Igreja Presbiteriana dos EUA aprova casamento gay

Igreja acata que casamento
ocorre 'entre duas pessoas',
 independentemente do sexo
A Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos vai realizar cerimônia de casamento entre pessoas do mesmo sexo. A igreja possui cerca de 1,8 milhão de seguidores. É a maior representação presbiteriana no país.

A maioria das 171 instâncias regionais da igreja aprovou a união gay validando um texto segundo o qual o casamento é o “compromisso único entre duas pessoas”. Em sua versão anterior, o texto dizia que o casamento é a união entre “um homem e uma mulher”.

A alteração, que entra em vigor no dia 21 de junho, já tinha sido aprovada em 2014 pela Assembleia Geral da Igreja, ocorrendo agora a ratificação pelas regionais presbiterianas.

Naquela ocasião, a assembleia deu sinal verde aos pastores em Estados onde o casamento gay é permitido para casar pessoas do mesmo sexo.

Na última década, a Igreja Presbiteriana perdeu 500 mil seguidores.

Agora, para os conservadores, por causa do casamento gay, tende haver maior fuga de fiéis. Mas, para os liberais, a igreja deverá atrair novos contingentes de cristãos.

Para David Gushee, professor de ética cristã na Universidade de Mercer, em Atlanta, o estigma histórico e a rejeição aos homossexuais por parte de igrejas estão caindo como uma carreira de dominó.

Com informação das agências.





Varella critica imposição de pastores contra casamento gay