Vítimas de padres pedófilos da Austrália recebem US$ 276 mi



do site Religión Digital

A Igreja católica australiana pagou mais de 213 milhões de dólares americanos (ou 200 milhões de euros) às vítimas de padres pedófilos em resposta às denúncias feitas entre 1980 e 2015.

A informação é de Gail Furness, a advogada conselheira da comissão governamental que estuda a adoção de medidas institucionais contra os abusos sexuais de crianças em organizações públicas, sociais e religiosas.

Cerca de 4.500 pessoas apresentaram queixas por supostos incidentes de abusos sexuais, embora alguns dos crimes remontem ao início da década de 1920, de acordo com a cadeia local ABC.

Furness explicou que os pagamentos abrangem indenizações, tratamentos e custos legais, entre outros.

A média dos pagamentos foi de 66 mil euros por caso.

O Irmãos Cristãos arcaram com a maior quantidade de desembolsos.

“Essa ordem fez 763 pagamentos, que totalizam cerca de 35 milhões de euros”, disse Furness.

Em 2016, a comissão apresentou 99 recomendações às autoridades sobre como atender as vítimas, além de um plano de compensações de 4 bilhões de dólares australianos (cerca de 2,8 milhões de euros) financiado pelos centros nos quais foram praticados os abusos.

Comissão governamental investiga
 abusos sexuais na Igreja Católica

Com tradução de André Langer para IHU Online. A foto acima é uma montagem meramente ilustrativa.

Envio de correção.



Morre padre brasileiro citado no filme da pedofilia na Igreja