Padre impede que mãe solteira batize criança

De vez em quando aparece um padre que se mostra mais inflexível do que o papa – e olha que isso é difícil.

Desta fez foi o padre Delcimar Santos, responsável pela paróquia de Miguel Alves, interior do Piauí.

Ele mandou recado à dona de casa Cleide Coelho de que ela não podia ser madrinha de batismo de um filho de um casal de amigos por ser mãe solteira.

Para o padre, de certo, mãe solteira não é filha de Deus e é indigna de madrinha.

Isso é preconceito, disse Cleide.

“Nunca pensei que ainda hoje um padre fosse capaz disso. Os pais da criança são humildes e não têm como procurar outra igreja para batizar o bebê e, por isso, precisam se submeter a esse padre”, afirmou ela, conforme relato do jornal Meio Norte.

Cleide disse que ia procurar se entender com os superiores do padre, mas, antes que isso ocorresse, o vigário Geral da Arquidiocese de Teresina, o padre Gilberto Costa, se manifestou por causa da repercussão que o caso teve na imprensa de Piauí.

O padre Costa disse que a igreja não veta mãe ou pai solteiro para batizar criança, “salvo nos casos em que a pessoa não tenha condições de encaminhar a criança na fé cristã”.

Vai ver que foi isto: o padre Delcimar Santos decidiu que dona Cleide não é suficientemente cristã.

E o Santos, ele é suficientemente cristão para ser padre?

> Padre enfurecido com atraso não abençoa casamento. (setembro de 2008)

Comentários

  1. Regras são regras. Se a Arquidiocese decidir pelo não, que assim seja!

    ResponderExcluir
  2. NAO PODE SER APENAS POR ISSO A SENHORA N PODE SER MADRINHA..
    ESSA "ESTORIA" ESTA MAL CONTADA D+++..
    N ACREDITO NESSA REPORTAGEM,APENAS DE N SER CATOLICO N ACREDITO Q POSSA TER ACONTECIDO ISSO

    ResponderExcluir
  3. Aff, se for assim então metade das mulheres no Brasil não poderão ser madrinhas...
    Muitas são mães solteiras e não vão à Igreja...
    É por essas e outras que apesar de minha família ser católica, eu não vou à Igreja!!!
    A Igreja se esquece que quem pode nos julgar é Deus, e a mesma não é Deus em pessoa para nos julgar... Apenas " se auto entitula" como representante de Deus!!! Mas isso não lhe dá o direito de fazer isto com as pessoas.

    ResponderExcluir
  4. temos regras de seculos que devemos respeitar...

    ResponderExcluir
  5. Ora, é óbvio que ela não pode ser madrinha. Madrinha de batismo é uma pessoa que deve ser um dos nortes para direcionar a criança na fé católica, primeiramente, pelo exemplo. A Igreja é contra o divórcio. Pessoas divorciadas não podem ser madrinhas ou padrinhos de batismo. Pessoas que vivem "amigadas" ou casadas somente no civil, também não podem, pessoas que não comungam da fé católica (É CLARO QUE NÃO PODEM SER PADRINHOS DE UM BATISMO CATÓLICO!). O fato não é a quantidade de dinheiro que uma pessoa possui que a torna apta para ser padrinho ou madrinha, mas a fé que guarda e o respeito aos dogmas da fé. A IGREJA CATÓLICA NÃO É A CASA DA MÃE JOANA. PARABÉNS AO PADRE!

    ResponderExcluir

Postar um comentário