Paulopes

Religião, ateísmo, teoria da evolução e astronomia

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Cometa Ison poderá ter brilho de Lua cheia, diz astrônomo

Será o mais brilhantes cometa de
várias gerações da humanidade
O cometa Ison, o C/2012 S1, se tornará visível a olho nu ao final de novembro deste ano e promete ter um brilho comparável a uma Lua cheia ou até mais, na avaliação de astrônomos, entre os quais David Whitehouse, que escreveu um artigo sobre o assunto para o jornal britânico The Independent. “Poderá ser o mais brilhante cometa visto em muitas gerações”, disse.

A maior aproximação com a Terra ocorrerá entre os dias 25 e 28 de dezembro, a uma distância de 60 milhões de quilômetros. A partir de agosto, o cometa poderá ser acompanhado por telescópio amador.

O cometa foi descoberto no Observatório Kislovodsk em 21 de setembro de 2012 pelo bielorusso Vitaly Nevsky e russo Artem Novichonok. Mas há registro de que ele já tinha sido detectado no dia 28 de dezembro de 2011 e 28 de janeiro de 2012 por observadores amadores.

A rotação do cometa

video
Sol poderá diluir a cauda do Ison

O espetáculo da luminosidade do Ison poderá se frustrar se sua cauda composta de gás e poeira se diluir ao passar próximo do Sol, o que ocorrerá em novembro. Antes, em outubro, ele “visitará” Marte.

Ison nasceu na Nuvem de Oort (ou Opik-Oort), que é um berçário hipótese (não pode ser observado diretamente) de cometas e asteroides. Fica nos limites gravitacionais do sistema solar, é esférica e pode conter até cem bilhões de cometas. O percurso do Ison até a proximidade da Terra está se dando em milhões de anos. Após passar por aqui, ele voltará para o espaço profundo.

Um porta-voz da Nasa disse que os astrônomos de todo o mundo estão “acompanhando esta grande bola de neve suja” para entender a sua evolução. Provavelmente será a única aparição por aqui do Ison.




A Agência Espacial Europa informou estar analisando os prováveis perigos que o cometa poderá representar para a Terra.

Em 2013, em março e abril, outro cometa, o 2014 L4 (PanSTARRS), passará perto da Terra, mas não será tão espetacular como o Ison.

Com informação do The Independent, entre outras fontes.

Risco de Apophis colidir com a Terra é de 1 para 200.000
janeiro de 2013

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...