Lavagem de dinheiro faz Itália vetar cartões no Vaticano

Turistas não podem usar na Santa Sé
cartões de crédito e de débito
O Banco Central da Itália vetou o uso de cartões de crédito e débito no Vaticano porque a instituição financeira da Santa Sé é suspeita de estar sendo usada por alguns de seus correntistas para lavagem de dinheiro. Entre eles estariam terroristas, traficantes e mafiosos.

Uma fonte do governo italiano disse à Reuters que a medida foi necessária porque o Banco do Vaticano não respeita a regulamentação para impedir a lavagem de dinheiro. “Ele [o banco] não segue a legislação internacional bancária e financeira, além de não ter uma supervisão adequada.”

O Banco do Vaticano, obviamente, não apoia as atividades de criminosos, e é por isso que há suspeita de que ele resiste em adotar a transparência para não revelar a destinação de recursos e o fluxo financeiro da  Santa Sé.

Além disso, se vier à luz os nomes e as organizações criminosas que supostamente usam o sistema financeiro do Vaticano, haveria uma maior perda de credibilidade do Igreja Católica e do papa Bento 16, que vive a pregar moralidade para o mundo.

O bloqueio dos pagamentos eletrônicos, que começou em dezembro, dará prejuízo de milhões de dólares ao Vaticano, porque os turistas que visitam seus museus e igrejas só podem usar dinheiro vivo, não havendo portanto a facilidade de pagamento proporcionada pelos cartões.

As pressões internacionais para que o Banco do Vaticano adote balanços objetivos, sem camuflagens, aumentaram em 2012, quando o Conselho da Europa descobriu enormes brechas nas contas do Instituto para as Obras da Religião, que é o nome oficial da instituição financeira. Entre outras irregularidades, existem correntistas ocultos.






O Vaticano já tinha tentado colocar em ordem a contabilidade do seu banco no início da década de 80, contando com a colaboração do italiano  Roberto Calvi, conhecido como “banqueiro de Deus”. 

Em 1982, Calvi foi encontrado morto em Londres, enforcado na Ponte Blackfriars. Até hoje a causa da morte não foi desvendada.

Com informação da CNN, entre outras fontes.

Banco do Vaticano está sob suspeita de lavagem de dinheiro
setembro de 2010

10 comentários