País de ateus, Holanda fecha prisões por falta de criminosos



Adivinhe qual foto é a de um 'presídio cristão'?
No Brasil, vereadores evangélicos propõem com frequência leis que obrigam a leitura da Bíblia em  escolas ou o pai-nosso.

Eles argumentam que, assim, os jovens terão um padrão moral, de bom comportamento.

Trata-se de uma ignorância grassa ou má-fé, engodo. Ou tudo junto.

Primeiro porque esses vereadores demonstram que desconhecem a íntegra da Bíblia, onde há péssimos exemplos de moralidade, como extermínio de povos em nome de Deus.

Segundo porque ser cristão ou seguidor de qualquer religião não é garantia alguma de civilidade.

A história está aí para quem quiser conferir.

Pela lógica desses vereadores, a Holanda, com mais da metade da população formada por não religiosos, deveria ser um país de violência, muito mais que o Brasil, onde a maioria das pessoas é cristã.

E, no entanto, a Holanda, um “país de ateus”, como é chamada, está fechando prisões por falta de criminosos, enquanto as penitenciárias brasileiras estão lotadas.

Na última década, o número de detentos na Holanda caiu 43%, justamente no período em que, coincidência ou não, acelerou-se lá o processo de secularização da sociedade.

Dados de 2015 revelam que a Holanda tinha naquele ano 11 mil detentos, o que dá um para cada 100 mil habitantes.

No Brasil, essa proporção de 300 para 100 mil.

De 2013 a 2015, a Holanda fechou 19 prisões e, das que se encontram funcionando, muitas têm celas vazias.

Os vereadores que gostam de misturar religião com política ignoram informações como essa, provavelmente por causa de uma mescla de burrice com conveniência.

Porque a explicação mais razoável é que esses políticos vivem do proselitismo religioso barato, o que é, isto sim, uma deformidade moral, porque eles, assim, fisgam principalmente as pessoas mais carentes e com pouco grau de escolaridade.

Com informação da Superinteressante e de outras fontes..

Envio de correção.



Leitura de Bíblia em escolas de Içara é inconstitucional