Bíblia tem qualidades literárias? Essa questão divide ateus



O  cientista britânico Richard Dawkins (foto), embora tido como um militante radical do ateísmo, surpreendeu até religiosos ao defender a distribuição de exemplares da Bíblia aos estudantes das escolas públicas da Grã-Bretanha, dando assim apoio a uma intenção da Secretaria da Educação.

cientista ateu Richard Dawkins
Dawkins: 
Bíblia
 é patrimônio
da cultura
A argumentação de Dawkins é de que Bíblia possui qualidades literárias e valor cultural, além de ter o potencial de levar muitas pessoas à descrença, porque se trata de um inventário de perversidades validadas pelo Deus dos cristãos.

Nos Estados Unidos, outro cientista famoso (embora nem tanto quanto Dawkins) concorda que a Bíblia é um compêndio de horrores promovidos em nome de Deus, mas não endossa a avaliação de que seja uma obra que tenha valor literário.

biólogo PZ Myers
PZ Myers: texto
da Bíblia não
 tem valor
Trata-se do biólogo PZ Myers (foto), 55, professor na Universidade de Minnesota Morris e destacado combatente do design inteligente e do ensino do criacionismo nos Estados Unidos. Em 2009, ele ganhou o prêmio Humanista do Ano e em 2011 o de Humanista Internacional.

Em seu blog Pharyngula, PZ Myers escreveu que de fato a Bíblia é um livro tão repleto de mentiras e maus conselhos, que desmoraliza a reivindicação dos cristãos de que pregam a Justiça.

“Mas ele [Dawkins] vai longe demais ao considerá-la como grande obra de literatura”, disse. “Alguns fragmentos da Bíblia são excelentes, mas a maior parte é texto sem valor e incoerente, comparável a livro Crepúsculo ou à propaganda fascista.”

PZ Myers disse que a Bíblia tem sido “santificada” pela tradição e história, mas “nós somos capazes de fazer coisa melhor”.



Com informação do blog Pharyngula.

Ateu acusa religião de ter 'roubado' uma herança cultural, a Bíblia

Semelhantes