Críticos do islã temem acusação de preconceito, diz Dawkins


O cientista britânico Richard Dawkins afirmou que o Islã, embora seja “um dos grandes males do mundo”, seus críticos temem ser acusados de nutrir preconceito contra os muçulmanos.

"Estamos com medo de sermos chamados de islamofóbicos”, disse o militante ateu.


“Essa religião é uma vergonha”, acrescentou, porque em nome de Deus condena os infiéis à morte. “A grande maioria dos muçulmanos não sonha em fazer isso, mas uma minoria coloca esses ensinamentos em prática”, afirmou. “E coisas terríveis acontecem.”

Ele fez essas afirmações em sua palestra “A Ilusão de Deus” durante o Festival do Livro Faclan Hébridas, na cidade de Stornoway, na ilha de Lewis, Escócia. A sua participação foi precedida por um clima de tensão, porque a região é um tradicional reduto de cristãos fervorosos.

Quando os organizadores do festival anunciaram que tinham convidado o militante ateu, pastores afirmaram que se tratava de um desrespeito para com a religiosidade da população local. O pastor Donnie Stewart, por exemplo, disse que ia orar para que Dawkins recebesse a iluminação do Espírito Santo.

Apesar disso, houve grande interesse pela palestra de Dawkins, e a plateia o aplaudiu com  entusiasmo, principalmente quando ele falou sobre o medo que as pessoas têm de criticar o Islã e que Deus não existe.