Igrejas evangélicas são lojas de fast-food, afirma sociólogo



O sociólogo Eduardo Guilherme de Moura Paegle afirmou que as igrejas neopentecostais brasileiras se organizaram nos moldes de uma empresa de fast-food, em um processo que ele chama de “McDonaldização” da fé cristã.


Quem entrar em um templo da Igreja Universal, por exemplo, disse, encontrará a mesma estrutura administrativa e os mesmos cultos, com pouquíssimas variações, quer onde esteja, em São Paulo, Lisboa ou alguma capital africana.

Neopentecostais
 operam como
 empresas
“É como pedir um lanche Big Mac”, afirmou Paegle, que é doutorando pela Universidade Federal de Santa Catarina. “Vale tudo, até pregação pelo celular.”

Ele observou que, assim como os restaurantes de comida rápida, os templos da Universal oferecem várias celebrações durante o dia para pegar quem não tem horário disponível nos horários tradicionais de culto. “Se o fiel dispõe de pouco tempo, é possível dar ao menos uma passadinha no Drive-Thru da Oração.”

Paegle foi um dos estudiosos que a CartaCapital ouviu para compor a reportagem publicada nesta semana sobre a “avalanche evangélica” anunciada recentemente pelo IBGE.

A revista dá destaque para a possibilidade de os evangélicos passarem a representar um terço da população em dez anos. Ainda assim dificilmente a maioria da população se tornará evangélica em algum momento, na avaliação do sociólogo inglês Paul Freston, estudioso sobre o Brasil e professor da Universidade de Wilfrid Laurier, no Canadá.

Freston argumentou que o avanço evangélico vai até certo ponto porque o declínio da Igreja Católica tem um limite. “Há um núcleo sólido que não vai desaparecer.”

Além disso, segundo o professor, a cada duas pessoas que se afastam do catolicismo apenas uma adere a uma religião evangélica. Na avaliação dele, o máximo que os evangélicos podem conseguir são 35% da população.

E mesmo que os evangélicos cheguem a tanto, isso não implicará profundas mudanças na sociedade brasileira, diferentemente, portanto, do que alguns preveem e outros temem. Porque “quanto mais uma religião cresce, mais ela fica parecida com a sociedade na qual está inserida”.

De acordo com as observações do sociólogo Gedeon Alencar, autor do livro "Protestantismo Tupiniquim", já está havendo uma rápida transformação nas igrejas evangélicas.

“Quando eu era criança, os fiéis tinham de vestir roupa sóbria, não podiam usar cosméticos ou qualquer coisa que denotasse vaidade”, disse. “A TV era vista com desconfiança, os jovens não podiam praticar esportes.”

E tudo isso mudou ou está mudando, segundo Alencar. As roupas dos fiéis já não são tão sombrias e os cosméticos foram liberados. “Hoje há os ‘atletas de Cristo’, casas noturnas para evangélicos, bloco de carnaval.”

“Os evangélicos estão cada vez mais parecidos com os brasileiros”, afirmou. E as igrejas — ele poderia acrescentar — se assemelham cada vez mais com as lojas do McDonald’s.




Comentários

  1. @off Sugestão de materia...

    http://www.bispomacedo.com.br/2012/07/20/diabo-expulso-pelo-facebook/

    shuahuashusahusahusahu

    ResponderExcluir
  2. Macedo é tao patetico que chega a dar asco...

    ResponderExcluir
  3. Eu não me importaria nem um pouco com o avanço evangélico se eles não tivessem um projeto muito claro de poder que visa reduzir a laicidade do estado, influenciando em direitos fundamentais das pessoas. Assuntos importantes como direitos humanos (aborto, casamento gay, adoção por homossexuais), pesquisas científicas (células tronco, inseminação artificial, clonagem) e educação (teoria da evolução) por exemplo, acabariam discutidas sobre uma ótica completamente distorcida, baseada tão somente nba bíblia.
    35% podem não eleger um candidato, mas são suficientes para mudar o rumo de uma eleição (o embate Dilma x Serra provou isso) e mais importante, colocam muitos representantes no legislativo.
    Correndo o risco de pagar um mico "Regina Duarte", eu tenho medo de um Brasil evangélico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na educação tb podemos citar história e geografia, já que ele vão querer que ensinem que tudo o que tá na bíblia é histórico e que a terra é o centro do universo.

      Excluir
    2. Santa ignorancia...este pensamento sobre a terra é catolico e não protestante(evangelico)!Depois dizem que crente é burro!!rsrsrsr

      Excluir
    3. kkkkkkkkkkkkkkkkk quem disse que evangélico pensa que a terra é o centro do universo??? huahuahuahuahuahua quanta desinformação rsrsrsrsrs

      Excluir
  4. É uma perspectiva otimista, que, espero, se configure.
    Tem oorrido abusos em nome da religião neo-pentecostal contra outras denominações religiosas e mesmo contra a noção de separação de igreja e estado que são preocupantes. Se os numeros se estabilizarem e estas religiões "fast-food"passarem a defender discursos mais tolerantes, seria ótimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb espero q a visão do sociólogo se concretize, ele fez ótimas observações q já vinha percebendo. Esse neopentecolstalismo é a vertente mais capitalista(no mau sentido da palavra ) e fútil do cristianismo, um fast-food feito para agradar ao que as pessoas pobres querem e fazer ricos os pastores. E é importante lembrar q todo movimento tem uma mudança na direção alguma hora. Esse crescimento vai parar uma hora ( a universal já estagnou ), como ele mesmo disse há um nucleo católico que muito dificilmente vai mudar de religião, além de q os evangelicos podem se modernizar ( como ja fizeram um pouco ) e os ateus/agnósticos tem tudo pra aumentar a participação na porcentagem social. As coisas não estão tao ruins quanto parecem.

      Excluir
  5. Deus® vende mais do que sabão em pó...

    ResponderExcluir
  6. É isso aí. O que adianta crescer e num futuro próximo ser igual ou semelhante a sociedade comum? Temos que observar os modismos de épocas. Assim como protestantismo floresceu em parte da Europa Ocidental e depois arrefeceu-se dando lugar ao ateísmo e outras crenças o mesmo vai se repetir no Brasil.
    Ate conservadores do Cristianismo creem que o evangelho é temporário, pois ha uma passagem "o amor de muitos esfriará", eles creem que isso é o 'descriastisnimo' que ocorre com a religião depois de um tempo.
    .
    Mikkael,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você quis dizer "discristianismo", não é mesmo? Concordo com você e com esse post. Na verdade, sempre pensei semelhantemente ao sociólogo inglês Freston, todavia, acho que negligenciar nossa atenção sobre essa gente seria fatal.

      Excluir
    2. "o amor de muitos esfriará"... realmente a Bíblia diz isso, e quando isso acontecer no mundo inteiro, Quando o amor de muitos esfriar a nível GLOBAL, virá o fim! Cristo Voltará e aí vcs vão saber que Ele é Senhor, e como vcs falaram de coisas que desconheciam...

      Excluir
  7. Respostas
    1. Também acho.

      Excluir
    2. E ainda não limpamos a fralda.

      Excluir
    3. A merda tá pegando preço.

      Excluir
    4. Dou Gargalhadas Aqui25 de julho de 2012 17:53

      Pelo jeito só tem ateu cagão aqui...merda....fedendo...será que vcs não deram descarga nas vossas cabeças?kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  8. Uma coisa que eu acho positiva desse avanço evangélico é que tem obrigado a igreja católica a "descer do salto", para brigar pelas ovelhas terá que mostrar cada vez mais sua face mundana e mostrar que qualquer religião é muito parecida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas as seitas, igrejas e religiões cristãs são farinha do mesmo saco... Uma religião que se diz cristã (do novo testamento) mas vivem cultuando o Talmud Torah dos judeus.

      Jesus hoje é apenas um ícone mal interpretado, uma marca de fantasia, um mote de campanha publicitária, um produto de supermercado.

      O que mais interessa aos sacerdotes cristãos é sua freguesia, e com ela os lucros e os votos que arrebanha para seu poder político e econômico.

      Excluir
  9. _Arrogante e insolente: um pobre coitado, que não sabe o que sua boca sórdida está dizendo! _É apenas mais uma laranja podre tentando contaminar as outras!
    _Cheio de conhecimentos e neles, deposita toda a sua força! Na verdade, é um analfabeto!
    _Seria comum perguntar se não tem vergonha, sobretudo de banalizar algo tão Sublime quanto o que se vive no verdadeiro cristianismo, mas... é perda de tempo! É claro que não tem a mínima vergonha de sua atitude imbecil!
    _Escrever e ilustrar, algo putrefato como o texto acima, é uma grande imbecilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A verdade dói.

      Excluir
    2. E tu não tem vergonha, nem humildade, pra vomitar tanta besteira nessa área. O texto foi baseado em fatos, seu piripaque é baseado na raiva em ver desmascararem sua religião como um comercio qualquer.

      Excluir
    3. Pode bater pé, xingar, espernear a vontade, dar xilique, que não muda o fato de que sua igreja é uma empresa da fé, com franquias e tudo e seu idolatrado Macedão é um empresário eficiente e inescrupuloso. Sua cegueira é assustadora.
      Abra os olhos, sei que dói, mas vai passar.

      Excluir
    4. Quantas palavras de raiva e odio, hein ?

      Essa Salamandra mostra a verdadeira cara da religiao:

      O ódio.

      Excluir
    5. _O que escrevi foi acerca do texto de entrada e não para vocês!
      _Será que conseguiram enxergar algum nome?
      _É uma pena que não entendam uma única palavra! _Imagina a Palavra de Deus: não vão entender mesmo, (não por serem imbecis ou coisas do gênero) mas porque são absolutamente soberbos.
      _Tenho muita pena de quem fala do que não sabe, desenrola constantemente, a mesma ladainha da decepção e da generalização!
      _Estão doentes espiritualmente? Nem sabem o que é isso e não se permitem saber! _É muito triste!

      Excluir
    6. E o oscar da hipocrisia 2012 vai para....
      Salamalandra!

      Excluir
    7. _Que resposta pobre e limitada...., aliás, nem posso qualificá-la como tal!
      _Lamento por sua mente pequena e débil!
      _Durma bem!

      Excluir
    8. Você que sabe é um belo exemplo pra quem não sabe. Boa noite se for possível.

      Excluir
    9. Quando leio os comentários da largaticha , sempre lembro da frase atribuída a Ariano Suassuna que diz: "É melhor escrever errado sobre a coisa certa do que escrever certo sobre a coisa errada."

      Excluir
    10. Argumentar racionalmente com vc é ensinar uma samambaia de plastico a tocar piano. Só o que resta é a ironia e o sarcasmo.

      Excluir
  10. Isso é o pensamento da Idade do Bronze tentando se "adequar" à modernidade. Claro que ia dá nisso. E tem gente que cai como um patinho.

    Igrejas são um negócio muito lucrativo mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse pensamento da idade do bronze tem uma capacidade de adaptação que impressionaria o próprio Darwin.

      Excluir
    2. "Esse pensamento da idade do bronze tem uma capacidade de adaptação que impressionaria o próprio Darwin."

      Tem mesmo. Que nem o vírus da gripe.

      Excluir
  11. À medida em que eles vão procurando se modernizar( 'mcDonaldizar-se' ) consequentemente vão se descaracterizando e fugindo de suas raízes. Alguns pregadores, se não mudarem, vão ficar rapidamente ultrapassados. Serão os dinossauros do pentecostalismo daqui há algumas décadas. Não custará muito, e teremos a igreja dos fumantes e a dos apreciadores de cerveja ou alcoólicos etc.

    ResponderExcluir
  12. Tem no You Tube vários vídeos da Igreja Metropolitana, me pareceu muito igual ao evengelismo "fast food" de outras denominações, só que ela é feita por e para o homossexuais.
    Mostra bem a capacidade de adaptação do evangelho e a capacidade de procurar nichos de consumo.
    Inclusive é nessa igreja que estão as noivas do Bial, que irritaram tanto o Malafaia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem igrejas evangelicas voltadas para subcelebridades...

      Excluir
    2. Exatamente. Existem igrejas evangélicas para todos os os gostos e públicos hoje em dia e na minha visão isso pode, pelo menos eu penso assim, sinalizar uma pulverização, um enfraquecimento ou esvaziamento( perda do sentido ) do movimento neo-pentecostal. Significa que os fiéis vão se espalhar cada vez mais e vão ficar cada vez menos unidos entre si. Essa 'McDonaldização' pode ser o início da derrocada deles.

      Excluir
  13. Kouken, Kouken, Kouken...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zankoku na tenshi no you ni shounen yo shinwa ni nare.

      Excluir
    2. Itai koto sore dake ka?

      Excluir
    3. Taka khara numuro?Ouko saku sen sebhu?

      Excluir
    4. Fujiro Nakombi

      Excluir
    5. Say domuro synnão titako narote nuzoio!

      Excluir
  14. Minha querida Elza Campos e eu escrevemos justamente isso em 1990, no nosso TCC ("Os Vendilhões do Templo"), no curso de Jornalismo da Unesp/Bauru. Com o título de "O McDonald´s da fé", até o título de uma das reportagens do TCC remetia a essa tese. Sinal que nossa ideia fazia sentido. Ou que nosso TCC ainda é lido. Ou que, simplesmente, é fato tão óbvio que só não enxerga quem não quer. Assinado: Milton Rizzato

    ResponderExcluir
  15. É necessário entender que nem todos enxergam as religiões como algo sagrado. Entretanto, isso não significa que as religiões devam ser extintas; de forma alguma. A religião é, sem sombra de dúvida, muito útil. Foi e continua sendo fundamental para a construção de sociedades. Foram através delas, quer, nós ateus, queiramos ou não, que povos foram “civilizados”. Para entender isso é necessário ver o quadro todo e não apenas um espectro deste. Ademais, devemos entender o que significa “religião”, qual o sentido que essa palavra assume nos mais variados contextos. De um modo geral, quando dizemos “religião” queremos dizer um conjunto de doutrinas, de mitos e ritos, de crenças. Mas esse vocábulo carrega muito mais do que isso.

    O ser humano tem uma “maldição”: a de “religiosizar” o que lhe apeteça, ou seja, tornar religioso aquilo que lhe seja conveniente. Não há um livro de regras que regule isso. Tudo é feito ao sabor dos interesses locais e temporais. O uso da cruz como símbolo sagrado do cristianismo é um exemplo. Quem poderia imaginar que um instrumento de tortura e morte obteria um caráter sagrado? E se Jesus tivesse morrido enforcado ou apedrejado ou, ainda, empalado? È algo para se pensar.

    E o que dizer sobre a venda de objetos mágicos pelos pastores televisivos? Meia, caneta, redinha de cabelo, toalhinha, travesseirinho, martelinho. Objetos comuns que adquirem poderes sobrenaturais apenas por terem sido “ungidos” por esse ou aquele pastor. Isso é Cristianismo? Martinho Lutero, há mais de cinco séculos, já lutava contra isso. Parece que seu esforço de livrar o Cristianismo das vendas de indulgências fracassou. O que diria Lutero, o pai do protestantismo e, por sua vez, pai dos evangélicos, ao assistir um culto no qual o pastor oferecesse uma toalhinha mágica capaz de quitar a dívida de quem estivesse disposto a adquiri-la por um ofertinha “gratuita” de R$ 153,00? O que diria ele ao assistir um “testemunho” de um usuário da tal toalhinha que declarasse que foi Jesus quem pagou a sua dívida do banco? Com certeza, iria querer instalar uma nova reforma. Pior que objetos mágicos são os pastores que os vendem. E pior que esses são os incautos que os compram.

    Hoje, tal como no tempo de Lutero, o milagre é vendido em prestações que cabem em qualquer bolso. Parece que o ser humano não aprendeu; e por não ter aprendido está fadado a repetir o passado. Já o está.

    ResponderExcluir
  16. Ser humano Willpapp, já que as religiões não precisam ser extintas, então aceitemos elas. Na religião, um ser humano diz que Deus falou com ele e mandou dar um recado e quer que acreditemos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser humano Plim!

      De fato, as religiões não precisam e nem poderiam ser extintas. Mas é necessário entender o que significa "religião".

      Enquanto crença ela deve ser respeitada, mas, respeitada até que ponto? Até o limite da lei.

      Enquanto fomentadora e quardiã de cultura ela deve ser compreendida e entendida.

      Uma coisa é certa: elas não vão desaparecer. Religião é coisa de gente.

      Excluir
    2. Ser humano Willpapp, só que a partir da religião surge outra lei que vem através dos recados que o ser humano profeta recebe de Deus.

      Excluir
    3. Ser humano Plim!

      É você quem está dizendo.

      Religião é algo humano. "Deus" é algo humano. Essas histórias são algo humano.

      Excluir
    4. Estou dizendo aquilo que o profeta diz sobre Deus.

      Excluir
    5. Se o profeta, o pastor, o padre e todos os crentes concluírem que Deus é uma invenção humana, então a religião terá chegado ao fim.

      Excluir
    6. Plim!

      É por isso que existem ateus e crentes.

      Excluir
    7. Se os crentes chegassem à conclusão de que Deus é uma invenção humana com a ajuda de suas explicações, suas explicações ajudariam a extinguir a religião.

      Excluir
    8. Se os crentes, com a ajuda de suas(Willpapp) explicações, chegassem à conclusão de que Deus é uma invenção humana, suas(Willpapp) explicações ajudariam a extinguir a religião.

      Seria uma extinção das religiões, sem querer, querendo.

      Excluir
    9. Plim!

      Discordo. Religião não se presta a explicar os mistérios da vida; religião não tem como objetivo tornar as pessoas mais inteligentes. O objetivo das religiões é confortar as pessoas, é torná-las mais fortes diante do mundo e da vida. Não faltam pessoas que para serem confortadas. e não faltam religiões para confortá-las. Deus, nessa história, é apenas um mero detalhe.

      Excluir
    10. Se os crentes seguissem as explicações de Willpapp, os crentes deixariam de ser crentes, seria o fim da religião.

      Excluir
    11. A palavra suas gera duplo sentido.

      Excluir
    12. Plim!

      Cada um dá a interpretação que quiser.

      Excluir
    13. Mas eu já esclareci que o suas se a refere a explicações do Willpapp e não às explicações da Religião.

      Excluir
  17. Creio que afirmar que estão "McDonaldizando" a Religião Protestante é um exagero. O que está havendo é um maior derramamento do Espírito Santo, por isso tem-se multiplicado o número de fiéis das Igrejas. Quanto as Igrejas terem horário alternativos para os fiéi frequentarem, acho mais do que válido; haja vista muitos não poderem ir ao culto nos horários de início de noite.

    Esta história de "McDonaldizar" as Igrejas é um absurdo, e não procede.

    As Igrejas precisam mesmo de dinheiro para pagarem as contas de água, luz, aluguéis (em alguns casos), comprar terrenos para construção de novos templos,etc; é um fato. Se o dinheiro não é usado para essas causas nobres, o problema é do administrador -- ele que se haja com Deus e pague por isso. Cada um que faça a sua parte. Se outros não quiserem fazer, que paguem por isso. Simplíssimo assim. Nada de filosofias nem conjeturações, que apenas faz enlouquecer; mas que para muitos aparenta uma grande sapiência -- e o homem vai se afundando e se perdendo cada vez mais, e se distanciando de Deus. Depois diz: "Sou sábio, possuo bens e não preciso de Deus para nada!" Ledo engano.

    Deus seja louvado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resumindo: Deixa o pastor/bispo "meter a mão!"

      Excluir
    2. Quanta estupidez

      Excluir
    3. Roberto, não existe adoração a deus, o que existe é puro pavor. As igrejas trabalham como a mafia, dão o capeta de graça para depois vender (não dar), vender a proteção. O diabo o capeta, é materia prima do seu negocio.
      A igreja canalhisticamente faz com que o homem transfira o exito de seu esforço e sua coragem para eles. E o fracasso pra quem é.........Ora senhores crentes deixem de ser iludidos. Seus lideres não acreditam ou seguem o que falam.

      Excluir
  18. Quando leio os comentários da largaticha , sempre lembro da frase atribuída a Ariano Suassuna que diz: "É melhor escrever errado sobre a coisa certa do que escrever certo sobre a coisa errada."

    ResponderExcluir
  19. É grande o número de descrentes decepcionados com as igrejas evangélicas. Acho que elas acabarão por ajudar a secularização do povo.

    ResponderExcluir
  20. Existe uma nova categoria de crente, o crente pula pula, sai de uma e entra na outra, não acha nada em nenhuma.
    Ai inventa que não precisa, vai falar diretamente com o diretor presidente do céu. Depois vai devagarinho perdendo a vergonha e acaba ou inventando a propria ou desacreditando de vez.
    Sky Kunde ja constatou isso.
    Nossa amiga Salamandra, ainda vai chegar a mesma conclusão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk ótima observação. Ta cheio desses que caminham devagarinho para uma visão secularizada do mundo. Mas sem perceberem isso.

      Excluir
  21. A Salamandra, essa burra que só escreve asneiras nesse blog, DUVIDO, mas quanto ao assunto uma coisa é fato, Drive Tru da Fé= DINHEIRO RÀPIDO, a ALCATEIA dos PASPODRES agradecem. :!

    ResponderExcluir
  22. _Só não te chamo de burro, para não ofender o animal!
    _Se existisse alcatéia de idiotas, você estaria puxando a fila!

    ResponderExcluir
  23. Warner,

    >>"Seus lideres não acreditam ou seguem o que falam."

    Eu só posso falar por mim mesmo. Não sigo este ou aquele líder. Valdomiro e Edir, por exemplo, vejo-os com cautela; pois já vi coisas nos programas deles que me decepcionaram. R.R. Soares ja tenho uma melhor impressão; Silas, gosta de polêmicas, mas fala da verdade. Em suma, acho estes dois últimos melhores do que os primeiro. Mas a bem da verdade, nenhum homem é perfeito; em certo momento todos acabam frustando as aspectativas. Tomemos a exemplo nós mesmos, que em certos instantes agimos com tanto egoismo que depois acaba nos chocando. Mas o ser humano tem essa natureza inconstante mesmo. Por isso o nosso espelho é Jesus, pois ele é que foi perfeito, não teve mácula.

    Isto posto, reafirmo que posso até ouvir este ou aquele pregador, mas sobretudo procuro reter o bem que disser, e não inspirar toda miha vida nele -- Jesus, tão somente ele, deve ser seguido; nosso verdadeiro líder, à frente de tudo e todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior trouxa é aquele que prefere nem saber se esta sendo enganado. Lamentavel.

      Excluir
    2. pra ter malandro tem que ter otário...

      esse Betinho não sei se é otário (fiel) ou malandro (pastor)

      Excluir
    3. Roberto

      Sim, o ser humano é falho. Mas, falhar por acidente, sem querer, é algo que não se confunde com atitudes desonestas e conscientes por parte de alguns pastores. Esses pastores cometem crimes que só não são punidos devido a falta de seriedade desse país.

      Desses quatro cavaleiros do evangelismo moderno (Macedo, Santigo, Soares e Malafaia) o melhorzinho, sem dúvida, é o RR. Sinto que ele é sincero nos nonsenses que diz. Parece-me que ele, realmente, acredita no que diz. E para mim, isso é importante. Acreditar naquilo que se prega. Os outros me passam a imagem de enganadores.

      Ter uma religião, crenças religiosas, práticas religiosas é algo que se deve respeitar até certo limite. Sim, há um limite. E o limite é a lei. A lei dos homens. Lei essa que é, constantemente, agredida, infringida. A omissão das nossas autoridades em responsabilizar esses religiosos desonestos (veja bem, eu disse religiosos desonestos, que fique bem claro) é um sintoma de uma visão desonesta que não deveria existir entre o "povo de Deus". Esse corporativismo calhorda que se vê contribui muito mais para conferir a essas religiões populares um sentido negativo do que um positivo.

      Excluir
    4. Nada como pessoas inteligentes, que sabem separar o joio do trigo. assim a humanidade caminha para melhorar. Não vou citar nomes, mas gosto muito dos comentaristas desse blog, alguns ditam asneiras mas a maioria tem educação acima da média.

      Excluir
    5. O "missionário" (sic) R.R. Soares em sua página disse o seguinte: "O que não concordamos é em desviar os recursos humanos e financeiros destinados à evangelização e à proclamação da Palavra, para atender aos necessitados do mundo...o governo arrecada impostos justamente para fazer isso" http://www.ongrace.com/NP/rr/lerResposta…

      Excluir
  24. WillPapp,

    ">>Sim, há um limite. E o limite é a lei. A lei dos homens. Lei essa que é, constantemente, agredida, infringida. A omissão das nossas autoridades em responsabilizar esses religiosos desonestos ..."

    Concordo plenamente com você nesta questão. Há que se penalizar os infratores, não resta dúvida.

    Quanto ao R.R., esse Sr. passa-nos realmente credibilidade; ele crer no que diz: prega um Jesus vivo e atuante em nossas vidas: ajudando-nos continuamente nesta caminhada secular rumo à Glória.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O "missionário" (sic) R.R. Soares em sua página disse o seguinte: "O que não concordamos é em desviar os recursos humanos e financeiros destinados à evangelização e à proclamação da Palavra, para atender aos necessitados do mundo...o governo arrecada impostos justamente para fazer isso" http://www.ongrace.com/NP/rr/lerResposta…

      Excluir
    2. Dinheiro de trouxa é matula de malandro, e por aí vai.

      Excluir
  25. Muito interessante o estudo desses pesquisadores, mas vale lembrar que não devemos baixar a guarda. É sabido que os evangélidos têm um projeto de ir muito longe, e podemos perceber isso com a constante compra por parte deles de todos os tipos de mídia, bem como compra de horário em mídias ainda não evanjegues.
    Não devemos baixar a guarda achando que esse furor dos evangélidos pelo poder no Brasil, com a clara intenção de transformar o país numa teocracia ira desvanecer com o tempo. Não, isso é ilusão! A Bancada Evangélica está aí para comprovar, e também a crescente onda de homofobia, de pedido de ‘otoridades’ evanjegues para que os fiéis não assistam a novelas de temas católicos ou de outras religiões, a pressões por parte de evangélidos para que escolas e repartições públicas adotem o hábito de orar na entrada e saída, etc.
    Não baixemos, pois, a guarda, jamais!

    ResponderExcluir

Postar um comentário