MP investiga superfaturamento em show gospel de Rondônia


Exaltando Jesus
 com dinheiro público

O Ministério Público de Rondônia abriu investigação para apurar gastos com verba pública com show gospel da Marcha de Jesus de 2005 de Porto Velho (RO).

Organizado pelo Comp (Conselho de Ministros Evangélicos de Porto Velho), há suspeita de ter havido superfaturamento na contratação do cantor gospel Fernandinho, que recebeu R$ 90 mil por uma apresentação.

Chama a atenção também o cachê pago a Alceu Valência (R$ 295 mil) e a Cidade Negra (R$ 250 mil).

O MP investiga, ainda, a Fundação Cultural de Porto Velho, que foi a responsável pela montagem da infraestrutura e contratação dos artistas.

Se os governantes de Rondônia levassem a sério o Estado laico, nem sequer um único centavo do dinheiro público seria sido destinado ao evento evangélico.

Com informação do Rondoniaovivo e outras fontes.




Furto de energia por Marcha Para Jesus põe hospital em risco
A responsabilidade dos comentários é de seus autores.