Lema do chefão do tráfico na Rocinha é ‘Jesus é o dono lugar’


Rogério 157 e seu medalhão

O lema de Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157 (foto), chefe do tráfico da Rocinha, no Rio, é “Jesus é o dono do lugar”.

O traficante usava no pescoço um medalhão de ouro com o slogan evangélico (foto).

O apelido “157” é uma referência ao artigo do Código Penal sobre roubo.

Rogério está sendo caçado pela polícia.

Antes de a Justiça decretar a prisão dele, ele impôs o terror em sua comunidade, para expulsar um bando concorrente, o do traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem.


No dia 28 de setembro de 2017, na Rocinha, supostos integrantes do bando do Nem espancaram um jovem que estava com um boné com a inscrição “Jesus Cristo é o dono do lugar” e que, por isso, foi considerado como seguidor do Rogério 157.

Os suspeitos estavam se preparando para queimar Carlos Alexandre da Silva quando foram presos por soldados da Marinha.

A polícia prendeu em meados de setembro Nem, que tinha fugido para o Acre. Ele também é evangélico.

Quando era o chefão da Rocinha Nem realizava cultos em sua casa.

“Não vou para o inferno. Leio a Bíblia sempre, e faço cultos na minha casa, chamo pastores”, disse Nem à Época, antes de ser preso.

Com informação de "O Dia" e de outras fontes e fotos de reprodução.




Polícia indicia cinco suspeitos de integrar milícia evangélica

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.