Ateus contam que sua dedicação ao voluntariado causa espanto

por Alessandra Oggioni
para o portal iG

Bondade de Erika
provoca espanto
 
Uma das passagens mais conhecidas da Bíblia, a parábola do bom samaritano descreve um episódio narrado por Jesus no Evangelho de Lucas (10: 25-37). Na história, um homem é atacado por ladrões que o espancam e o deixam, nu e quase morto, na estrada. Por ali passam primeiramente um sacerdote e um levita, homens dedicados à religião, que fingem não ver o ferido. O terceiro a vir pela estrada é um samaritano. É ele quem socorre o desconhecido, cuida dele, o leva a uma hospedaria e paga a conta. O trecho é tão famoso que “bom samaritano” virou um sinônimo de pessoas que fazem o bem.

Erika, Leonardo e Wendell são bons samaritanos. Além da disposição para ajudar desconhecidos, eles têm em comum o fato de serem ateus. E, justamente por isso, se acostumaram a lidar com o espanto das pessoas.

“Como uma pessoa tão boa como você não acredita em Deus?”. Essa é uma pergunta que a professora Erika Kodato (foto acima) 40, ouve com frequência. Ateísta, ela vai toda semana a um abrigo de menores à espera de adoção para dar não só aulas de reforço escolar, mas também carinho de mãe. “Se você é ateu, não esperam de você atitudes de solidariedade. É como se você fosse uma pessoa individualista ou materialista simplesmente porque não crê em Deus”, diz ela.

Na entidade Casa São José, em Arujá (SP), Erika trabalha com sete crianças entre 7 e 14 anos. Além do carinho, beijos e abraços, a professora auxilia nas dúvidas da lição de casa, ensina origami e faz atividades para desenvolver o apredizado. “É uma espécie de reforço escolar mais individualizado. As crianças geralmente têm pai e mãe para fazer isso, mas estas não têm”, explica.

Erika é ateísta desde sempre. O avô e o pai dela também eram ateus, assim como três filhos da professora. Para ela, é muito natural não crer em uma entidade divina. Mas Erika entende que isso soa estranho em um país tão católico como o Brasil. “Até eu me pego usando expressões do tipo ‘graças a Deus’. Faz parte da nossa cultura”, conta, bem-humorada.

Embora o ateísmo já seja uma opção natural na família, ela diz que não ficaria chateada se um dos filhos decidisse seguir uma religião. “Vou achar legal, sinal que dei a eles liberdade suficiente para fazer o que quiserem. Acreditar em Deus é um sentimento. Algumas pessoas têm, outras não”.

Além do trabalho que faz na entidade, Erika também é expert em incentivar outras pessoas a se tornarem voluntárias. Professora de geografia em uma escola particular de Arujá, ela organiza visitas mensais dos alunos adolescentes ao abrigo, para fazer brincadeiras e contação de histórias. Ela também convenceu o professor de pilates a dar aulas regulares para as crianças. “A única coisa que digo é: se começou, tem que fazer pra sempre, porque eles se apegam mesmo”, conta.

Leonardo Dallacqua de Carvalho
Carvalho dá palestra
contra o preconceito
Também ateu, o historiador Leonardo Dallacqua de Carvalho (foto), 25, não vê cor, raça ou religião na hora de ajudar o próximo. Voluntário no Instituto Zimbauê, onde realiza principalmente palestras contra o preconceito racial, ele trabalha com temas relacionados à cultura negra – inclusive na defesa de religiões afro-brasileiras, como o candomblé. “O objetivo deste projeto é dar um espaço igualitário para esta religião. Meu papel, mesmo não acreditando em Deus, é buscar um espaço para que todos vivam em harmonia, onde os preceitos não sejam livros sagrados, mas a constituição brasileira”, diz.

Além deste trabalho realizado na cidade de Assis, interior de São Paulo, onde mora atualmente, Leonardo também faz parte da ONG Ágora, em Cândido Mota. Lá, ele dá aulas para adolescentes carentes em um cursinho pré-vestibular gratuito. “A intenção é ajudar pessoas que não têm recursos a ter uma educação com mais qualidade”. O professor Leonardo entra em ação todos os sábados, dando aulas de história e geografia para cerca de 40 jovens.

De família cristã, Leonardo se tornou ateu por convicção. “Sempre digo que a ética e o caráter são o que faz você se doar ao outro, não a espera de uma recompensa divina. O ateu acredita apenas na bondade”, esclarece.

Curiosamente, Leonardo também chegou a dar aulas de educação religiosa na rede pública. “Eu ensinava a história das religiões de maneira igualitária e sem posições ideológicas”, diz ele que defende que este tipo de aula deve ser facultativo.

A notícia de um incêndio na Favela do Moinho, no centro de São Paulo, em dezembro de 2011, despertou em Wendell da Costa Nascimento (na foto abaixo) o desejo de ajudar os mais carentes. Na época com 18 anos, o técnico em informática se sensibilizou com a situação dos moradores após a tragédia. “Resolvi arrecadar roupas e alimentos entre os amigos e levei tudo para lá”, conta Wendell, que é ateu.

Wendell da Costa Nascimento
Wendell presta ajuda
às pessoas de favela
O ato voluntário que ajudou cerca de 30 famílias foi o primeiro passo para que o trabalho fosse mais regular. Meses depois, Wendell organizou mais uma ação em favela, desta vez no bairro de Itaquera, também em São Paulo, após uma enchente, em 2012, quando novamente levou roupas e mantimentos.

Além do trabalho focado nas favelas, Wendell também participa de mutirões para distribuir comida a moradores de rua e ajuda na organização de shows beneficentes em prol de instituições de caridade.

Para ele, o fato de não acreditar em Deus não o impede de praticar a caridade. Wendell diz que muitas vezes as pessoas veem com desconfiança o trabalho realizado, mas isso não o aborrece. “Elas ficam impressionadas e me perguntam como um ateu pode fazer isso”, relata.

Wendell enfrentou um certo desconforto na própria família ao se tornar ateu, há dois anos. Apesar de os pais não terem religião, eles sempre foram muito crentes em Deus.

“Minha mãe se assustou um pouco, mas fui explicando que são minhas atitudes que mostram quem eu sou realmente”, conta.

“Eu faço este trabalho porque me incomoda ver tanta desgraça, e quero fazer algo para melhorar a vida dessas pessoas, dar esperança a elas. Isso me deixa feliz”, conclui o jovem.





Ateus são mais caridosos que crentes, sugere estudo
maio de 2012

Ateísmo


Comentários

  1. Se eu falar as línguas dos homens e dos anjos, e não tiver caridade, tenho-me tornado como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.

    Se eu tiver o dom de profecia, e souber todos os mistérios e toda a ciência; se tiver toda a fé a ponto de remover montes, e não tiver caridade, nada sou.

    Se eu distribuir todos os meus bens em sustento dos pobres, e se entregar o meu corpo para ser queimado, se todavia não tiver caridade, isto nada me aproveita.

    A caridade é longânima, é benigna, a caridade não é invejosa, não se jacta, não se ensoberbece,

    não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal,

    não se regozija com a injustiça, mas regozija-se com a verdade;

    tudo suporta, tudo crê, tudo espera, tudo sofre.

    A caridade jamais se acaba; mas quer haja profecias, desaparecerão; quer línguas, cessarão; quer ciência, desaparecerá.

    Pois em parte conhecemos e em parte profetizamos;

    mas quando vier o que é perfeito, o que é em parte desaparecerá.

    Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; desde que me tornei homem, dei de mão as coisas de menino.

    Pois agora vemos como por um espelho em enigma, mas então face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, assim como fui plenamente conhecido.

    Mas agora permanecem estas três: a fé, a esperança, a caridade; porém a maior destas é a caridade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sinto te dizer não é em nome de jesus que essas pessoas fazem isso, e como ateus devem achar a religião um lixo como todo ateu acha, elas não esperam nenhum benefício celestial , já rejeitaram em suas consciências qualquer presença do divino, elas fazem isso por serem humanistas e solidarias , não tem nada a ver com sua religião. Eu doei roupas cara que eu tinha para carentes e acho a bíblia um lixo e conheço bem a história e estória do cristianismo.

      Excluir
    2. Anônimo10 de abril de 2013 00:09.

      Eu iria dizer somente. Que legal! Seria ótimo se todo ateu fosse assim.
      Mas me deparando com o teu comentário e como é de praxe da maioria dos ateus cheio de arrogância resolvi escrever .

      Quero te dizer que o cristianismo da salvação vai muito além do fato de sermos caridosos ou não. A salvação proclamada pelo genuíno Evangelho que é centralizado em Jesus está baseada em boas obras sim, mas estas só podem nos salvar quando mostra que a nossa fé é viva e glorifica a Deus.
      Somos salvos não só pelas boas obras, mas também pela fé em Deus em conjunto. Ou seja, a fé verdadeira nos leva a praticar boas obras e estas devem glorificar a Deus.

      "Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, Tito 3:5"


      A grande diferença: Nos com humildade reconhecemos que nada podemos fazer sem a fé em Deus.

      "Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. João 15:5"
      "Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo. 1 Coríntios 15:11"

      A grande diferença: Os ateus arrogantemente pensam que tudo podem.

      "Não multipliqueis palavras de altivez, nem saiam coisas arrogantes da vossa boca; porque o SENHOR é o Deus de conhecimento, e por ele são as obras pesadas na balança. 1 Samuel 2:3"

      As obras dos ateus só tem recompensa nesta vida.
      As nossas obras que tem como objetivo e consequência a glória de Deus coopera com a fé para a salvação.

      Excluir
    3. Poeteiro de mão cheia.

      Excluir
    4. Gozado, esse filho de Abrão... Tem a arrogância de vir fazer pregação num site de cunho ateu/cético e ainda chama os ateus de arrogantes. Seria bom se todo crente agisse como esses ateu da matéria, mas isso é difícil: vocês, teístas, só fazem se tiver retorno (lugarzinho no céu, né...), ou por medo (do fictício inferno). Desinteresse? Passa longe de vocês.

      Ruggero

      Excluir
    5. Anônimo10 de abril de 2013 00:09

      Onde esta escrito Jesus seu bosta?

      Os ateus se consideram mais morais que os religiosos por não esperar nada em troca?

      Existe algum objetivo nesta moralidade pelos ateus, ou só o fazem pra se aparecerem?

      de onde vem este padrão de moralidade? da sociedade?

      N espero que vc entenda o que eu escrevi, mas n custa tentar né?

      Excluir
    6. Anônimo10 de abril de 2013 17:51

      quem disse isto foi Reinaldo Azevedo para o Tarso Genro

      Andou lendo o Reinaldo ou escutando o OLavo de Carvalho?

      Excluir
    7. gozado como estes religiosos só falam de caridade aliado a uma vantagem, mesmo que futura; nunca pensam somente em ajudar e ponto, sempre pensam que "ah, se eu ajudar, meu amigo imaginário vai ver e vai ser legal comigo"...

      AJUDAR NEM QUE FOR UM BICHINHO, SE RESUME EM FAZER O BEM PARA SE SENTIR MELHOR CONSIGO MESMO, E NÃO AGRADAR X OU Y...

      Excluir
  2. Estamos olhando para o futuro.

    ResponderExcluir
  3. no facebook numa página com milhares de fãs foi perguntado se os ateus conheciam algum grupo religioso na cidade onde moravam engajados com algum projeto social. A maioria esmagadora das respostas foram não, aqui na minha cidade evangélicos não fazem nada, só os católicos e com ajuda da população e não da igreja , eles mantém obras muito importantes aqui , um centro de reabilitação de drogados, e um abrigo para pessoas carentes doentes e abandonadas..Acredito que são altruístas , com religião ou sem religião estariam fazendo o mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. centro de reabilitação de drogados = ong = verbas governamentais

      se essas verbas chegam mesmo até as instalações da ong, são outros 500

      Excluir
    2. Sinceramente não sei dizer se eles recebem ajuda federal ou estadual ou municipal, mais o homem que cuida disso é bastante idôneo ele nem é rico tem filhos adotivos.

      Excluir
    3. Sempre assim, diante da comunidade é um pobre coitado que não ostenta nenhum luxo ou conforto, mas somente luta incessantemente para ajudar os mais necessitados...

      Já vi esse filme milhares de vezes.

      Excluir
    4. Ateus não costumam ficar se propagandeando como os religiosos, tipo "Vejam, sou ateu e estou contribuindo para esta obra! Estou fazendo esta doação!" Eu, mesmo, costumo doar cestas, fazer doações a algumas instituições e NUNCA precisei me dizer ateu para isso. Faço porque é bom. Só isso. Não preciso fazer isso porque pertenço a essa ou aquela igreja, este ou aquele grupo (até participaria , porque existe um ente invisível que vai gostar disso, etc.

      Ruggero

      Excluir
  4. Pro ateu fazer o que Deus mandou sem aceitar que Deus mandou, pois Deus não existe, é como se o ateu fosse Deus de si mesmo, pois o Deus de si mesmo não precisa cumprir ordens, o Deus de si mesmo faz por que quer.

    Já os que crêem que Deus existe, fazem porque Deus mandou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E melhor fazer o que Deus manda e assim ter vida e alegria.

      "Porém Samuel disse: Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros. 1 Samuel 15:2

      "Quando Jesus dizia estas coisas, uma mulher da multidão exclamou: "Feliz é a mulher que te deu à luz e te amamentou".
      Ele respondeu: "Antes, felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e lhe obedecem".
      Lucas 11:27-28

      Do que pensar que é Deus e ser comido pelos bichos.

      "E num dia designado, vestindo Herodes as vestes reais, estava assentado no tribunal e lhes fez uma prática.
      E o povo exclamava: Voz de Deus, e não de homem.
      E no mesmo instante feriu-o o anjo do Senhor, porque não deu glória a Deus e, comido de bichos, expirou.
      Atos 12:21-23

      "Já foi derrubada na sepultura a tua soberba com o som das tuas violas; os vermes debaixo de ti se estenderão, e os bichos te cobrirão.
      Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!
      E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte.
      Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.
      E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo.
      Isaías 14:11-15

      Excluir
    2. Filhote de Abrão fica alegre em ser servo, em fazer por ser mandado. Já nós, ateus, fazemos por total desapego. Por altruísmo, mesmo. Coisa que passa longe dessa gente "mandada por Deus"...

      Ruggero

      Excluir
    3. se acabar copiar e colar, religioso some do mundo... só sabe citar passagens do gibi... parece que nao conseguem formular uma frase sozinho.

      Excluir
    4. Filho de Abraão, Deus não mandou Abel fazer oferta, mas aceitou a oferta de Abel.

      Excluir
  5. Sei bem como é essa reação. Todos os anos no órgão público onde trabalho, é organizada uma campanha para presentear uma criança no natal. Representantes do órgão escolhem alguma escola ou creche da periferia e todas as crianças escrevem uma carta contando o que gostariam de ganhar no natal. Essas cartas são fixadas num mural enorme na entrada do órgão e os funcionários são incentivados a "adotar" uma carta e presentear a criança.

    Todos os anos participo dessa campanha, geralmente escolhendo mais de uma carta. Na última campanha (para natal de 2012), um colega de trabalho (evangélico) me viu escolhendo 03 cartas no mural e, sabendo que sou ateu, fez o seguinte comentário:

    - Nossa, é o fim do mundo! Até o ateu está sendo caridoso! O mundo vai mesmo acabar dia 21/12 ...

    Como se o fato de ser ateu fosse um impedimento para ajudar as pessoas. Aquilo me deixou profundamente chateado, e me deu vontade de socar a cara do rapaz, mas nem precisei. Uma das organizadoras da campanha que presenciou o comentário chamou a atenção dele dizendo que aquele era o quarto ano que eu participava da campanha, e que ele, como cristão, deveria seguir meu exemplo e ajudar o próximo ao invés de tecer comentários maldosos. Ele ficou extremamente sem graça e sem reação. Pra mim, aquilo para ele foi pior que um soco na cara.

    Infelizmente as pessoas tem essa imagem do ateu: a de uma pessoa sem coração, insensível ao sofrimento alheio. Como se apenas os que têm "deus no coração" fossem capazes de ser solidários.

    Eu estou de casamento marcado para o mês que vem, e fiz questão de entregar o convite para esse meu "colega". Ele fez uma cara de espanto ao ver que ao invés de pedir um presente, os convidados apenas precisam dar uma cesta básica. Todas serão doadas para duas instituições que cuidam de crianças de famílias pobres.

    A meta é arrecadar 100 cestas básicas, e todos os que foram convidados elogiaram a iniciativa.

    Portanto, não é preciso ter deus no coração para ser uma pessoa de bem. Basta ter princípios morais e éticos. Infelizmente, na visão dos crentes, de nada adianta os meus gestos de solidariedade. Irei para o inferno por ser ateu, segundo eles. Amém?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa sua atitude Walter, parabéns.

      E realmente, ocasionalmente temos que lidar com algum preconceito contra ateus, como se fossemos cruéis e sem escrúpulos.

      Uma vez me perguntaram se eu acreditava em Deus, e eu disse não. Nisso a pessoa pergunta "Então você segue o Diabo??". Eu culpo parte dos líderes religiosos, que muitas vezes pregam o ódio e impõem preconceitos.

      Excluir
    2. Walter, seu depoimento me emocionou. Eu sei o que é isso. Eu me sinto extremamente ofendido quando assumem que ateus são egocentricos e materialistas. Me ofendo quando assumem que por ser religioso as chances desta pessoa ser uma pessoa solidária aumentam em contraponto a aqueles que não possuiem religião.

      Já começamos tendo que provar que não somos um demônio... e a grande injustiça é que tem religioso filho da puta "a rodo" sendo considerado "pessoa de bem", quando é o que menos merece tal título.

      Excluir
    3. Valter, me mande um convite só para eu te enviar uma cesta básica. Faço questão de apoiar esta idéia.

      Excluir
  6. Meu namorado é ateu (assim como eu) e concede muita ajuda a pessoas necessitadas, além de ser humanista declarado, sempre lutando pelos direitos de mulheres, negros, homossexuais, pobres, pessoas com doenças mentais, entre outros segmentos perseguidos pela sociedade.

    Além de, já fazendo parte da personalidade e natureza dele, ser gentil e compreensível com todos os tipos de pessoas que se aproximam dele.


    Ele é um dos muito exemplos de que você não tem que ter uma religião/acreditar num deus pra ser uma pessoa de bom coração.

    ResponderExcluir
  7. Tinha acabado de ler essa materia no ig. Muito bom mesmo.

    ResponderExcluir
  8. Ateus fazendo alguma coisa de graça? Pode esperar, que ele e satanás, estão trabalhando juntinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh não, você descobriu sobre a nossa aliança secreta???
      Agora vamos ter que nos reunir com Satan - O Grande - pra traçarmos uma nova estratégia de propaganda pra ludibriar esses santos seguidores do nazareno!!!

      Vocês podem ser espertos, mas nós somos infernais e não desistimos nunca!!! Hiaaaaakkakakakaka (risada diabólica)

      Excluir
    2. Favor nao alimentar o crentroll

      Excluir
    3. Pensei em fazer um comentário desse tipo em tom de piada, mas desisti porque o assunto me pareceu sério. E ai o cara joga essa pérola. Tem que ser gozação.

      Excluir
    4. Por isso mesmo eu respondi de forma irônica e satírica, pois não dá pra levar a sério um crentroll desse, não sem se aborrecer bastante!

      Excluir
    5. Sempre fiz atitudes altruístas sem esperar nada em troca, a não ser a alegria da pessoa que recebe a ajuda ou doação. Você, anônimo de 10 de abril de 2013 02:06, é que demonstra um gigantesco mau caratismo com esse comentário. Quem faz essas coisas por interesse é justamente esse povo que quer comprar 'lugar no céu'...

      Ruggero

      Excluir
  9. Esse espanto tem explicação: a tentativa das religiões – mormente cristãs – de monopolizar a moral e a ética. Sempre tentaram disseminar que o bem vem através da crença divina de suas religiões, ao invés de reconhecer que isso está presente na natureza humana, e pode ser parte ou não da formação do caráter individual.

    Isso faz parte de um ranço da tentativa de imposição social das religiões. Tenta-se impor que as religiões são necessárias e importantes, ao invés de tratá-las como liberdades individuais e sentimento privado, assim beneficiando as religiões majoritárias. E como essa imposição está presente desde que o indivíduo se entende por gente, esse “espanto” torna-se comum, pois as pessoas acabam sendo levadas a tratar os ateus como pessoas desprendidas de conceitos éticos e morais voltados ao próprio humano. Acabam sendo preconceituosas, intencionalmente ou não.

    Quanto à expressão “graças a deus” que a Professora se pega falando, isso não faz parte da nossa cultura (o Brasil é multicultural). Trata-se, para quem não utiliza a expressão com fé, de simples gíria, podendo até mesmo se tornar um vício de linguagem. Da mesma forma que a pessoa aprende a utilizá-la quase inconscientemente por repetir o que escuta rotineiramente, ela tem toda capacidade de se policiar e aprender a não mais utilizar. Assim como existem pessoas que não possuem o hábito de usar tal gíria, por sua cultura não ser monoteísta ou até mesmo não ser religiosa (meu caso).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "as pessoas acabam sendo levadas a tratar os ateus como pessoas desprendidas de conceitos éticos e morais voltados ao próprio humano."

      O pior é que, quando uma pessoa se sente muito marginalizada (conforme os religiosos tentam marginalizar todos que não pertencem a seu grupo), ela se torna mai propensa a se desprender de muitos "princípios e valores" atrelados a religião, principalmente à "moral" no que tange ao puritanismo sexual e também a parte do que poderia ser considerado como ética pelos religiosos. Diante da demonstração deste desprendimento (seja do moralismo sexual ou da ética hipócrita), os religiosos novamente fazem um julgamento maldoso sobre a índole daqueles que "não têm deus no coração". É um ciclo vicioso, extremamente injusto e muito perigoso!

      Se analisarmos e pensarmos direitinho, veremos que de fato a religião deveria ser classificada como ideologia de ódio, e portanto, extirpada do seio de qualquer sociedade civilizada.

      Excluir
    2. O cristinaismo foi enormemente bem sucedido fazer todos acreditar que uma pessoa precisa temer e adorar a deus... Quanto mais religiosa, melhor será essa pessoa.

      A percepção entre moralidade/ética ligada a religião, é uma das coisas mais desastrosas que aconteceram na humanidade. As pessoas querem ser boas e acabam acreditando que elas só podem expressar essa bondade através de um doutrina religiosa. Aos poucos passam a ser instrumento de uma dinâmica de poder e dominação. A crença de que está fazendo o bem passa a ser maior do que o desejo de faze-lo... É quando esses conceitos passam a ser deturpados.

      Excluir
  10. Acho engraçado os crentes que quando veem isso dizem, "no fundo, no fundo ele crer em Deus".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando não dizem que "eles não sabem, mas estão sendo instrumento nas mãos de deus, pois deus é o criador e coordena todas as coisas"...

      Excluir
    2. Quando ficam sem resposta, apelam para velhos clichês.

      Excluir
  11. Os ateístas (e os militantes gays, seus amigos) sempre me impressionam pela sua bondade!

    Fico cada vez mais espantado com a bondade desse pessoal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chupa essa, olavete

      Excluir
    2. O olavate aí é o tal de Leviatã.

      Excluir
    3. Espantado? Você vai ficar boquiaberto no dia que achar um teísta que faz o bem sem esperar o "presentinho dos céus"...

      Ruggero

      Excluir
  12. A religião sequestrou para si o direito a caridade.

    ResponderExcluir
  13. Por isso que eu sempre falo que a moralidade de um ateu é superior à de um religioso: nós somos bons porque chegamos à conclusão de que isso é o melhor... e não porque uma autoridade ditatorial cósmica nos ordenou a isso sob pena de tortura eterna (ou sob promessas de recompensas infinitas)

    ResponderExcluir
  14. É por essas e (muitas) outras que ateus são, na maioria dos casos, superiores aos religiosos, especialmente os evangélicos.

    Att.,

    Espancador de Pastores

    ResponderExcluir
  15. Posso soar rude, mas vamos encarar a verdade, a maioria dos ateus que fazem caridade só o fazem para convencer o resto de nós que o ateismo é uma coisa boa.
    Não faz sentido uma pessoa egoísta e pretensiosa que se acha um Deus, ajudar pessoas apenas por ajudar.
    Eu não tenho nada contra ateus, os vejo como um instrumento nas mãos do inimigo.Tenho fé que um dia vocês receberão a prova que tanto querem da existência de Deus(como se já não bastasse estarem vivos!). Paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engano seu, ateus não se acham deuses. Não quero ocupar o lugar de uma divindade, pois elas não existem. Só quero viver de forma livre, ser quem sou e ser respeitado por isso, assim como respeito os demais que vivem a minha volta. Para mim o conceito de "deus" não é nada divino, mas sim a natureza viva que esta presente neste mundo. Você só é mais uma pessoa que interpreta aquelas que não pensam como você como uma aberração e que não merecem espaço na sociedade. Lamentável.

      Excluir
    2. O quão miseráveis são as pessoas que precisam crer num ser superior para expressarem alguma bondade!

      Maria Coelho, posso soar rude, mas vamos encarar a verdade, o comentário da senhora só serviu para nos convencer de que a crença em deus é uma muleta para pessoas perturbadas e sem nenhum amor no coração que carregam tão somente um temor de serem punidas, temor este lhes refreia o desejo de praticar o mal ao próximo, ao mesmo tempo em que os pressiona para realizar algumas boas ações a muito contra-gosto, mas somente pelo cumprimento de "ordens divinas".

      Vocês são um perigo, e a cada dia que passa eu confio menos em pessoas que se dizem crentes em deus!

      Excluir
    3. Hum....Não.

      Muitos o fazem e a maioria nem fica sabendo.
      Hoje dos 10 maiores humanistas e bem-feitores do mundo, mais da metade é ateu, incluindo o maior, o tio Bill.

      E que eu saiba, ele nunca saiu fazendo propaganda da religião (ou ausência dela) por aí.
      Quem gosta de aparecer é povo ligado a i(h)greja, que gosta de ganhar a salvação não de seu amigo imaginário, mas de sua comunidade.
      A grande maioria dos ateus fazem a chamada "caridade" (prefiro obras sociais), 98% dos mesmos não tem aquele comportamento típico de religiosos, de tirar fotos e postar nas redes sociais, o fazem porque se sentem bem, se massageia ou não o ego, eles guardam esta informação para eles.

      Se eu faço ou deixo de fazer? Eu tenho de saber, não sou um frango pra cacarejar quando boto um ovo.

      Inclusive existem estudos que provam que descrentes são mais filantropistas.

      Aqui a lista dos maiores filantropistas:
      http://www.businessweek.com/interactive_reports/philanthropy_individual.html
      Atheists are the most generous—even without heavenly reward!:
      http://ieet.org/index.php/IEET/more/pellissier20111125

      Pode falar o que quiser, a realidade não vai se alterar por isto.
      E viver não prova a existência de nada além da complexidade química do universo :^)

      Excluir
    4. Não fale do que não entende, um ateu faz bondade por saber que é o certo, ao contrário dos religiosos, que o fazem por medo do inferno. Semelhante a uma criança fazer algo por medo de apanhar do pai.

      Excluir
    5. Maria, acho que o egoísmo e o pretensiosismo aqui são seus.
      Como pode achar que por ser cristã, só você tem o direito exclusivo à caridade?
      Fazemos isso sem olhar a quem, e sem esperar algo em troca, como a maioria de vocês cristão não fazem.
      É ou não egoísmo isso?









































































      Excluir
    6. Maria, quando for a sua igreja/templo/terreiro conversar com seu deus, peça a ele que te ilumine essa cabeça preconceituosa e limitada.

      Excluir
    7. O velho papo dos crentóides: "Não tenho nada contra, mas..."

      Excluir
    8. Maria, é justamente por causa de pensamentos limitados como o seu que se criou esse estereotipo dos ateus. Seu raciocínio (?) é gritantemente preconceituoso e desrespeitoso.

      Bom mesmo é a lógica cristã: tenta fazer o bem por puro medo do inferno, ou por almejar a vida eterna no paraíso. Pessoas que pensam como você são nocivas, infelizmente.

      Excluir
    9. Besteira. Já doei cestas, doei sangue, brinquedos, etc. e NUNCA, nenhuma vez sequer fiz isso me 'arvorando' ateu. Não me acho um deus, como você, infeliz, acha que penso. Não me considero superior pelo meu ateísmo (mas sei que sou porque não me esquivo quando é para pensar e adquirir conhecimento). Já crentes, como você, são de uma arrogância impressionante. Se acham superiores mas são capazes apenas de opiniões como essa que você postou aqui. Só pra terminar, deus é como chifre: coisa que botaram na tua cabeça.

      Ruggero

      Excluir
  16. Para os xiitas que acham que alguém só por ser ateu e ajudar outro alguém, é algo de outro mundo, é algo com segundas intenções ou um espanto, saiba que a caridade e a bodade são características dos seres humanos (não todos é lógico). Porém que estão presente em nosso instinto e na nossa forma de se realicionar socialmente. Como o Dr. Drauzio disse, isso é comum em abelhas e formigas, e será que descobriram se estes insetos tem fé em deus???
    Pessoas independente de quem são podem ajudar sim, eu pelo menos vejo assim. Eu sempre que posso ajudo quem eu acho que deva ser ajudado. Quando minha rnda melhorar, vou fazer mais ainda.

    E como já disseram por aí, crentes em geral fazem caridade ou quase isso com a intenção da ida ao paraíso, de maneira a receberem proporcionamente, não porque desejem realmente fazê-lo.

    ResponderExcluir
  17. Bom, esse tipo de preconceito contra o ateu, infelizmente, nessa terra Tupiniquim, chega a ser normal, infelizmente. Mas eu penso que se os religiosos, uma certa parte, não gostam de nós apenas por sermos ateus ou se pensam de forma preconceituosa sobre os ateus, eu simplesmente taco um phoda-se. Se certos mentecaptos pensam assim, que eles vivam afastado de mim, esses tipos de pessoas certamente, não farão diferença em minha vida.

    Só que, quando um ateu decide fazer algo bom, pode considerar que esse algo é feito de coração, não por medo de certa divindade ou porque a mesma "obriga" seus seguidores a fazer, pois ao meu ver, quando um religioso age para ajudar alguém dessa forma, eu vejo como interesse, e não como um ato inteiramente benevolente, já que almeja um propósito, no caso dos cristãos, por exemplo, o tão sonhado Paraíso. Não generalizando, claro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "eu simplesmente taco um phoda-se."

      Até os crentelhos começarem a se meter em questões pessoais que te dizem respeito.
      Essa sua atitude é típica de brasileiro, de quem não sabe lutar por sociais e acha que os problemas se resolvem se deixar debaixo do tapete. O Sr. não tem uma atitude superior. O Sr. é um OMISSO.

      Excluir
    2. Bom, o exemplo foi sobre minha vida pessoal, eu sinceramente não me importo, eu sigo o meu caminho e eles o deles, não acrescentaria mais fios brancos às minhas madeixas por causa disso. Agora, se você quer insistir com eles sobre isso, vá em frente, você é livre para fazer isso, a vida é sua. Por outro lado, quando falamos de política, muda-se o assunto, mas, creio que você não compreendeu o que eu disse, não falei sobre política.

      Excluir
  18. "Não faz sentido uma pessoa egoísta e pretensiosa que se acha um Deus, ajudar pessoas apenas por ajudar."

    Bem, na mente fundamentalista obliterada, adestrada e, porque não dizer? de gente como você não deve fazer sentido mesmo.

    mas a verdade está aí: ateus fazem o bem sem olhar para quem, sem nenhuma religião para ditar-lhes o que é certo ou errado.

    Att.,

    Espancador de Pastores

    ResponderExcluir
  19. Mas muitos estão dentro do armário senão levam punhaladas !

    ResponderExcluir
  20. O ateu faz o bem e fica feliz em receber em troca um sorriso de felicidade. Já o crente, corre para a igreja 'prestar testemunho', como se estivesse concorrendo com os demais devotos ou quisesse se mostrar...

    Ruggero

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todavia, socialmente falando, talvez fosse interessante informar aos beneficiados de que tais ofertas não estão vindo de nenhum "enviado de deus", mas sim, de seres humanos simplesmente bons e que amam a humanidade por mera empatia, e não por "influência divina".

      Excluir
  21. Alguem disse: "Teístas, só fazem se tiver retorno (lugarzinho no céu, né...), ou por medo (do fictício inferno)".
    Por outro lado, Ateístas fazem pelo prazer de terem seus egos massegeados, a exemplo de matérias elogiosas como essa.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Por outro lado, macho(cados)" fazem pelo prazer de terem seus egos massegeados, a exemplo de matérias elogiosas como essa.

      Excluir
  22. "Ateístas fazem pelo prazer de terem seus egos massegeados, a exemplo de matérias elogiosas como essa."

    Nope.

    Ateístas fazem o bem porque querem, idenpendente de reconhecimento ou não.

    Simples assim.

    Mas, claro, comportamento altruísmo genuíno é algo complexo demais para a mente evangélica assimilar.

    Att.,

    Espancador de Pastores

    ResponderExcluir
  23. É chato ver este tipo de sujeito que quer ser mais cristão que o cristão e passa a vida a passar na cara do cristão que é mais cristão que ele. Um recalcado, um neurótico que não enxerga o quanto dos valores "humanistas modernos" que tanto defende, são puro cristianismo secularizado pelo Modernismo, sem enxergar que ainda defende os mesmos valores "hippies" de amor universal e visão de mundo cristã de um reino dos céus (na terra, como a religião - ops, digo "utopia" - marxista faz).

    Grande besteira, isto não deveria ser motivo de "orgulho" ateu nem virar notícia sensacionalista - só demonstra ranço, o mesmo ranço (no sentido nietzscheano) cristão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. chora mais crentalhão

      Excluir
    2. Anônimo de 11 de abril de 2013 19:32, seu comentário não tem nexo. Atribuir o humanismo a um “cristianismo secularizado” é pura falácia...

      Excluir

Postar um comentário