domingo, 23 de outubro de 2011

Batismo do café para que virasse 'bebida cristã' foi questão do Enem

Clemente VIII
Clemente VIII gostou 
da "bebida do diabo"
O primeiro dia do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), ontem (22), trouxe um episódio protagonizado pela Igreja Católica que, à luz de hoje, é bizarro: o batismo do café por um papa para que a bebida deixasse ser do diabo.

Segue a questão 40 da prova azul.

"O café tem origem na região onde hoje se encontra a Etiópia, mas seu cultivo e consumo se disseminaram a partir da Península Árabe. Aportou à Europa por Constantinopla e, finalmente, em 1615, ganhou a cidade de Veneza. Quando o café chegou à região europeia, alguns clérigos sugeriram que o produto deveria ser excomungado, por ser obra do diabo. O papa Clemente VIII (1592-1605), contudo, resolveu provar a bebida. Tendo gostado do sabor, decidiu que ela deveria ser batizada para que se tornasse uma "bebida verdadeiramente cristã". THORN, J. Guia do café. Lisboa: Livros e livros, 1998 (adaptado)

A postura dos clérigos e do papa Clemente VIII diante da introdução do café na Europa Ocidental pode ser explicada pela associação dessa bebida ao

A) ateísmo

(B) judaísmo
(C) hinduísmo
(D) islamismo
(E) protestantismo

A resposta correta é a D, islamismo.

A explicação do cursinho Anglo é esta: "As tentativas de excomungar o café e a decisão do papa de batizá-lo, no início da Idade Moderna, podem ser explicadas pela associação entre o produto e a Península Árabe, região de predomínio da religião islâmica, considerada demoníaca pelo clero católico. Observamos, ainda, que no período também eram perseguidas pelo papado as práticas do ateísmo e do judaísmo".

Religião contra religião.      Coisas do diabo.       Bizarro.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...