Para governo da Arabia Saudita, feministas, gays e ateus são terroristas

por Deutsche Welle

Um vídeo promocional da Arábia Saudita publicado pela agência de segurança estatal classificou o feminismo, a homossexualidade e o ateísmo como "ideias extremistas". A publicação foi postada no final de semana numa conta oficial do reino ultraconservador.

"Não se esqueça de que o excesso de qualquer coisa à custa da pátria é considerado extremismo", ressaltou o vídeo. A publicação afirmou ainda que "todas as formas de extremismo e perversão inaceitáveis".

O vídeo foi publicado em meio à tentativa do governo de atrair investimentos estrangeiros para transformar a economia do país, dependente de petróleo. Para isso, o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman lançou medidas para abrir a sociedade, começou a emitir vistos para turistas e pretende promover no exterior a imagem de um país mais tolerante.

Salman afrouxou algumas restrições sociais, como a proibição de mulheres de dirigir e reabriu os cinemas. Apesar das mudanças, dezenas de dissidentes e críticos foram presos recentemente, incluindo clérigos, intelectuais e ativistas.

Pouco antes do fim da proibição de mulheres dirigem em junho do ano passado, várias ativistas dos direitos das mulheres foram presas.

As detidas foram acusadas de prejudicar interesses sauditas e de oferecer apoio a elementos hostis no exterior. Até então, a Arábia Saudita era o único país que proibia mulheres de possuir uma carteira de habilitação.

A legislação saudita prevê a pena de prisão para a participação em grupos considerados extremistas pelo governo. 

A homossexualidade e o ateísmo também são ilegais e puníveis com pena de morte no reino ultraconservador.

Em 2016, representante
do governo saudita já
dizia que ateu é 
considerado no país
como terroristas

Deutsche Welle é uma emissora da Alemanha que produz jornalismo em 30 idiomas.



Arábia Saudita condena homem à prisão e à chibata por ser ateu

Arábia Saudita prende mulher por abraçar cantor em palco

Bater na mulher faz parte do bom casamento, diz saudita

Líder saudita proíbe xadrez por ser ‘jogo de Satanás’




Comentários

  1. Sao pessoas anormais mais tão tão anormais ... que usam computadores inventados por um homossexual ... mas disso nenhum desses jumentos diz nada ...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

EDITOR DESTE SITE



Paulo Lopes é jornalista profissional diplomado.
Trabalhou no jornal centenário abolicionista
Diário Popular, Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras publicações.