Juiz derruba liminar que proibia aos brasileiros o filme anti-islã

Maomé do filme A Inocência dos Muçulmanos
Filme volta ao ar em respeito à
liberdade de pensamento artístico
Em ação movida pelo Google, o juiz Paulo César Batista dos Santos, da 25ª Vara Cível de São Paulo, derrubou a liminar obtida pela União Nacional das Entidades Islâmicas que retirou de exibição no Youtube, para os brasileiros, o filme anti-islã “A Inocência dos Muçulmanos”.

Para Santos, o filme é de “gosto duvidoso”, mas no Brasil a “livre manifestação do pensamento artístico” tem de ser respeitada. [Ver abaixo o trailer do filme com legendas em português]

A liminar foi concedida em setembro de 2012 pelo juiz Gilson Delgado Mirada, da 25ª Vara do Tribunal de Justiça de São Paulo. Ele concordou com o argumento dos representantes dos muçulmanos de que o filme pode “induzir ou incitar a discriminação de preconceito de religião”.

A sentença agora do juiz Santos serve como recado aos muçulmanos e aos líderes religiosos em geral de que ninguém, alegando a possibilidade de haver discriminação, pode impor censura aos brasileiros.




Quando há preconceito religioso ou de qualquer outra natureza, é legítimo acionar os dispositivos legais para combatê-lo. Mas recorrer à Justiça porque apenas se teme que possa haver preconceito é arrogância de quem não dá o devido respeito à liberdade de opinião.

Trailer do filme com legendas em português


Com informação do site da Veja.

Revista satírica francesa publica biografia de Maomé
janeiro de 2013

Religião contra liberdade de expressão

Comentários

  1. Isso foi bom para mostrar que as religiões não são intocáveis e nem devem pairar acima do bem e do mal. São passíveis de críticas como qualquer outra questão.

    ResponderExcluir
  2. parabéns ao juiz Paulo César dos santos.

    ResponderExcluir
  3. Queria ver se fosse o cristianismo que fosse criticado...

    ResponderExcluir
  4. Qualquer organização pode ser criticada. Nada está acima da dúvida e da discordancia.

    ResponderExcluir
  5. Na verdade ferraram os mulçumanos porque a corda sempre arrebenta do lado mais fraco. Duvido que a justiça se portasse da mesma maneira se alguém fizesse um filme detonando os pastores e seus evanjegues.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei anonimo você não assiste novelas da globo? Isso é bem comum por lá. E os evangegues como você mesmo diz, estão cansados de ouvir esse tipo de opinião, nem por isso querem que se faça uma lei proibindo e prendendo quem fala ou deprecia cristãos. Portanto, v. está a salvo, pode falar toda bobagem e xingamentos que quiser, v. nunca vai ser preso, mas com certeza v. é daqueles que quer ver os cristãos presos se fizerem a mesma coisa contigo.

      Excluir
    2. O defeito desse filme é ele ser ruim. Fora isso, o que ele relata é bem verossímil.

      Excluir
  6. O filme é horrivel e o tema mais ridiculo ainda.

    ResponderExcluir
  7. Alguém precisa fazer um filme detonando os evanjegues, essa gente quer respeito demais, estão até se achando no direito de atacar os gays e os ateus com ameaças .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vc responde chamando os caras de "evanjegues". Grande demonstração de respeito a sua em meu amigo.

      Excluir
    2. Bacana é vc querer respeito e chamar os caras de "evanjegues". Se quer respeito camarada, comece por vc.

      Excluir
  8. 'Ninguem pode impor censura aos brasileiros', a nao ser a globo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não existe censura do que é o errado, então o errado está liberado. Exemplo: pessoas falam o português errado na televisão e quem é que corrige?

      Excluir
  9. o filme denuncia o fanatismo islamico, o filme não diz que todos os islamicos são intolerantes.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site