Luteranos da Alemanha deixam de ser oficialmente antissemitas



A Igreja Evangélica na Alemanha (EKD) renunciou no mês passado oficialmente à missão de pregar e converter os judeus.

O Conselho Geral da EKD aprovou por unanimidade uma resolução estabelecendo que os cristãos "não são chamados a mostrar a Israel o caminho para Deus e sua salvação".

"Todos os esforços para converter os judeus contradiz o compromisso e a lealdade a Deus e sua eleição de Israel", diz a resolução.

Judenmission (Missão aos Judeus) foi abandonada principalmente nos anos após o Holocausto, mas informalmente.

Como luteranos em todo o mundo estão se preparando para o 500º aniversário da Reforma Protestante, em 31 de outubro de 2017, a EKD renovou sua tentativa de renunciar ao antissemitismo de Martinho Lutero (na ilustração acima), o líder da Igreja no século XVI.

Ou seja, a igreja demorou quatro séculos para oficialmente deixar de ser antissemita. E ainda assim não se sabe se vai conseguir,

De qualquer forma, que o exemplo sirva para algumas igrejas no Brasil, como a Testemunhas de Jeová e algumas neopentecostais, que tentam converter pessoas na marra, com pregação a quem não quer saber de religião.

Preconceito foi imposto por Lutero

Com informação de Huffington Post e de outras fontes e foto de domínio público.

Envio de correção.



Só agora mórmons renunciam oficialmente ao racismo

Semelhantes

Postagens mais visitadas deste blog