CNBB propõe 'tolices' para a Previdência, afirma jornal


Estadão afirma que bispos
sugerem 'bobagens econômicas'

A CNBB entrou na polêmica da reforma previdenciária, contra a proposta do Governo Temer.

Em editorial, o Estadão critica as soluções sugeridas pelos bispos, conforme segue:

“Não só políticos e sindicalistas apoiam a irresponsabilidade fiscal e o irrealismo financeiro. Políticas desse tipo podem até mesmo ser abençoadas por autoridades da Igreja.

Em declaração contra a proposta de reforma da Previdência, classificada como destruidora de direitos, a CNBB propõe, entre outras soluções, ‘auditar a dívida pública, taxar rendimentos das instituições financeiras, rever a desoneração da exportação de commodities, identificar e cobrar os devedores da Previdência’.

Essa proposta mistura tolices do século passado, como a ideia da auditoria da dívida pública, bobagens econômicas, como a taxação das exportações de commodities (os concorrentes do Brasil agradeceriam), e obviedades, como ir atrás dos devedores.

Não se faz justiça com ignorância. Isso os senhores bispos deveriam saber.”


De fato, a proposta do governo tem de ser criticada, de modo a ser melhorada.

Este site, por exemplo, para que o ônus não recaia só sobre os trabalhadores, defende que a recuperação da Previdência ocorra juntamente com uma reforma tributária, com a eliminação de isenções às igrejas, entre outras medidas.

Envio de correção.


Após união gay vem 'casamento com cachorrinho', diz bispo