Eleitores americanos preferem candidato mulherengo a ateu


Para americanos, candidato
 mulherengo à Casa Branca é 
menos grave que ser ateu
[notícia]

Apesar de constituírem uma sociedade com características moralistas, colocando em desvantagem nas eleições candidatos com vida amorosa maculada, por exemplo, ainda assim os norte-americanos preferem ter um presidente mulherengo a um ateu. É o que revelou sondagem feita pelo Centro de Pesquisa Pew entre 23 e 27 de abril de 2014.

Dos 1.501 adultos entrevistados em todos os 50 estados americanos e no Distrito de Columbia, 35% afirmaram ser menos provável que votem em 2016 em um candidato à Presidência que tivesse tido um caso extraconjugal.

Já em relação a um suposto candidato descrente, 53% declararam não ter intenção de apoiá-lo. Apenas 5% demonstraram mais propensão em votar em um ateu.


A sondagem mostrou, assim, que, para a grande maioria dos eleitores norte-americanos, em uma lista de 16 características, o ateísmo é a mais negativa que um pretendente à Casa Branca pode apresentar.

Ser usuário de drogas, ter traído a mulher ou não ter nenhuma experiência legislativa é menos grave.

Para os eleitores, a melhor credencial de um candidato é ter prestado o serviço militar. Essa mesma tendência foi verificada em pesquisas que antecederam as eleições de 2008 e 2012.

Para os ateus, a boa notícia é que a rejeição do eleitorado americano já foi mais acentuada. Em 2007, 63% dos eleitores disseram que não votariam em quem não acreditasse em Deus.

Com informação do Centro de Pesquisa Pew.


Em Estado laico ninguém pode impor sua religião à sociedade

Estudante obtém nota mil no Enem ao defender Estado laico

Conservadores querem Brasil como Estado cristão, diz WP




Projeto da Universal é tomar o poder em 'interesse de Deus’

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site