Nova pesquisa confirma que para maioria ateus são imorais


Uma nova pesquisa confirmou que a maioria das pessoas acredita que os ateus são imorais.

Feita com 3.256 adultos de 13 países, a pesquisa apurou que as pessoas tendem a quase duas vezes mais a pressentir imoralidade extrema em ateus e em não crentes, em relação aos religiosos.

Numa escala que vai de crente a ateu, de 0 a 1, os entrevistados deram a pontuação de 0,86 a autores de violência, como mutilação e assassinato. Ou seja, bem mais perto à referência atribuída aos ateus do que aos crentes [ver gráfico abaixo].

Maior preconceito em Singapura e Índia


As pessoas entrevistadas são da Finlândia, Nova Zelândia, Reino Unido, Holanda, República Checa, Austrália, Ilhas Maurício, Hong Kong, Estados Unidos, China, Emirados Árabes Unidos, Singapura e Índia.

Os autores da pesquisa Global evidence of extreme intuitive moral prejudice against atheists ficaram surpresos com o resultado, porque tinham a expectativa de que o avanço da secularização estivesse atenuado o preconceito aos ateus.

Até mesmo quando as pessoas associam intuitivamente violações morais a religiosos, como abuso sexual de crianças, os ateus são afetados, porque se atribui aos sacerdotes, nesse caso, a falta de fé na existência de Deus.


Os pesquisadores descobriram que os ateus são tidos como autores de atos imorais em países de diferentes religiões — cristianismo, islamismo, budismo e hinduísmo.

Os ateus são considerados como perversos até mesmo em países onde não há religão hegemônica.

Em artigo na revista Nature, os pesquisadores escreveram que esse preconceito prejudica a inclusão social dos ateus, afetando sua convivência na família e ambiente de trabalho.





Veja quais são os oito principais mitos sobre ateus e ateísmo

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.