Universidade paga dízimo a igrejas por indicação e matrícula de fiéis

Fernando Costa disse que outras 
instituições fazem a mesma coisa
O grupo Uniesp (União das Instituições Educacionais do Estado de São Paulo) firmou convênios com igrejas pelo quais se compromete a pagar dízimo pela indicação e matricula de fiéis em seus cursos universitários. 

O contrato dos convênios afirma que se trata de um “dízimo em favor da construção da obra de Deus”. A informação é de Vanessa Correa e Fábio Takahashi, da Folha de S.Paulo.

Os fiéis são custeados pelo Fies (financiamento federal estudantil que tem de ser pago pelos estudantes após a formatura) e Escola da Família, do governo estadual, que banca 50% das mensalidades.

Participam do convênio 25 denominações de diferentes credos religiosos, entre as quais estão unidades da Assembleia de Deus, a Igreja Católica de Presidente Prudente (SP) e a igreja Pentecostal Jesus Vem e Vencemos pela Fé.

O dízimo é de 10% do valor que a Uniesp recebe desses dois programas. O número de fiéis matriculados é cerca de 2.000. Eles não são informados sobre o repasse que a instituição faz às igrejas.

Fernando Costa (foto), presidente da Uniesp, disse que o dízimo é o resultado de uma parceria entre a instituição e igrejas e que outras instituições de ensino fazem a mesma coisa, mas não revelou o nome de nenhuma.

Costa disse que os convênios são firmados dentro da lei, mas o Ministério da Educação e a Secretaria Estadual de Educação estão investigando a legalidade deles porque a verba, tanto em um caso como em outro, não pode ser repassada a terceiros.

No caso do Fies, a Uniesp cobra mensalidade até três vezes superiores às dos demais estudantes, o que é proibido por lei. Ao cobrar mais, a instituição recebe maior volume de repasse do Ministério da Educação e a dívida dos estudantes, após a formatura, será maior.

A Uniesp tem 65 mil estudantes. Possui seis unidades na cidade de São Paulo, quatro no ABC, uma no litoral (Guarujá) e 29 no interior paulista.

O plano do grupo para os próximos quatro anos é instalar faculdade em todas as cidades paulistas com população acima de 100 mil habitantes. Além de cursos universitários, a Uniesp oferece ensino infantil, fundamental, médio e técnico.

Em nota, a Uniesp afirmou que os convênios advêm da “responsabilidade social” da instituição de “levar o ensino superior às camadas mais humildes”.

Esquema da "obra de Deus"


Com informação e arte da Folha e foto do site da Uniesp.

Escola Adventista desconta dízimo de seus funcionários.
dezembro de 2011

Comentários

  1. Puta-Que-Pariu!
    Pelo cetro de Netuno!

    Nossa, é dificil até de comentar...

    ResponderExcluir
  2. Ovelhas+vendilhões do templo = grandes negócios

    ResponderExcluir
  3. Pronto, agora posso dizer que crentes não são inteligentes? Agora é só pagar a porra do dízimo que eles entram na universidade!

    E só para constar, meu comentário foi irônico, crentes não me matem, tenham senso de humor!

    Mas isso é um absurdo! E dessa vez é sério!

    ResponderExcluir
  4. Evangelicos... onde houver um grupo deles, la tem corrupcao, mau caratismo, crime, roubo, fraude, estelionato, evasao de divisas, charlatanismo, etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se realmente for assim, os templos evangélicos podem ser fechados e seus pastores, presos sob a acusação de "formação de quadrilha"

      Excluir
  5. Essa tal obra de deus não necessita de recursos, pois ela é tão útil quanto água em pó (copiei essa expressão do professor Pasquele Cipro Neto, não proferida nesse contexto, devo ressaltar).

    ResponderExcluir
  6. Realmente não tem como não comentar, a educação já é podre, ai vem as igrejas tirar dinhero?

    ResponderExcluir
  7. O que acontecerá com as consciências dos fiéis que frequentárem a Universidade? Eles continuarão a acreditar em Deus? Virarão ateus?
    Será que as Igrejas estão dando um tiro no própiro pé?

    Talvez, no final de cinco ou seis anos, teremos multidões de crentes endividados e não tão crentes assim!

    ResponderExcluir
  8. Porra meu , eu sou Deus , sou mais rico que o batman, preciso de dinheiro nao.

    ResponderExcluir
  9. "No caso do Fies, a Uniesp cobra mensalidade até três vezes superiores às dos demais estudantes, o que é proibido por lei. Ao cobrar mais, a instituição recebe maior volume de repasse do Ministério da Educação e a dívida dos estudantes, após a formatura, será maior."

    Traduzindo: A igreja ganha, as instituições de ensino ganham, o governo ganha e quem continua se fod**** é o povo.

    Brasil.... porque será que isso não me surpreende ?

    ResponderExcluir
  10. Crentes...religiosos, onde houver um grupo deles, se instala logo a máfia monetária, a corrupção e a malversação de recursos, o enriquecimento fácil e as falcatruas, os conchavos com o poder econômico e político dominantes. Não adianta segmentar e particularizar dizendo...evangelicos, onde houver um grupo deles, a agiotagem do sagrado é arqueo-longeva, o sacro-faccere que consiste o tal sacrifício é sempre barganha, troca, onde não falta o elemento MATERIAL. Era assim já no tempo do próprio Jesus, que expulsou os vendilhões do Templo de Jerusalém, e de lá pra cá eles uma vez expulsos, se instalaram definitivamente nessas empresas lucrativas chamadas Igrejas. É escandalosa a facilidade com que se abre uma igrejola, assim como qualquer quitanda; além do que, as grandes não ficam atrás dos grandes cartéis internacionais, vide o exemplo da Universal e sua homonímia no grego a Católica.O judaísmo tornou-se uma religião excessivamente monetária; toda a nação tinha sua economia sustentada por esse tal dízimo e as superexcedentes ofertas, que iam desde farinha, azeite, pássaros, até carneiros e touros, bodes e gordos novilhos.É impossível se imaginar o Deus judaico-cristão FORA da relação com o dinheiro. Dize-me QUEM É o teu Deus, e eu te irei onde e com quem está o teu dinheiro; é um princípio da filosofia materialista e marxista, que com as devidas ressalvas da generalização e do redicionismo; permitem-nos compreender porque justamente o judaísmo e o protestantismo E NENHUMA OUTRA RELIGIÃO fora eles; conservam até hoje o lastro e o esteio do capitalismo. Jesus diz coisa parecida, "Onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração"; só que no caso dos "irmãos" de todas as igrejas e denominações, eles conservaram avidamente o tesouro, e esqueceram totalmente o coração. Se é que ainda há coração. Pois se como está escrito "o coração da Lei é o amor", o dos crentes é o desejo voraz da riqueza; e nem precisa da realização, BASTA, no caso da esperteza predatória bem aproveitada, dos atuais pastores vendilhões, A PROMESSA!

    ResponderExcluir
  11. UAU!!! Agora a porra ficou séria ><

    ResponderExcluir
  12. Minha nossa.. está tudo perdido!

    ResponderExcluir

Postar um comentário