Facebook rejeita pressão ao se recusar a criar um emoji cristão



O Facebook informou que não criará um emoji cristão, uma cruz, resistindo, assim, às pressões de religiosos que têm feito um campanha para que possam usar o seu símbolo nas interações da rede social.

A campanha foi uma reação a criação em junho de 2017 de uma bandeira com as cores do arco-íris, para o uso da comunidade gay e simpatizantes.

Com dois milhões de seguidores, Josh Feuerstein é um dos líderes da campanha.

Ele diz que os Facebook persegue os cristãos.

A questão tem sido debatida com entusiasmo nos perfis americanos do Facebook.

Há argumento como o de que, se o Face criar o emoji cristão, terá de fazer o mesmo com centenas de outras religiões, o que alimentaria os discursos de ódio.

Tentativa de
cristianizar o Face

Com informação do Huff Post.



Facebook recupera página de ateus a pedido de Dawkins