Pastor-deputado Feliciano diz que Aids é ‘doença gay’

pastor Marco Feliciano
Pastor retomou o estigma
dos primeiros casos de HIV
A participar do Congresso dos Gideões Missionários da Última hora, realizado em abril em Camboriú (SC), o pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP), na foto ao lado, disse que a Aids é “uma doença gay, é uma doença que veio desse povo”.

A manifestação do preconceito contra os homossexuais está registrada em um vídeo que o próprio pastor acaba de postar no Youtube [ver trecho abaixo].

Na condição de “profeta, pregador e parlamentar”, Feliciano criticou o “ativismo gay” infiltrado no governo brasileiro.

“Eles [os ativistas] usam da mesma linguagem de Hitler”, disse. “O problema são as pessoas que têm na cabeça o engendramento de Satanás. São homens e mulheres que usam os mesmos mecanismos que Stalin usou em seu comunismo nazista.”

O pastor reclamou das acusações de que ele é fanático religioso e homofóbico.  Ele se queixou até seus colegas da Frente Parlamentar Evangélica, porque parte deles, disse, não o apoiou na proposta de realizar um plebiscito sobre o casamento homossexual.

 "É uma doença que veio desse povo"


Íntegra do vídeo.





Pastor da Frente Parlamentar quer ser presidente do Brasil
setembro de 2012

Marco Feliciano  Fanatismo religioso. Homofobia