Paulopes

Religião, ateísmo, teoria da evolução e astronomia

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Livro de astrofísico defende que o universo surgiu do nada

Título original: Do nada

por Hélio Schwartsman para Folha

"Um Universo 
do Nada' é uma
 obra fascinante" 
Destacam-se, hoje, duas formas de ateísmo. Há aquele mais militante, de Richard Dawkins e Christopher Hitchens, que procura nos convencer de que a ideia de um criador é absurda, e há um outro mais sutil, dos físicos, que, seguindo a tradição inaugurada por Laplace, sugerem que Deus é uma hipótese desnecessária.

Foi lançado há pouco nos EUA um bom exemplar dessa segunda categoria. Trata-se de "Um Universo do Nada - Por que Existe Algo em vez de Nada", de Lawrence Krauss [astrofísico]. É uma obra fascinante que se vale de doses quase compreensíveis de cosmologia e física de partículas para traçar uma história do Universo. Complementa essa sopa de ciência com instigantes observações filosóficas, que, mesmo que não façam o eventual crente mudar de campo, ao menos o deixam mais informado acerca do que está em jogo.

Krauss mostra que existem evidências empíricas razoavelmente sólidas de que o Big Bang ocorreu 13,72 bilhões de anos atrás, de que o Universo está se expandindo de forma acelerada e de que partículas virtuais surgem e desaparecem no espaço a todo instante. Revela ainda que há motivos para acreditar que nosso Universo possa ser apenas um de uma coleção de realidades independentes chamada de multiverso.

A partir dessas e de outras pistas, Krauss vai compondo um quadro de como tudo isso poderia ter surgido do nada sem violar as leis da física e a matemática. E a explicação resumida é que o nada, compreendido como espaço vazio, é instável, tão instável que o surgimento de algo se torna quase inevitável. E esse algo, desde que submetido às condições certas, pode converter-se num universo. Isso teria ocorrido pelo menos uma vez, resultando no nosso Universo.

Krauss encerra a obra dizendo que isso tudo não basta para excluir definitivamente um Criador, mas é o suficiente para torná-lo, na melhor das hipóteses, redundante.

Krauss: 'Tudo veio do nada, e quem dá sentido à vida somos nós'
janeiro de 2012





Crer que um deus criou tudo é preguiça mental, afirma Krauss
abril de 2012
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...