovado o ensino religioso confessional, ainda que facultativo.

Informou que o MEC está aguardando a publicação da decisão do Supremo para resolver se enquadra o ensino religioso em ciências humanas ou como conhecimento à parte.


Trata-se de um “equivoco”, diz o jornal.

“Primeiro, porque fé religiosa não se confunde com conhecimento, no sentido que o mundo moderno dá à palavra”, argumenta.

“Depois, porque o princípio da laicidade do Estado implica eliminar aulas confessionais da escola pública.”

Para o jornal, “soa absurdo desviar energia e recursos de um ensino oficial medíocre como o brasileiro para agraciar igrejas, de qualquer denominação, no que deveria ser a mais republicana das instituições”.

Com informação da Folha de S.Paulo.




CNE equipara o ensino de religião com o de matemática