Ateísmo vai crescer em reação ao novo papa, diz humanista

Speckhardt disse que Igreja confirmou
sua incapacidade de se modernizar
O diretor da American Humanist Association, Roy Speckhardt (foto), disse que a escolha do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio para ser papa confirma a incapacidade da Igreja Católica de se modernizar.

“A eleição do papa Francisco significa apenas o endosso de políticas inaceitáveis pela Igreja Católica em relação às mulheres, união de pessoas do mesmo sexo, controle de natalidade e à falta de compaixão”, afirmou.

Ele disse que, por isso, em reação ao pensamento ultrapassado de Francisco, vai continuar crescendo em todo o mundo o número de pessoas que se distanciam da Igreja Católica e das religiões em geral. E entre essas pessoas, haverá novos ateus e agnósticos. Desse ponto de vista, disse Speckhardt, a eleição do papa argentino foi positiva.

Ele afirmou que Bergoglio tem “uma história de desumanização”, e um exemplo disso é a campanha que ele liderou em 2010 na Argentina contra a aprovação da legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Speckhardt lembrou que, naquela ocasião, o cardeal escreveu que a lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo era “uma pretensão destrutiva contra o plano de Deus maquinada pelo Pai da Mentira [diabo]”.





Com informação do site da American Humanist Association.

Inimigos do papa Francisco afirmam que ele é traiçoeiro
março de 2013

Comentários

  1. está claro que sim... ou seja, colocam outro fascista, dictador, homófobo, mediocre para defender os pedófilos e criticar os humanistas... cúmplices do mal, difusores do ódio, esses representantes da maior seita do mundo sao uns mafiosos, terroristas sociais, hipócritas, medíocres...

    ResponderExcluir
  2. Bem colocado, cada vez mais as pessoas vão se dar conta que as religiões são um engôdo, e que deus não existe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem lê a bíblia sabe que tudo isso é para que se cumpra a palavra de Deus, que muitos dizem que é só um livro .só sei que no dia em que todos estiverem de joelhos dobrados perante Deus aí saberá que a bíblia é profética

      Excluir
  3. Será que esse imbecil não percebe que o fenômeno ocorre justamente ao contrário?

    A maior perda de fiéis que o catolicismo sofreu ocorreu junto com a maior modernização que tentaram fazer de uma vez, o Concílio Vaticano II, que aboliu o latim e uma série de outras coisas.

    No Brasil, o protestantismo cresceu não por ser aberto à modernidade, mas justamente pelo contrário: sempre foi rígido e exigiu condutas duras de seus participantes, como de não beber, não fazer sexo fora do casamento, doar quantias consideráveis de dinheiro para a denominação, de se vestir de terno ou roupas comportadas etc. O catolicismo, ao contrário, sempre foi muito mais aberto à modernidade do que o protestantismo, e foi a religião que perdeu espaço. O espiritismo é um bom exemplo de religião bem adaptada à modernidade que não consegue se expandir. Vejam também o caso do islam, que não se enfraquece mesmo sendo anti-moderno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso porque você não avaliou as coisas muito bem.
      → Islamismo é uma religião ditatorial, que é "ou acredita ou morre", ninguém sai dele geralmente por medo. E outro motivo é que mulçumanos tem muitos filhos, o que faz o número de adeptos crescerem sempre.
      → Igrejas evangélicas muito polêmicas geralmente chamam muito atenção da mídia, acabando que nós conhecemos apenas as "top". Porém, e as menores? Existe igreja para gays, mulheres, mendigos, entre outros. Elas não são muito grandes porque com certeza o objetivo delas é mais legítimo que as grandes.
      → Quanto mais manipulador o líder de alguma igreja evangélica for, mais ele ganhará adeptos, pois a natureza humana é muito manipulável...

      Excluir
    2. No Brasil o que mais cresce é o pentecostalismo, e não o protestantismo.

      Excluir
    3. Complementando, o aumento do pentecostalismo demonstra um período de profunda ignorância e miséria, basta estudar a demografia religiosa no decorrer do século passado, que nota-se que o "misticismo" prevalece e cresce a cada grande crise intelectual (e conseguinte econômica). Pessoas incultas tendem a "apelar à rigidez e ao misticismos ritualístico" para tentar cair no agrado de seus deuses, reduzindo assim o sofrimento da qual a mesma é culpada por seus "pecados". E a teoria da prosperidade do pentecostalismo, além de uma fraude, é uma muleta para a miséria que a ignorância traz em períodos de muita concorrência. Qualquer pessoa com um mínimo de discernimento histórico. psicológico e/ou teológico repara isto.
      Mate o cordeiro, queime-o e caia na graça de Javé. Basicamente. Linhas mais conservadoras como algumas vertentes de protestantismo, e o próprio catolicismo são contra (falo atualmente) esta "troca de favores" com o deus cristão.

      Excluir
    4. Existe um limite de crescimento, os pentecostais não atingem todo o publico nenhuma religião pode agradar a gregos e troianos, existiu uma prevalência de um ou outro por questões históricas, sobretudo guerra e isolamento cultural. Acredito que caminhemos para uma pluralidade, hoje qualquer criança pode ler sobre budismo, ocultismo, ateísmo, bruxaria, Islamismo e tantos outros, podendo optar por algo que vá além do que lhe foi passado pelos pais.

      Excluir
    5. Entendam que não há registro de grande expansão de fé nenhuma quando esta é modernizada. Essas igrejas de gays e sincréticos acabam virando pequenos nichos de público sem a menor relevância.

      Por outro lado, religiões de caráter anti-moderno tem certa facilidade de expansão. Não é questão de julgar se isso é certo ou errado, bom ou ruim, mas de constatar fatos. O que esse sujeito do texto está alegando é pura especulação. Embora o que ele diga faça sentido, o que se observa na prática é o efeito oposto.

      Excluir
    6. Sinceramente não acho que um papa mais conservador ou mais liberal vá mudar alguma coisa.

      A igreja católica simplesmente não tem mais muito o que dizer que interesse as pessoas.

      Não é a opção por funk ou canto gregoriano nas missas que vai mudar isso.

      Excluir
    7. "como de não beber, não fazer sexo fora do casamento,"

      Só que a maioria dos evangélicos burla as "regras" de sua religião. O que dizer da masturbação, por exemplo? Condenada por padres e pastores, e feita em algum momento (ou vários) da vida por todo mundo. Talvez a rigidez moral que eles buscam seja uma fachada pra "inglês ver". Quem não conhece evangélicos que se escondem atrás de sua religiosidade como se fosse um escudo contra qualquer argumento ou ataque? Como se ser evangélico desse um tipo de passe livre para fazer coisas condenáveis.

      Excluir
    8. Só que a maioria dos evangélicos burla as "regras" de sua religião.[...]Talvez a rigidez moral que eles buscam seja uma fachada pra "inglês ver".

      Isso não muda em nada o fato de que os evangélicos cresceram como religião avessa à modernidade.

      Excluir
    9. Taí, somos um país laico, ou seja homossexuais e outras minorias devem fazer pressão junto ao governo e não junto ao papa.
      Igreja é isso mesmo, conservadora e cheia de dogmas, ou seja se mudar acaba.
      Temos é que impedir que a "opinião" dos religiosos prevaleçam e melhorar nosso sistema educacional a fim de conseguir mais tolerância.
      Quanto as teocracias do oriente, graças a Odin estamos numa democracia e vamos mante-la.

      Excluir
  4. adorei essa matéria.

    ResponderExcluir
  5. Acredito que com a maior informação a que as pessoas estão tendo acesso, vai ser natural que o número de ateus aumente. Na verdade os católicos não praticantes, estão a um passo do agnosticismo e a dois do ateísmo. Informação é tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correto. Basta lembrarmos da fantasia bíblica de Adão e Eva no jardim do éden. A árvore do fruto do pecado era justamente a que trairão conhecimento. Conhecimento e saber, desde os primórdios, tratados como ameaça pela Igreja ao poder da mesma. Religiosos se gabam de algumas ordens religiosas terem criado algumas das primeiras faculdades . Só se esquecem que criaram justamente para manter o conhecimento entre eles, do clero, e seus comparsas da nobreza. Mas a ciência veio para acabar com a alegria deles e democratizou o saber. Hoje em dia só é enganado quem quer.

      Ruggero

      Excluir
    2. Não acho que ateísmo e agnosticismo irão crescer, pelo menos nestes tristes trópicos. Pelo contrário, o catolicismo está perdendo espaço (e vai perder muito mais) para os evangélicos (eca!) fundamentalistas bibliólatras, pois não há como acabar, nem diminuir, a necessidade espiritual do ser humano, seja por vias certas ou por vias tortas. O problema é como satisfazer essa necessidade de transcendência sem descambar para o misticismo e a alienação manipuláveis pelos mais espertos e mal intencionados, atrapalhando inclusive qualquer tentativa de avanço social, principalmente em termos de comportamento. Há muito que estou farta dessa história de "só Jesus salva", "Deus é fiel", "dirigido por mim, guiado por Deus" e congêneres. Sou agnóstica, não sinto necessidade de deus, mas não consigo conceber um mundo sem o deus dos outros. Nina.

      Excluir
  6. Que assim seja, e que a humanidade seja guiada pela ciencia e não por dogmas fundamentalistas, que só fizeram prejudicar de muito às mulheres e o progresso científico.
    dra.ypessoa

    ResponderExcluir
  7. Speckhardt tem, do meu ponto de vista um argumento bastante razoável, também me parece óbvio que vai haver continuidade da dissidência religiosa, católica e outras. Excelente!

    ResponderExcluir
  8. Que a ciência nos guie, e não pensamentos medievais e primitivos.

    ResponderExcluir
  9. Agora que a europa se torna mais ainda atéia e agnóstica.

    ResponderExcluir
  10. Às vezes eu acho que a ICAR se auto-sabota. Eles próprios já devem estar fartos das jurumelas religiosas. Os fiéis cegos é que não percebem.

    ResponderExcluir
  11. Essa o Paulopes que diz que esse blog não é ateu não publica.

    Deputado gay Jean Wyllys ofende e declara guerra aos cristãos

    O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), homossexual militante que conseguiu alguma notoriedade participando do programa Big Brother Brasil da Rede Globo, lançou, na semana passada, uma campanha de combate ao cristianismo.
    Em sua página do Twitter, ele publicou várias mensagens dizendo que os cristãos são doentes, homofóbicos, preconceituosos, violentos, ignorantes e fanáticos, e que ele se dedicará ainda mais a eliminar a influência do cristianismo na sociedade. O deputado enfatizou que seu mandato tem como foco a defesa dos interesses da militância gay e o combate a seus “inimigos”.
    O deputado, que é membro da Frente Parlamentar LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e travestis) no Congresso Nacional, aproveitou para convocar seus seguidores para se juntar a ele em sua guerra particular. Jean obteve respostas diversas: angariou o apoio previsível de seus seguidores militantes da causa gay, e provocou a reação de inúmeros outros usuários da rede social, indignados com as ofensas do parlamentar aos cristãos e com seus ataques à liberdade de expressão, religião e comunicação.
    Jean promove uma campanha de censura a usuários do Twitter que são contrários às ideias que ele defende, como: ‘casamento’ homossexual, cartilhas de suposto combate à “homofobia” do MEC (mais conhecidas como Kit gay) e o PLC 122/2006 (lei da mordaça gay), projeto de lei que pretende transformar em crime qualquer crítica ou oposição ao comportamento homossexual ou às pretensões do lobby gay.
    Uma das primeiras vítimas da campanha censória de combate ao cristianismo deflagrada por Jean Wyllys foi o usuário Carlos Vendramini.
    Valendo-se do direito que qualquer cidadão possui em uma democracia, Vendramini fez, no Twitter, críticas ao Kit Gay, ao PLC 122/06 e a outros projetos dos militantes gays e aos parlamentares que os apóiam, como Jean Wyllis, Marta Suplicy e Cristovam Buarque, entre outros. Incomodado com as críticas, o deputado disse, em seu blog, que estava acionando advogados da Frente LGBT para censurar o perfil de Vendramini, que Jean imagina ser “membro fundamentalista de uma parcela conservadora da direita católica em São Paulo” (sic) e estar praticando “perseguição” a ele.

    Fonte: JB e GMais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu não sei como que o jean wyllys suporta esses talibãs apedeutas neo-pentecostais , isso ai é calúnia contra ele , e ele já tomou medidas contra isso, vai sobrar até para o malafaia dessa vez.

      Excluir
    2. olha as fontes do cara, só reaças desonestos.

      Excluir
    3. isso é só vcs fizeram a mulçumanos nas cruzadas, holocausto nazista, tem que chegar a hora do troco pelas merdas que vcs fizeram durante 2 mil anos.

      Excluir
    4. Escreve tanta bobagem, e depois deve se sentir orgulhoso da merda que escreveu. É uma total falta de noção de realidade!

      Excluir
    5. Chora mais reaça

      Excluir
    6. Se atualiza , essas declarações são fake, já foram desmentidas há muito tempo

      Excluir
  12. Vou dar uma de advogado do diabo. Mas onde foi que esse cara comprou a bola de cristal pra prever este fato? Eu tb quero uma para ganhar na loteria e nunca mais voltar pra terra de Malafaia, Feliciano, Edir Macedo, Valdemiro...

    Acredito que tem muita gente ansiosa pra ver o papado de chico I, vms aguardar os "frutos". Com certeza na primeira vez que a "sua santidade" falar sobre casamento gay, uso da camisinha, aborto... vai vir besteira.

    ResponderExcluir
  13. Como a Icar ou as denominações evangélicas irão se abrir para a homossexualidade, se a tradição de uma e o sola scriptura de outra não o permitem? Eles teriam que reescrever(de novo) a bíblia, mas hj temos internet, copias aos montes do livro dito sagrado e por ai vai. Esse ponto é imutável! Já a nomeação de mulheres, esse pode mudar na Icar, já que a registros históricos e na própria biblia que mostram que houve mulheres no chamado de Bispo e talvez uma Papisa(não confirmado) e por ser uma igreja de revelação, pode haver mudanças dentro de uma escala. Aborto por ser assassinato(na visão deles) tb acho impossível mudar. Camisinha... é uma incógnita pra mim. Eles preferem investir na castidade até o casamento -o que não vejo nada de errado- alem da tradição sacerdotal, diz na biblia que é melhor ficar solteiro do que abrasar. Por outro lado, eles podem abrir nesse ponto dizendo que abrasar foi entendido errado esse tempo todo, ou que o amor as vidas das pessoas é mais importante do que uma interpretação talvez não 100% certa ou inventar outra desculpa. Acho que de inicio as pessoas se afastarão das igrejas, mas continuarão acreditando em deuses conforme suas concepções. Depois, algumas despertarão para o ateismo e outras permanecerão sem religião, mas teístas.

    ResponderExcluir
  14. Não acho que Deus, representado pela Sua igreja na terra, tenha que se adaptar às vontades humanas, isso é coisa de gente. Não é certo dobrar a vontade de Deus à do homem, sinto muito, mas, é assim! Não estou dizendo que condordo com todas as restrições da igreja Católica, evangélica ou pentecostal, apenas que, ou nos adaptamos à Sua vontade, ou não teremos elo com Ele. Por isto, a igreja não precisa se adaptar aos novos tempos e muito menos aoa desejo do homem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que então as missas não são mais celebradas de costas ao público e em latim? Por que cientistas não são mais queimados na fogueira? Etc, etc e etc...

      Excluir
    2. Palavras de um legítimo homem de neandertal

      Excluir
  15. Creditar que o aumento do ateísmo e agnosticismo se deve ao impropério das religiões às questões secularistas e humanistas é enfraquecer o fundamento filosófico do ateísmo.
    Vejo com desconfiança o ateu que afirma que sua descrença (ou crença na inexistência) divina seja decorrente da existência do mal no mundo ou a existência de todas as atrocidades cometida em nome de deus.
    Este argumento não se sustenta quando contestado e.g. pelo deísmo ou mesmo pela bíblia, que em Isaías 45:7 exprime: "Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas."
    Primeiro é necessário distinguir o que é religião e o que é organização religiosa.
    Quando me refiro à religião, quero significá-la como o sistema de crenças subjetivo em alguma divindade. Por ser algo personalíssimo, a religião, em tese, por ser tão diversa quanto são os habitantes da terra. A comunhão de algum aspecto da crença de vários indivíduos acabam por criar as organizações religiosas, estas sim, com hierarquias, reuniões, etc.
    Concordo que a eleição do novo papa possa continuar a decadência da igreja e o afastamento de fiéis, mas isto, a eleição, não deveria ter como corolário a descrença divina.
    Proceder desta forma, é criar uma linha tênue entre a crença e a descrença, bastando um evento aleatório benéfico ao ateu putativo para que este volte a crer na ilusória existência divina.

    ResponderExcluir
  16. Para mim o mais ridículo desse Papa é o de perseguir a Teologia da Libertação (que no meu entender joga a favor deles) e os governos de esquerda (sim, a ICAR quer influenciar na política).
    Trata-se do bom e velho anacronismo de combater o comunismo. Oras, se o comunismo é assim tão ruim, tal como o nazismo, então não seria suficiente argumentar contra para derrubá-lo? É necessário colocar "Deus seja louvado", "In god we thrust" no dinheiro (usar o santo nome em vão, diga-se)? É necessário usar a maior e mais antiga instituição reacionária do mundo?

    ResponderExcluir
  17. O que se ve pelas ruas brasileiras, é uma multidão ignorante em todos os aspectos, jovens que mal sabem ler, e adultos semi-analfabetos preocupados com a programação lixo da televisão. A massa ignara e a plebe rude são um campo vasto para esses conquistadores de cabeças onde plantão suas ideias retrogradas e controladoras. A briga entres as denominações é grande o jogo de bastidores é pesado. Espero mas duvido, que esta tentativa de reverter a decadencia, mostre ainda mais as visceras putridas das religiões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podemos ver pela qualidade do seu texto, com verbos sendo conjugados em tempos errados e absurdo uso de vírgulas, que o senhor se encaixa no grupo dos adultos semi-analfabetos.

      Excluir
    2. Sr Anonimo 15 de março poderia se dar o trabalho de corrigir meu texto de maneira que o senhor mesmo possa entende-lo. Ou vai ficar so me enchendo o saco como faz a vida toda ?

      Excluir
    3. Dor de cotovelo se trata em psicologos. é obvio que o ignobel paspalho quer me calar.

      Excluir
    4. "O que se vê pelas ruas brasileiras é uma multidão ignorante em todos os aspectos, jovens que mal sabem ler e adultos semi-analfabetos preocupados com a programação lixo da televisão. A massa ignara e a plebe rude são um campo vasto para esses conquistadores de cabeças, onde plantam [essa doeu] suas idéias retrógradas e controladoras. A briga entre as denominações é grande, o jogo de bastidores é pesado. Espero, mas duvido, que esta tentativa de reverter a decadência mostre ainda mais as vísceras pútridas das religiões."

      Não tenho inveja nem preciso te calar. Com esses erros grosseiros de português, ninguém digno de ser considerado alfabetizado vai levar qualquer opinião sua a sério, ainda que se trate da mais evidente verdade.

      Sugiro, sinceramente, que procure um curso de português e crie o hábito da leitura, nem que seja de revistas de grande circulação.

      Excluir
    5. Eu só vim pregar a palavra. Arrependa-se herege!

      Excluir
    6. Mas tem gente chata nesse mundo mesmo.

      Excluir
    7. tem razão. Ô sujeito pra escrever tudo errado. E estamos falando de erros mesmo, então nada de apelar para o português-não-padrão.


      e ainda dizem por aí que a turminha cética-moderna-plus é culta...

      Excluir
    8. Jovens que não sabem ler...e frequentaram a escola durante 10 anos ou mais, jogando bolinha de papel, comendo merenda, quebrando os móveis e utensilios etc,tudo ás custas de nossos dinheiro
      Hoje com uma "Bribria" no sovaco são mais importante que os "doutores".
      obs. Nossos jovens "diplomados" no ensino médio são analfabetos, jogamos dinheiro fora, seria melhor menos diploma e mais conhecimento.

      Excluir
  18. isso mesmo. A igreja catolica e o papa saíram da esfera do sagrado. Daí em diante é só queda.

    ResponderExcluir
  19. Bom espero que o que ele disse se torne verdade. As pessoas vendo as tantas atrocidades cometidas em nome das religiões e pelas organizações religiosas tendem a querer largar sua doutrina, aliado ao conhecimento que adquirem na vida. Claro que o número de fiéis vai aumentar para o lado pentecostal, mas bem menos do que anos atrás, afinal em uma década eles cresceram 120%, e na década seguinte (censo 2010) cresceram a metade. Porém, ao mesmo tempo o número de ateus e agnósticos cresceu também, e esse crescimento vem aumentando aos poucos. Fora que muitos se dizem seguidores de tal doutrina, mas não são praticantes.

    ResponderExcluir
  20. Pode crescer o ateísmo no mundo ocidental, mas o público alvo do Vaticano, para a nova evangelização, está nos países pobres e em desenvolvimento, como Africa, America Latina(e Central), Oriente Médio e Ásia, ou seja, a grande maior parte do mundo. A maioria desses países pobres não tem igualdade de gênero e tolerância à homossexualidade, por exemplo, se a Igreja Católica adotar uma visão "moderna", será mais difícil conquistar a população dessas regiões, pois seria um choque cultural ainda maior. Faz total sentido a Igreja Condenar a igualdade de gênero e de sexualidade, pois a Igreja não quer conquistar os ateus ocidentais, mas sim aqueles que estão perdidos e confusos em sua fé e religiosidade nos países pobres.

    ResponderExcluir
  21. Graças a Deus temos um lider que continua o trabalho de Pedro, que morreu pregando a palavra de JESUS CRISTO e não interessa se alguém dizer que Pedro negou Jessus por três vezes, ele foi perdoado pessoalmente por JUSUS quando ELE ressucitou
    .

    ResponderExcluir
  22. No momento em que a igreja católica perde muito espaço para esses dois outros grupos, o diálogo servirá para amenizar as diferenças, relativizando um pouco as posições. Aberto o diálogo, virão á mesa tanto as contradições quanto o que há de comum entre a igreja e tais grupos. Essa estratégia levará os fiéis mais críticos da igreja e inclinados a deixá-la a acompanharem os diálogos e esperarem um desfecho antes de a abandonarem. É, portanto, uma medida de contenção, até mesmo porque o tal desfecho muito provavelmente nunca ocorrerá.

    Pelo menos essa atitude nos leva a entender que o vaticano reconhece que está em desvantagem e por isso busca o diálogo, pois, quando em vantagem, seguindo o manual de Maquiavel, destrói impiedosamente seus antagonistas.

    No caso dos ateus, sugiro muita cautela, pois a igreja é uma grande instituição espalhada pelo mundo e com um discurso bastante afinado. Ela tem capacidade de se articular globalmente e manter um discurso alinhado, por isso, dificilmente contraditório entre seus representantes.

    Ateus não são uma instituição, mas pessoas, indivíduos que, afora o fato de serem ateus, não têm tanto mais em comum e certamente devem discordar em muitos outros pontos, o que é uma característica comum entre pessoas que vivem mais livremente, sem dogmas nem um monarca absoluto centralizando o poder e determinando unilateralmente o que é ou não permitido fazer.

    Isso deve gerar uma certa confusão na avaliação da maioria das pessoas que tenderão a entender as diferentes visões de mundo dos ateus como contradições, partindo, claro, da ideia equivocada de que ateus são uma instituição nos moldes do vaticano.

    O diálogo é importante e penso que deva ocorrer. Mas como disse, com muita cautela, pois, pegando emprestado umas palavrinhas da bíblia: o que não faltará nessa mesa é "lobo em pele de cordeiro".

    ResponderExcluir
  23. No momento em que a igreja católica perde muito espaço para esses dois outros grupos, o diálogo servirá para amenizar as diferenças, relativizando um pouco as posições. Aberto o diálogo, virão á mesa tanto as contradições quanto o que há de comum entre a igreja e tais grupos. Essa estratégia levará os fiéis mais críticos da igreja e inclinados a deixá-la a acompanharem os diálogos e esperarem um desfecho antes de a abandonarem. É, portanto, uma medida de contenção, até mesmo porque o tal desfecho muito provavelmente nunca ocorrerá.

    Pelo menos essa atitude nos leva a entender que o vaticano reconhece que está em desvantagem e por isso busca o diálogo, pois, quando em vantagem, seguindo o manual de Maquiavel, destrói impiedosamente seus antagonistas.

    No caso dos ateus, sugiro muita cautela, pois a igreja é uma grande instituição espalhada pelo mundo e com um discurso bastante afinado. Ela tem capacidade de se articular globalmente e manter um discurso alinhado, por isso, dificilmente contraditório entre seus representantes.

    Ateus não são uma instituição, mas pessoas, indivíduos que, afora o fato de serem ateus, não têm tanto mais em comum e certamente devem discordar em muitos outros pontos, o que é uma característica comum entre pessoas que vivem mais livremente, sem dogmas nem um monarca absoluto centralizando o poder e determinando unilateralmente o que é ou não permitido fazer.

    Isso deve gerar uma certa confusão na avaliação da maioria das pessoas que tenderão a entender as diferentes visões de mundo dos ateus como contradições, partindo, claro, da ideia equivocada de que ateus são uma instituição nos moldes do vaticano.

    O diálogo é importante e penso que deva ocorrer. Mas como disse, com muita cautela, pois, pegando emprestado umas palavrinhas da bíblia: o que não faltará nessa mesa é "lobo em pele de cordeiro".

    ResponderExcluir
  24. Paulo Lopes, vê se isso te interessa:
    http://blogs.diariodepernambuco.com.br/lgbtudo/2013/03/jovens-agridem-gays-na-argentina-em-nome-do-papa/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Busca neste site