Pastor diz ter violentado uma jovem, e fiéis batem palmas


Savage disse que houve
um 'incidente sexual'

No dia 7 de janeiro de 2018, domingo, houve algo insólito em uma megaigreja em Memphis (EUA): em pé, os fiéis baterem palmas ao pastor Andy Savage (foto) por ele, arrependido, ter contado que violentou uma jovem de 17 anos havia 20 anos.

Savage só teve a “coragem” de confessar o seu crime após Jules Woodson, a mulher violentada, divulgar o abuso dias antes.



Uma advogada de jovens sobreviventes de abuso sexual publicou em seu blog um detalhado relato de Jules.

A mulher contou que em uma noite de 1998 Savage ofereceu uma carona até a casa da mãe dela.

No caminho, o pastor tomou um atalho em uma estrada de terra.

“Estava escuro, eu lhe perguntei para onde me estava levando. Ele responde algo como ‘você verá’ [...]. Eu achei que íamos tomar um sorvete.”

“[Mas] ele estacionou o carro em um beco e apagou os faróis. Então desabotoou o seu jeans, puxou o pênis e pediu para eu chupar.”

“Eu estava com medo e envergonhada, mas fiz [...].”



“Então ele pediu que eu levantasse meu sutiã e começou a tocar nos meus seios.”

Jules contou que o pastor, em seguida, teria se arrependido e pediu que ela não contasse o seu assédio a ninguém.

A mulher nunca se livrou do abalo psicológico.

Aparentemente, nenhum dos fiéis quis saber por que Savage demorou tanto tempo para se confessar.

Savage, que é conselheiro matrimonial, foi perdoado pelos fiéis, mas não pela opinião pública.

Uma editora cristã cancelou o lançamento de um livro do pregador da moral cristã e dos bons costumes.

Com informação do New York Times e do blog Watch Keep, com foto de divulgação.







Polícia prende pastor e sua mulher por estupro de menina

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

-------- Busca neste site