Pular para o conteúdo principal

Quadrilha usa colégio cristão para lavagem de dinheiro


Escola diz ter uma parceria com
Deus para ensinar princípios éticos
Investigação da Delegacia de Estelionato de Curitiba (PR) apurou que um colégio cristão vinha sendo usado para lavar dinheiro de uma quadrilha que vendia e não entregava máquinas hospitalares supostamente importadas.

No dia 6 de março de 2017, na Operação Evangelium, a delegacia prendeu quatro pessoas envolvidas no esquema e cumpriu sete mandados de buscas e apreensão expedidos pela Justiça.

A denominação da operação é uma referência ao nome do colégio, que pertence a Rafaele Carvalho Ignachewski, mulher de Cleverson Cavalheiro dos Santos, líder da quadrilha.

A polícia prendeu os dois e outro casal, Emílio Cristiano Marcondes e Fernanda Hortência Natel Camargo.

Em nota no Facebook, o colégio se dirigiu aos país e à imprensa para manifestar "repúdio e surpresa em relação ao caso Operação Evangelium".

Na estimativa da polícia, a quadrilha aplicou golpes em médicos e clínicas no total de R$ 1 milhão.

O colégio dedica-se ao ensino infantil e fundamental. Seu slogan é “Colégio Cristão de Curitiba”.

Em seu site, diz que “é um instrumento de Deus para formar indivíduos com princípios éticos e morais, bem como estimular uma consciência crítica capaz de discernir e escolher aquilo que é correto”.

Com informação da Delegacia de Estelionato, do Facebook e site do colégio e de outras fontes e imagem do Google Maps.

Envio de correção.

Escola cristã rejeita menina por não ser ‘feminina o suficiente’

Posts + acessados nos 30 dias mais recentes

Hackers invadem conta de Malafaia e doam R$ 10 mil à Cruz Vermelha

Angolanos expulsam os pastores brasileiros de 30 templos da Universal

Edir Macedo amaldiçoa angolanos que expulsaram pastores brasileiros de templos

Bispo Edir Macedo é internado com suspeita de estar com Covid-19

Polícia Federal encontra o nome de Silas Malafaia em lista de clientes de doleiro