Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Vaticano comprou imóveis com dinheiro de Mussolini, diz jornal

Mussolini obteve apoio
 de Pio XI, e a Igreja Católica
 está no lucro até hoje
O Vaticano tem em Londres dezenas de imóveis — alugados para bancos, escritórios e joalheiras de luxo — que foram comprados com o dinheiro que o papa Pio XI (Ambrogio Damiano Achille Ratti, 1857-1922), recebeu do ditador Benito Mussolini (1883-1945) em troca do reconhecimento do regime fascista. Fez parte dessa negociação o Tratado de Latrão, que deu ao Vaticano o status de Estado, independente da Itália.

A informação é do jornal britânico The Guardian, que, noticiou, tem provas encontradas em arquivos públicos antigos e históricos de empresas de que as propriedades pertencem ao Vaticano.

De acordo com o jornal, o Vaticano investiu o dinheiro que recebeu de Mussolini em paraísos fiscais, até que o montante chegasse ao longo dos anos a € 680 milhões (US$ 904 milhões). A Santa Sé usou parte desse dinheiro para comprar imóveis no Reino Unido e em outros países europeus em 2006, durante a  bolha imobiliária (preços em alta).

No Reino Unido, segundo o jornal, o Vaticano comprou propriedades na Praça St. James, em Londres, e na cidade de Coventry. Em cidades francesas e suíças, a Santa Sé tem edifícios de apartamentos.

As propriedades na Praça St. James estão em nome da companhia britânica GroLux Investments Ltda., cujo acionista majoritário seria o Vaticano. O jornal conseguiu identificar dois outros acionistas, os banqueiros católicos John Varley (executivo do banco Barclays) e Robin Herbert (ex-executivo do banco Leopold Joseph).

The Guardian enviou cartas para os dois perguntando sobre os principal acionista da companhia, mas não obteve resposta. O jornal também questionou John Jenkins, contador da GroLux. Ele disse que não poderia dizer quem é o dono da companhia — a legislação britânica permite esse sigilo. "Não estou autorizado pelo meu cliente a fornecer qualquer informação", disse.

Também procurado pelo jornal, o arcebispo Antonio Mennini, representante do Vaticano em Londres, comunicou que não falaria sobre o assunto.

O jornal criticou o Vaticano por manter em sigilo o dinheiro que recebeu do regime fascista, porque, se isso poderia ser compreensível durante a guerra, agora não faz mais sentido.

Pio XI é o autor da encíclica Quadragesimo Anno, que faz dura crítica à ganância internacional dos capitalistas.

Com informação do The Guardian.





Igreja ajudou fascismo até com fornecimento de armas
agosto de 2012

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...