Americano que matou filho de 5 meses diz ter seguido a Bíblia

Benjamin Edetanlen
Edetaulen riu para a câmera de TV ao
sair do tribunal onde foi condenado
A Justiça de Decatur, cidade do Estado de Geórgia (EUA), condenou na quarta-feira (10) Benjamin Edetanlen (foto) a 18 anos de prisão por ter batido em seu filho de 5 meses com tanta violência, que o matou em consequência de lesões cerebrais, além de uma perna quebrada. O crime ocorreu em 2004.

O réu manteve até o fim a sua linha de defesa, a de que não teve intenção de matar o filho, o qual educava de acordo com a Bíblia.

Seu argumento teve como base a transcrição de várias passagens bíblicas, entre a quais o Provérbios 13:24: “O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama desde cedo o castiga” (versão em português de acordo com a Bíblia Online).

Edetanlen disse que usa o mesmo método na educação de seus outros dois filhos, também menores de idade.

Ingrid McGaughey, da defesa, argumentou no processo que seu cliente ama seus filhos e, como é muito religioso, tenta discipliná-los de acordo com a escritura. "O senhor Edetanlen acreditava firmemente no ensinamento de que, se você poupar a vara, estragará a criança", disse à imprensa.

Dalia Racine, da promotoria, argumentou, na acusação, que nada justifica a violência, ainda mais contra um bebê, e pediu a condenação, o que foi aceito pela Justiça.

A pena não foi maior porque Edetanlen admitiu ter cometido homicídio involuntário e assumiu a culpa pela prática de crueldade contra as crianças.

Com informação do site da WSBTV e da  Bíblia online.





Livro de pastor sobre como bater nos filhos teria causado três mortes
novembro de 2011

Malafaia cita castigo bíblico à vara contra lei que pune pais violentos
dezembro de 2011

Fanatismo religioso.


Comentários

  1. A regra continua!

    Falar com deus, religioso.
    Deus falando com você, você tem problemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que vi uma caveira ateísta de olhos vermehos falando neste blog.

      Excluir
    2. o que tema ver crentalha, senão tu não gosta das notícias e conteúdos desse blog,não o visite, só pra sentir raiva, crentelho vai blog gospel que tu ganha muito maius,

      Excluir
    3. Morrigan Aensland,

      Isso de religiosos visitarem sites de conteúdo ateu para passar raiva se chama masoquismo emocional.

      Vai gostar de sofrer assim lá onde Judas perdeu as botas...

      Excluir
    4. vcs acham isso engraçado, um pai matar um filho de 5 meses?

      Excluir
    5. Ninguém achou engraçado, só estamos JOGANDO NA CARA DE ESTÚPIDOS, que tem cérebro mas não usam, de que religião está ai, desde sempre fudendo geral.

      Excluir
  2. Ele fez o que Deus pediu esta certo a educação vem do berço a criança que teve a infelicidade de morrer, este varão de Deus é digno de sua divina graça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou esse anônimo ta trolando ou é um tremendo de um safado.

      Excluir
    2. Eu fui sarcástico..póis é assim que os evanjegue pensa.

      Excluir
    3. Esse anonimo que não entendeu isso que você escreveu, certamente deve ser um evanjegue tbm.

      Excluir
    4. Infelicidade não, foi para deus sem pecado, apenas o pecado da concepção, logo, o pai o ama e o mandou para o céu.

      Excluir
    5. Me desculpe, meu senso de sarcasmo esta of hoje.

      Excluir
    6. Sem brigas entre os amigos ateus, por favor.

      O aprendiz de piadista não tem culpa de seus colegas ateístas serem ainda mais bobos e sem senso de humor do que ele.

      Excluir
    7. Falou o verbalmente viciado em chamar tudo de "bla, bla, bla ÚTIL", "merda, merda, merda ÚTIL"...

      Falou o grande INÚTIL!

      Excluir
    8. Falou mais um inútil útil furioso.

      Excluir
    9. Menos mal. E você, sabe pra quê e pra quem você é útil?

      Excluir
    10. Ta ficando Meta esse papo, já...

      Excluir
  3. Deveria se matar. Ele e todos os religiosos alienados.

    ResponderExcluir
  4. O que vão dizer agora? Que ele não interpretou a bíblia direito?

    Winston Smith

    ResponderExcluir
  5. Esperando malabarismos pra modificarem as frases bíblicas.

    ResponderExcluir
  6. Esse aí interpretou a bíblia ao pé da letra

    ResponderExcluir
  7. O castigo corporal deve ser exceção e não a regra na educação dos filhos. E, quando for aplicado, que seja de um maneira equilibrada e adequada. Espancar um filho até a morte não é um exemplo de equilíbrio.

    Particularmente, não sou contra as palmadas. Mas, como eu já disse, há que se ter equilíbrio ao aplicá-las.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não esperaria outro posicionamento deste ateu com 'alma' de cristão. Tsk, tsk...

      Excluir
    2. O dr. Papp não é contra castigos corporais como forma de educação infantil. Ele acha que, 'se aplicado de maneira equilibrada', tal violência poderá ser eficaz na educação de um ser humano. Enfim, é brasileiro com muito orgulho, não é?

      Nos países civilizados onde até mesmo a palmada 'equilibrada' é proibida, as crianças vivem se transformando em cidadãos indisciplinados e más pessoas, não é mesmo?

      Ah, sim, provavelmente lá não acontece por que 'é outro contexto sócio-religio-cultural e blá, blá, blá', né?

      Faz sentido todas as demonstrações de simpatia do dr. Papp pela religião e seus praticantes, afinal, é um legítimo "tupiniquim ateu com 'alma' de cristão"!

      A educação acadêmica que recebeu numa instituição confessional (religiosa) deve ter tido um papel bastante importante na formação de seus conceitos pró-religiosidade... ou não.

      Excluir
    3. Ele apenas fez uma fiel repetição do discurso dos religiosos sobre a educação infantil. Não há surpresa nenhuma!

      Excluir
    4. O Willian Papp falou uma coisa simples e verdadeira, que qualquer pai, mãe, qualquer pessoa normal reconhece como sensata e razoável.

      Mas as bestas adestradas na ideologia do politicamente correto e do Estado-controlador-de-tudo dão chilique, acham um absurdo o que o Papp falou, o acusam de "falso ateu", acham que é o fim do mundo.

      Arrisco-me a diagnosticar o problema central de tais bestas: falta de uma boas palmadas educativas no rabo.

      Excluir
    5. Reacionários se identificando e apoiando as opiniões do Willian Papp. Bastante previsível!

      Excluir
    6. Idiotas úteis "progressistas" furiosos com as opiniões do Willian Papp.

      Mais previsível ainda.

      Excluir
    7. Se o Willian Papp fizer um comentário longo e "ponderado" pra defender seu ponto de vista conservador, será que o senhor irá promovê-lo a post também?

      Excluir
    8. tensão no playground15 de outubro de 2012 08:47

      Plim-Anônimo, menino fazendo bico, em campanha contra as opiniões de William Papp e de quem concorda com ele.

      Alguém tem um pirulito para acalmar a criança que tem medo de palmada?

      Excluir
    9. Eu não sabia que você era "engraçado"...

      Excluir
    10. WillPapp arranjou um "Personal Troller".

      Excluir
    11. Equilíbrio se o batedor estiver numa corda bamba.

      Excluir
    12. A família antecede ao Estado. É na família que a criança recebe o conhecimento necessário de como se comportar diante do mundo. Ensinar limites às crianças é necessário. Mais do que isso: ensinar às crianças noções de respeito às hierarquias é fundamental. Uma criança que não obedece aos pais não obedecerá ao professor, ao policial, ao juiz. Um desrespeitador é um problema. Não, apenas, para o mundo, mas, principalmente, para si mesmo. E o mundo não terá complacência dele: o mundo irá surrá-lo quantas vezes forem necessárias. O mundo é cruel.

      Ao tirar a liberdade dos pais de usarem os meios necessários para a educação de seus filhos as posições se invertem. Ao blindar as crianças e adolescentes e conferir-lhes poderes de enfrentarem os seus pais e ganharem essa disputa, estaremos formando uma sociedade onde os filhos mandam nos pais e, não, o contrário. É um descalabro.

      Dar um corretivo num filho deve ser encarado como uma exceção e, não, como uma regra. Não se deve fazer do castigo corporal uma prática para todas as ocasiões. Mas, tirar o direito que os pais têm de fazê-lo é uma intromissão do Estado na vida privada, na família.

      Sociedades boas são aquelas que se fundam no respeito: respeito à família, às leis e às instituições. Essa lei destrói a família, pois transforma crianças em tiranos intocáveis. Uma geração de insolentes substituirá as gerações antigas. E essa geração tornar-se-á o Estado. Será o caos e a volta da barbárie.

      Excluir
    13. Willian Papp,

      A família antecede ao Estado, mas o indivíduo antecede à família. Os pais não são donos do corpo e da mente dos filhos, mas sim provedores de necessidades fisiológicas, atenção e afeto.

      O ser humano de fato é animal que golpeia, mas pais/babás equilibrados impõem respeito por palavras e pelo exemplo. Acho que todos nós concordamos que apelar a castigos corporais deve vir em último caso, mas tal exceção se torna desnecessária quando os provedores utilizam a razão em vez da força bruta.

      E muitas vezes uma palavra ofensiva na infância marca mais (fica gravada permanentemente num indivíduo) do que tapas ou chacoalhões.

      Tem algumas pesquisas (não opiniões com juízo de valor) americanas que mostram que punições físicas são ou inúteis ou traumatizantes. É só pesquisar a respeito.

      Excluir
    14. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    15. Willian Papp, não me parece que países como Suécia (1979), Dinamarca (1997), Noruega (1987), Finlândia (1983), Aústria (1989) e outros, que possuem leis mais rigorosas e "intrusivas" do que as brasileiras a esse respeito, estejam a beira do "caos e a volta da barbárie". As datas que estão entre parenteses são as datas das leis. Mesmo esses países que possuem alto IDH e principalmente, educação de qualidade, optaram pelas leis nessa questão.

      E concordo com J. Tadeu: "Acho que todos nós concordamos que apelar a castigos corporais deve vir em último caso, mas tal exceção se torna desnecessária quando os provedores utilizam a razão em vez da força bruta."

      Excluir
    16. J. Tadeu e Dimitri

      Acho que vocês não entenderam.

      O Brasil já possui leis que proibem a agressão, quer seja em adultos ou crianças.

      É obvio que eu sou contra a agressão. E é obvio, também, que sou a favor do uso da razão.

      Parece haver uma proposital dificuldade de entender o que eu digo.

      Não estou fazendo campanha para que os pais possam espancar até a morte os seus filhos. Estou dizendo que como última alternativa, uma palmadinha, sem violência, sem causar danos ao corpo da criança, pode resolver e ser útil no processo de educação. Conseguem compreender isso?

      Não somos um país como a Suécia, a Dinamarca, a Noruega. O Estado lá oferece educação de VERDADEIRA qualidade. E aqui?

      As coisas não são assim: se funciona na Suécia, na Áustria, na Finlândia então funcionará no Brasil. Não sejam tolos. A pergunta que se deve fazer é: por que funciona lá? O que eles fizeram para que funcionasse?

      Estamos no Brasil. Não se esqueçam disso.

      Excluir
    17. Eles mudaram seus juízos de valores, diferente de você, que é um ateu com alma de cristão.

      No Brasil, pais sempre foram donos e bateram em seus filhos, e veja como está nossa sociedade hoje (incluindo o estado, a educação, e tudo mais que foi fruto desta mentalidade tacanha que você defende).

      Excluir
    18. “É obvio que eu sou contra a agressão. E é obvio, também, que sou a favor do uso da razão.”

      Hum, compreendi... mas logo depois;

      “Estou dizendo que como última alternativa, uma palmadinha, sem violência, sem causar danos ao corpo da criança, pode resolver e ser útil no processo de educação.”

      Ahhhhhh entendi... desferir uma “palmadinha”, que nada mais é do que o uso da mão aberta contra a direção da outra pessoa, desde que não cause “danos” ao corpo de outra criança, não é uma violência!

      Poxa, como é que não te compreendem mesmo, né?

      Mas porque cargas d´águas quando a gente dá uma palmadinha “sem danos” em uma pessoa maior de idade é considerado uma violência, a ser tipificado como vias de fato, uma contravenção penal?

      Porque não compreendem que uma palmadinha, seja em quem for (criança ou adulto) não é violência, né? Porque na criança é educação, e no adulto violência? Em todos deveriam ser úteis no processo de educação, não?

      Ou será que a cabeça patriarcal, de uma mentalidade medieval onde se estipulava a propriedade dos filhos, que advém de uma cultura de violência, não nos permite deixar de sermos limitados pela síndrome do vira-lata (como você fez no seu comentário, ao referir que o Brasil não pode ser comparado à países europeus) e passar a ter uma educação a nível de país que preza a inteligência e a verdadeira razão e o uso racionalidade?

      Opaaaa... esqueci... dar palmadas não é violento... é o verdadeiro uso da razão, de dar inveja a muitos escritores filósofos....

      Diante isso, fica fácil responder essa sua pergunta:

      “Conseguem compreender isso?”

      Sim... você é tão somente a favor da superioridade física como forma de doutrinação daqueles com inferioridade física. Como as pessoas não conseguem lhe entender, não é mesmo?

      Excluir
    19. Excelente o comentário de Anônimo 16 de outubro de 2012 03:35, eu assino embaixo!

      Até pouco tempo eu achava que aquela tal "Sociedade Conservadores Ateus" poderia ser algum tipo de trollagem criada por crentes para ludibriar ateus incautos, mas aí eu conheci o Willian Papp e minha dúvida foi erradicada.

      Alguns ateus devem fazer muita inveja a Julio Severo...

      Que situação!

      Excluir
    20. Eu deixei bem claro a minha opinião sobre o castigo corporal, ou seja, o uso da palmada pedagógica. Está mais do que evidenciado que eu a reconheço como último recurso no processo de educação dos filhos. Disse que ela é exceção e que não deve ser usada para todas as ocasiões. Disse, também, que dar palmada não se confunde com surrar os filhos. Para qualquer pessoa honesta isso ficaria mais do que claro. As críticas às minhas opiniões, com algumas exceções, apenas, distorceram aquilo o que eu disse. Construíram-se espantalhos. Destaco a seguir a opinião de psicólogas, sim, mulheres, mães que corroboram com o meu modo de pensar.

      De acordo com a psicóloga Marilda Lipp, professora da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, o castigo físico aceitável e educativo é aquele que não machuca, apenas estabelece uma comunicação imediata e põe a criança em estado de alerta para entender o que é certo. "Beliscões, puxões de orelha ou surras de cinto são inadequados, porque doem e podem causar danos ao desenvolvimento da criança. Mas um tapa leve pode ter grande valor de instrução e proteção", ela diz. Para Marilda, a palmada deve ser usada quando a criança se expõe a situações de perigo, não entende algo que já foi explicado verbalmente muitas vezes ou desrespeita e agride de maneira muito acintosa os pais ou outras pessoas.

      http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/palmadinha-fora-lei-584360.shtml

      Como explicou a VEJA a psicóloga Jônia Lacerda, do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo (USP), castigos mais diretos como um leve tapa ou um olhar mais rígido podem surtir maior efeito em crianças pequenas do que a bronca em palavras. “A criança de até cinco anos ainda não tem plena capacidade intelectual para entender conceitos abstratos. Para ela, a linguagem corporal, muito mais direta e clara que a verbal, pode ser mais apropriada em algumas situações”, afirma.

      http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/brasileiros-sao-contra-lei-que-proibe-palmadas


      Para a terapeuta infantil Denise Dias, autora do recém-lançado livro "Tapa na Bunda - Como Impor Limites e Estabelecer um Relacionamento Sadio com as Crianças em Tempos Politicamente Corretos" (R$ 27, Matrix), as palmadas podem ser usadas na educação das crianças, sim.

      http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2011/11/11/palmadas-educam-ou-traumatizam-especialistas-e-pais-divergem-sobre-o-assunto.htm


      A psicóloga Olga Inês Tessari assina embaixo e afirma que tem horas em que não adianta falar: só uma palmadinha adianta. “Não é pra bater quando está com raiva para não machucar a criança e sim mostrar autoridade, quando a argumentação não está funcionando, mesmo que seja em público. Dessa forma, os pais estão preparando os filhos para o mundo, que dá tantos tapas na gente”, defende a psicóloga, garantindo ainda que a criança chora na hora em que apanha, mas é capaz de entender que estava errada e que mereceu ser repreendida. Quando a criança revida o tapa, Olga sugere o seguinte: “mostrar o tamanho da mão e usar o argumento de que se a mãe for bater vai doer muito mais”, aconselha. Contudo, Olga não é de forma alguma favorável a surras ou palmadas com muita freqüência. “O recurso da palmada só vale em último caso. Se for um hábito, é sinal da falta de autoridade dos pais e hora de rever o tipo de educação que estão dando aos filhos”, diz ela.

      http://www.olgatessari.com/id260.htm


      Espero que, finalmente, tenha ficado claro o meu ponto de vista. Críticas são bem vindas. Falácias e desonestidades, não.

      Excluir
    21. Falácias e desonestidades, segundo Willian Papp = Discordância de suas opiniões conservadoras.

      Todavia, ficou claro que você é da mesma opinião do tal americano, sendo que o conceito de "limite" nos casos de espancamento "pedagógico" é algo totalmente subjetivo, assim como seus posicionamentos.

      Bater nos filhos e usar drogas, ambos os autores de tais ações dizem que "podem parar quando quiserem". Quando viciados não conseguem parar, sofrem overdose, e quando pais espancadores "pedagógicos" não conseguem parar, matam seus filhos, como foi o caso do americano!

      Excluir
    22. Eu respeito sua opinião, ainda mais pq é compartilhada por muitas pessoas da família, inclusive meus pais e eu fui uma criança que passou por punição corporal algumas vezes e não, nunca foi o que você provavelmente chamaria de excessiva; Nunca tive um braço, ou perna quebrado por surra ou tive algum tipo de cicatriz ou mesmo sangrei alguma vez, então o que eu vou dizer não é de forma alguma as palavras de uma "criança mimada que nunca apanhou"...
      Eu acho a ideia que você não pode educar seus filhos sem bater absolutamente errada. Sim, você DEVE impor limites e ensinar seu filho a aceitar um "não" (ou, melhor, ensinar a como argumentar um "não"), mas punição corporal não é de forma nenhuma mais efetiva que um castigo que prive a criança de algo que ela goste como consequência de uma má ação, alem de que, privar o seu filho de algo que ele gosta como punição é uma forma bem mais realista de punir que bater, porque é assim que a sociedade civilizada DEVERIA funcionar; Quando cometemos uma transgressão ou erro, encaramos conseqüências, as maiores possíveis para as maiores transgressões seria a privação da liberdade por exemplo, não apanhar.
      Bater nos filhos parece que funciona quando eles são crianças, você bate, o pirralho cala a boca e você pode relaxar, mas no fundo o que realmente ensina a eles que violência é uma solução, que se algo te irritar ou te frustra; basta bater nela e isso resolve todos os seus problemas! E isso é ridículo e uma péssima lição pra se ensinar a um outro ser vivo que vai viver numa sociedade onde violência vai te por na cadeia (e não te manter fora dela, como diz a velha desculpa).
      E eu falo sobre a reação violenta por experiência própria; minha primeira reação a frustração é o desejo de bater até ela ir embora, felizmente consigo evitar com mais e mais facilidade com cada novo ano e isso me da esperança porque eu espero nunca bater nos meus filhos, mas levando-se em conta minha criação...

      Bem TLDR: Violência NUNCA é a solução, só cria mais problemas a longo prazo...

      Excluir
    23. Concordo. E podemos reparar que quanto mais religiosa é a cultura de um país (vide USA e BRA), onde é comum o uso da "palmada pedagógica" nas crianças, mais violenta é a sociedade!

      Excluir
    24. Esse Willian Papp é mesmo um ateu com alma de cristão. O cara repete os mesmos discursos do maluco Julio Severo e sua trupe cristã. Gente assim tem mente fechada, já foram programados com os tais princípios e valores tradicionais. São caso perdido.

      Excluir
    25. Conservadores são feito robôs. Pré-programados, não conseguem raciocinar com base em suas próprias observações do mundo sem antes passar pelo "filtro" da doutrina a que foram submetidos! São fadados à repetição e completamente bloqueados à evolução!

      Excluir
    26. Como sabiamente escreveu Isac Asimov "A violência é o último recurso do incompetente". Na verdade é o recurso mais fácil. Bater sempre é mais fácil do que pensar em formas melhor de educar, e não resolve nada.

      Como jornalista, já verifiquei que a maioria dos jovens delinquentes vem de lares que sofrem violência doméstica, por exemplo.

      Se fala em "pregar valores", mas a verdade é que a maioria das surras são por motivos mesquinhos como perturbar o sono do pai ou quebrar algo do imobiliário num acidente. Falo disso de carteirinha, porque não me faltaram surras na infância. No entanto não aprendi nenhum valor moral e ético com meu pai, aprendi sobre honestidade e caráter com minha mãe, que não me batia. Assim são as coisas.

      Usar a violência como método de "ensino" tão somente cria pessoas violentas e propensas ao mesmo. Lembro de um moleque na minha escola que gostava de bater nos mais novos e menores. Tempos depois decobrimos que ele apanhava muito em casa. É a teoria do oprimido do Gilberto Freire em ação nos simples lares domésticos brasileiros.

      Seja como for, digo de carteirinha, que ser privado da liberdade de sair de casa, ou de um brinquedo, ou da sacro-santa TV, pode ser pior do que uma surra. Mas tão importante quanto o castigo é contextualizar o motivo da punição. O que a maioria dos pais agressores não o faz quando aplica as surras corretoras. A criança sabe que está apanhando porque errou, mas porque exatamente errou? Por isso não surpreende que insista no erro, até como meio de revolta.

      Excluir
  8. Fernanda Dias da Silva14 de outubro de 2012 18:04

    Quando eu digo que a bíblia está totalmente ultrapassada ninguém acredita....

    ResponderExcluir
  9. mais outro louco religioso

    ResponderExcluir
  10. Típico discípulo de Abraão.

    Att.,

    Espancador de Pastores

    ResponderExcluir
  11. Quem mandou espancar as crianças? O mesmo "Deus" que exterminou a humanidade no velho testamento. Que manda descer a porrada nos filhos.

    Se eu tivesse que escolher em que Deus acreditar, seria naquele que diz ser amor. Naquele que deseja paz na terra aos homens de boa vontade, e que manda amar ao próximo como a si mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com um deus desse, quem precisa de demonio?

      Excluir
  12. Olha a cara de trollface dele, até parece que está dizendo ,só fiz o que deus mandou qual o problema.

    ResponderExcluir
  13. O Título já diz tudo:
    "Americano que matou filho de 5 meses diz ter seguido a Bíblia"

    1º- Cada marginal diz o que quer.

    2º- Quando se é um marginal sem amor deturpamos tudo e traduzimos tudo sempre almejando o pior. É o que muitos fazem quando traduzem "Provérbios 13:24". Sendo assim devemos deixar de usar algumas palavras do portugues como "vara" pois são ínumeros seus significados.

    3º Quando se é um abestado não olhamos para o amor que a Bíblia prega e a deturpamos a nosso bel prazer.

    Correto o tribunal que o condenou, pois foi coerente não crendo no argumendo espúrio de um abestado que o único propósito era o de causar dor aos seus filhos e nada mais.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coerente nada. A própria bíblia defende que seus filhos desobedientes sejam apedrejados até a morte, o tribunal está oprimindo a "liberdade religiosa" dele, isso é perseguição! Deveriam soltar ele para continuar seguindo a palavra de deus, executando as mulheres adulteras.

      Excluir
    2. Deus matou milhões segundo a biblía ,ele estava usando a vara.

      Excluir
    3. Muitos precisam levar uma varada corretiva minha, meus filhos estão desobediantes ,me deixaram e se arderam de amor pela besta politica e me sacaneiam com o dizimo porque não chega nenhum trocado aqui pra mim, agora vão receber a minha Vara Corretiva

      Excluir
    4. o dono da vara procurando-a14 de outubro de 2012 22:19

      Cadê minha vara pra se transformar em cobra e pra tirar água da pedra?

      Excluir
    5. É só falar em VARA e ficamos excitadas, e falamos da VARA mais ainda.

      Excluir
    6. O "Dr. Moderado", vulgo Willian Papp, apoia o uso da vara (agressão física) como forma de educação infantil, desde que a aplicação da vara seja 'equilibrada'.

      E tem gente que ainda acha que esse país, rascunho dos USA, tem jeito!

      Haja estômago...

      Excluir
    7. Educação Progressista15 de outubro de 2012 01:18

      Bom é ser rascunho da URSS, de Cuba, China.

      Nada de palmadinhas educativas, dadas por pai e mãe.

      O certo é o Estado (laico, claro) se metendo em tudo e educando as pessoas, punindo-as por qualquer motivo com cadeia, censura, perseguição... e a ação educativa suprema: FUZILAMENTOS NO PAREDÓN.

      Excluir
    8. Confesso que eu ficaria preocupado se eu percebesse que reacionários conservadores homofóbicos estariam apoiando meus posicionamentos (e o fazendo com veemência)!

      A menos, é claro, que no fundo, eu também nutrisse a mesma visão de mundo que essas pessoas.

      Excluir
    9. Esse Plim! é mais bobo do que eu imaginava.

      Revela-se mais um idiota útil repetidor de bobagens e chavões politicamente corretos.

      Excluir
    10. ah, vai pentear macaco reaça, tu não merece nem o ar que respira,maldito.

      Excluir
    11. Bem observado, Filho de Abraão.

      Lembrando:

      "O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama desde cedo o castiga." (Provérbios 13:24)

      "Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não deixes que o teu ânimo se exalte até o matar." (Provérbios 19:18)

      Excluir
    12. Esta certo bem observado ,espancar pode ,mais matar não , uau que sabedoria que obvio, quando estiver espancando seu filho é vontade divina, mais só cuidado pra não matar..uauuu que deus legal

      Excluir
    13. Só pode matar se receber alguma revelação divina mandando você sacrificar seu filho.

      Lembre-se, segundo a Bíblia, filhos são propriedade dos pais, assim como a esposa é propriedade do marido e ambos são propriedade de Deus, portanto, quem está um nível acima na hierarquia tem todo direito de fazer o que bem quiser com suas propriedades!

      Excluir
    14. Se for em defesa da causa gay e ateísta, e pelo bem do Estado gay ateu, digo laico, devemos pegar em armas e matar filhos, pais, mães, avós, padres, pastores, todo mundo que nos contrariar.

      Excluir
    15. crentelho conspiracionisma birutinha found, descçam bala nele é um espião reacionário.

      Excluir
    16. Deus não matou Adão e Eva no dia em que comeram o fruto, conforme tinha dito.

      Excluir
  14. Isso é um animal ignorante, soberbo e, segundo sua própria crença, um pecador.

    Sim, em Provérbios 13:24 está escrito:

    "O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama desde cedo o castiga."

    Mas, em Provérbios 19:18, lê-se:

    Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não deixes que o teu ânimo se exalte até o matar.

    Portanto, a punição foi justa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu sábio filho, lembra quando lhe dei uma estilingada na bunda por você, já crescido, ter batido naquele anão?

      Excluir
    2. Como bem lembra o sábio Salomão:

      "Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não deixes que o teu ânimo se exalte até o matar." (Provérbios 19:18)

      Pô, ficou difícil pôr a culpa na Bíblia agora.

      Excluir
    3. "Pô, ficou difícil pôr a culpa na Bíblia agora." -(¬¬')

      O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga.(Provérbios 13:24)

      Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não deixes que o teu ânimo se exalte até o matar.(Provérbios 19:18)

      -Espancar, surrar e maltratar pode, só não pode matar (é isso mesmo?). Entretanto,...

      Quando alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedecer à voz de seu pai e à voz de sua mãe, e, castigando-o eles, lhes não der ouvidos,
      Então seu pai e sua mãe pegarão nele, e o levarão aos anciãos da sua cidade, e à porta do seu lugar;
      E dirão aos anciãos da cidade: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz; é um comilão e um beberrão.
      Então todos os homens da sua cidade o apedrejarão, até que morra; e tirarás o mal do meio de ti, e todo o Israel ouvirá e temerá.(Deuteronômio 21:18-21)

      -E o que o salmista fala sobre isso:

      Ah! filha de babilônia, que vais ser assolada; feliz aquele que te retribuir o pago que tu nos pagaste a nós.
      Feliz aquele que pegar em teus filhos e der com eles nas pedras.(Salmo 137:8-9)

      -É claro, só vale para os "inimigos".

      Excluir
  15. Eu acho que bater num filho dificilmente o educará. Até hoje não vi nenhum filho que não ficasse com raiva dos pais que o batem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O mundo civilizado concorda contigo, mas os conservadores (defensores do atraso) acreditam que bater moderadamente ("palmadas") pode ser um método de educação muito eficaz, senão, imprescindível.

      Excluir
    2. Dar umas palmadas no filho pode ser, sim, medida educativa a ser usada em determinados casos, principalmente quando outros métodos não funcionam.

      Seus pais devem (ou deveriam) saber disso.

      Excluir
    3. No seu caso, não recebeu palmadas e nem educação.

      Excluir
    4. Raul no Playground15 de outubro de 2012 08:38

      Plim! plunct!, plact!, zum! (menininho correndo das palmadas da mamãe)... não vai a lugar nenhum.

      Excluir
    5. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    6. Só se for educação de bater também depois de crescer e tiver um filho.

      Excluir
  16. Terapeuta de Infância Prolongada15 de outubro de 2012 04:05


    Sua mãe ou seu pai nunca deu umas palmadinhas em você?

    Se deram, você ficou com uma raiva incurável deles, que até hoje não conseguiu superar?

    Agora vocês se empenha em mudar as leis do mundo, como busca de solução para seus problemas pessoais?

    Dica:

    É recomendável que você busque tratamento para esse seu problema. No consultório ou numa clínica, não no Congresso Nacional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr. terapeuta idiota, minha mãe me espancou não foi com chineladinhas não, era de fio de ferro pra cima.E isso era com constancia.
      Como após adulto percebí isso como tortura de um ser despreparado para educar, tomei iniciativa de nunca bater em meus filhos. E assim o fiz.
      Hoje tenho duas filhas adultas muitissimo mais euilibradas que eu.
      Se bater resolvesse algo, não existiriam bandidos, pois os mesmos vivem sendo tortuados em delegacias.
      Bater é para idiotas e seguidores de biblias.

      Excluir
    2. Até parece que basta não bater na criança e ela cresce equilibrada e saudável.

      Excluir
    3. Não basta deixar de bater, é preciso educar, coisa que certamente você e sua estirpe desconhecem, por isso optam pela violência física.

      Excluir
    4. Esses espancadores da "palmadinha corretiva" não sabem e simplesmente dar boa educação a seus filhos, afinal, eles não podem oferecer aquilo que nunca receberam!

      Excluir
    5. Como tem criança com medo de palmada postando neste blog.

      Excluir
    6. O "terapeuta" aí deve ter feito um curso com a "psicóloga" Marisa Lobo, só pode!

      Excluir
    7. Tive uma idéia original, criativa e inédita:

      Vamos denunciar a Terapeuta ao Ministério Público e ao CFP, para que a obriguem a calar a boca, e cassem o diploma dela.

      O importante é calar e punir quem nos contraria, sempre!

      Excluir
    8. Melhor é empalar, apedrejar ou até mesmo mandar pra fogueira, aí sim, no velho e bom estilo cristão!

      Excluir
  17. "Men never commit evil so fully and joyfully as when they do it for religious convictions"
    -Blaise Pascal

    ResponderExcluir
  18. Não acho que palmada seja um bom coadjuvante para educar uma criança. Ainda mais em se tratando de um bebê! Pra quê usar como referência um livro escrito pra gente da idade do bronze? Os autores de hoje são melhores que eles. Eu nunca educaria meu filho usando a bíblia como referência, nem mesmo nas passgens boas. Há outras obras que contém passagens de valor igual ou até melhor, e que não mandam apedrejar ninguém. E além disso, as partes boas da bíblia não são nem originais. Valores morais podem ser encontrados fora das páginas da bíblia.

    ResponderExcluir
  19. se desculpa, e culpa a Bíblia15 de outubro de 2012 07:33

    O sujeito espanca um bebê até a morte, e diz que o fez em obediência à Bíblia.

    Assim fica fácil.

    Qualquer maluco, supostamente cristão ou ateu, pode usar essa desculpa...

    E, o mais importante: põe a culpa na Bíblia e no Cristianismo, os bodes expiatórios ideais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tadinha da Bíblia, tadinho do Cristianismo, tão inocentinhos, que dó, que dó...

      Excluir
    2. Corrigindo o choro:

      Bíblia maldita, Cristianismo malvado, culpados de tudo de ruim que há no mundo!

      Excluir
    3. No mundo? Nem tudo.
      No ocidente de cultura judaico-cristã? Certamente.

      Excluir
    4. Obrigado pela inteligente contribuição, Plim.

      Corrigindo o choro novamente:

      Bíblia maldita, Cristianismo malvado, culpados de tudo de ruim que há no ocidente de cultura judaico-cristã!

      Excluir
    5. Por nada, Eric.

      Agora pode voltar a chorar pelas acusações "injustas" e pelas "perseguições" que os ateus malvados estão fazendo contra o seu sistema sócio/cultural/religioso tão "benevolente" e cheio de "boas intenções"!

      Quer um lencinho?

      Excluir
    6. Plim, o menino maluquinho fugindo das palmadas da mãe.

      Excluir
    7. Viu o que acontece com quem recebe "palmadas" na infância? Eu era cristão, recebi muitos "corretivos" na infância, mas agora que eu cresci, me tornei ateu, secularista e luto para ajudar a desconstruir todo seu sistema religioso/cultural/político...

      Parece que a vara do senhor não só fez com que eu me desviasse do caminho, como alimentou minha gana para tira-lo do mapa e seguir meus próprios rumos, muito menos sombrios e menos tortuosos!

      Excluir
    8. Vara: ferramenta ateísta15 de outubro de 2012 08:56

      Muito importante a sua contribuição, Luci.

      Baseado no seu testemunho, podemos concluir que dar palmadas nas crianças é bom, pois forma novos ateus revoltados para lutar contra a religião malvada e contra toda a sociedade cristã.

      A vara te fez bem, e pelo jeito ainda faz!

      Excluir
    9. @se desculpa, e culpa a Bíblia

      põe a culpa na Bíblia e no Cristianismo, os bodes expiatórios ideais.

      Não são bodes expiatórios, são culpados por muitas atrocidades ao longo da história. Não há como apagar o que está escrito em Provérbios 13:24. Nem dar outra interpretação, é aquilo mesmo.

      Qualquer maluco, supostamente cristão ou ateu, pode usar essa desculpa...

      Só um maluco cristão dá essa desculpa, pois são eles que seguem a bíblia. Não tem jeito, a passagem é uma porcaria e tem cristão que segue ela à risca.

      Excluir
    10. Quem não segue a Bíblia pode também dar essa desculpa. E culpá-la, para júbilo ateísta.

      Excluir
    11. vcs crentes trocaram estátua de santos para idolatrar um livro.

      Excluir
  20. Segundo a biblia você pode espancar até quase matar seu filho,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Segundo a Bíblia, os filhos são PROPRIEDADE PARTICULAR dos pais, assim como a esposa é PROPRIEDADE PARTICULAR do marido e ambos são PROPRIEDADE PARTICULAR de Deus (no caso, daqueles que representam tal entidade na Terra, seja uma instituição, uma pessoa ou um livro).

      Excluir
  21. A religião está de parabéns. Mais uma morte pro contador.

    ResponderExcluir
  22. Quantas mortes tem nas costas os ateus????????????????????? E os católicos que na verdade são ATEUS pois não creem em uma virgula do que pregam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. crentelho chato, vai dar dar dizimo pro e deixa a gente quieta

      Excluir
    2. Na verdade os católicos são evangélicos, até por que, foram eles que escreveram os evangelhos. Portanto, cristãos são todos farinhas do mesmo saco. Até ateus que praticam maldades são, no fundo, cristãos, pois estão praticando atos ensinados pela cultura judaico-cristã!

      Excluir
    3. Um exemplo daqui mesmo é o Willian Papp, que é um "ateu" mas possui caráter, valores e conceitos totalmente cristãos.

      Excluir
    4. Pra que ofender o cara? O que e' que ele te fez?

      Excluir
    5. Acho que seria melhor aplicar algumas "palmadas pedagógicas" (em versão para marmanjos) no cara, afinal, se os argumentos racionais não funcionam com esses fascistas conservadores, então que se utilize o último recurso (mas, como eles dizem: "sem espancar até a morte", claro). Qual o problema, não é mesmo??? Será apenas um "complemento" à argumentação, champz! ;)

      Excluir
  23. Respostas
    1. Jeová, o carniceiro todo fodao, não matava primogênitos na Bíblia? Ora, esse canalha filicida nada mais fez que imitar o Papai Noel dos adultos...

      Pena que não tem pena de morte nesse estado...

      Excluir
  24. Pelo jeito, esse Benjamin Edetanlen é um desequilibrado. Usar a Bíblia, que é a Santa Palavra de Deus, para justificar esse ato bárbaro -- o assasinato do filho --, é um completo disparate. Mais um louco 'à solta', felismente agora condenado e preso.
    Justiça foi feita. Pena não trazer essa criança de volta à vida.

    ResponderExcluir
  25. Olha, quanto a opinião do Will Papp acho que ele está sendo mal entendido mesmo.
    Bater por bater, pra descontar a raiva de ver o filho o desobedecer, é claramente prejudicial a criança, pois demonstra fraqueza de liderança dos pais, que agem por instinto mais que pela razão.
    Porém, uma palmada, ou melhor, um contato físico, que seja um toque, junto com um "não!" na hora do ato é benéfico sim a criança, pois mostra a ela que você sempre estará presente em qualquer momento de estrepolia dele, e sempre o corrigirá na hora. Por hora, é o que funciona, mas o mais importante logicamente é o diálogo, sempre aberto e franco. Como disse o Will, contato físico apenas no ato, como exceção.
    Existe uma grande diferença entre contato físico e agressão, acho que foi isso que o Will Papp quis dizer.

    Winston Smith

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Existe uma grande diferença entre contato físico e agressão"

      E parece bastante "coerente" deixar que os próprios pais, no calor das emoções, julguem qual é qual e em qual medida deveriam aplicar, não é mesmo? Afinal, são raros os casos de espancamentos por parte dos pais, não é?

      "é benéfico sim a criança, pois mostra a ela que você sempre estará presente em qualquer momento de estrepolia dele, e sempre o corrigirá na hora."

      Belo método, pois assim a criança sabe que quando você não estiver por perto, poderá fazer o que ela quiser, afinal, o que a impediria de cometer algo será somente o medo de apanhar ao ser descoberta. Por isso nossa sociedade é cheia de gente consciente e ordeira, independente de policiamento ou outras fiscalizações, não é?

      A conservadora sociedade brasileira está de parabéns!

      Excluir
  26. Anônimo das 4:04

    Por que você não destacou o principal trecho do post?

    "Por hora é o que funciona, mas o mais importante logicamente é o DIÁLOGO, sempre aberto e franco."

    O contato físico é só uma exceção, que será evitada ao máximo e, quando usada, não machucará a criança.
    Se o pai não sabe segurar a emoção a culpa não é dos conservadores nem dos liberais, a culpa é dele mesmo, e pra isso existem as leis. Ou você acha que proibindo as agressões elas vão mesmo acabar? Não seja inocente.
    Só proibir não ajuda nada, tem que educar os pais também, e deixar que eles criem seus filhos com mais liberdade, só punindo o que for excesso.

    Winston Smith

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No realidade do Brasil, a lei também é, antes de mais nada, pedagógica! Os pais sabendo que qualquer "palmada corretiva" seria crime, logo, passariam a exercitar a educação de verdade, ou seja, apenas através do diálogo e do exemplo!

      É uma questão muito simples, mas o conservadorismo de muitos os impede de admitir o óbvio que já foi comprovado por A+B.

      Excluir
  27. Anônimo das 4:04

    Por que você não destacou o principal trecho do post?

    "Por hora é o que funciona, mas o mais importante logicamente é o DIÁLOGO, sempre aberto e franco."

    O contato físico é só uma exceção, que será evitada ao máximo e, quando usada, não machucará a criança.
    Se o pai não sabe segurar a emoção a culpa não é dos conservadores nem dos liberais, a culpa é dele mesmo, e pra isso existem as leis. Ou você acha que proibindo as agressões elas vão mesmo acabar? Não seja inocente.
    Só proibir não ajuda nada, tem que educar os pais também, e deixar que eles criem seus filhos com mais liberdade, só punindo o que for excesso.

    Winston Smith

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No realidade do Brasil, a lei também é, antes de mais nada, pedagógica! Os pais sabendo que qualquer "palmada corretiva" seria crime, logo, passariam a exercitar a educação de verdade, ou seja, apenas através do diálogo e do exemplo!

      É uma questão muito simples, mas o conservadorismo de muitos os impede de admitir o óbvio que já foi comprovado por A+B.

      Excluir
  28. Conservadores são um atraso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois sai espancando teus filhos.. ja q vc é muito avançado

      Excluir
    2. /\
      ||
      ||
      Esse tem "pobrema". ¬¬'

      Excluir
  29. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  30. Mayra Luíza Fernandes18 de outubro de 2012 12:00

    Ele só seguiu o que o pai dele fazia gente... Que mal há? Só mais uma criancinha morta..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pena de morte ou apodrecer na cadeia é o mínimo que esse sujeito merece.

      Excluir
  31. Como diz mamãe (q é catolica) esse povo tem mania de traduzir as coisas ao pé da letra sem entender realmente do q se trata faz merda achando q tá certo!

    ResponderExcluir
  32. Acho interessante o fato de que, se ele diz ter seguido a bíblia, ele é louco e ponto, recebe sua punição e não se fala mais nisso.
    Se ele dissesse que fez isso por que jogou algum game no qual ele reproduziu alguma cena de violência, ou por que leu um livro qualquer que continha algo do tipo, provavelmente o livro/game é banido/censurado/polemizado e o autor/franquia recebe infinitas críticas negativas ou processos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Se fosse um game de tiro, o game já estaria banido e os criadores presos.

      Mas a religião tem essa proteção especial. A culpa nunca é da doutrina e sim do seguidor acéfalo.

      Excluir
  33. Ser ateu ta na móda, quando aparece um retardado desses que faz uma desgraça dessa e coloca a culpa em Deus é um prato cheio, tem muita coisa escrito na biblia, se 10 pessoas lerem a mesma fraze teriam muitas opiniôes diferentes, po meu quebra uma perninha do bebe na pancada, esse kra tem que passar 50 anos preso, e criança tem que ter respeito pelo menos aos pais, senão cresce sem ter regras pra nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. [sic] móda, coisa escrito, fraze, opiniôes, po meu, bebe...
      cresce sem ter regras pra nada
      Tá explicado....

      Excluir
    2. esse crentalha deveria voltar à escola, tá carecendo de aulas de português urgente

      Excluir
  34. o ponto em que a biblia diz para corrigir o seu filho desde criança está absolutamente certo, porem tambem a biblia ensina a voce ter bom censo para educar seus filhos (se vc não sabe onde esta escrito isso, leia ela novamente!), isso foi um caso de fanatismo religioso, de falta de noção, se fosse uma criança de 4 ou 5 anos tudo bem, mas querer disciplinar um BEBÊ? isso é covardia, o que ele fez? mijou na cara do pai? não o deixou dormir de noite? isso todo bebê faz, tem que ter mais bom censo na hora de educar os filhos, Deus diz para educar seu filho com amor, mas se for preciso tem que disciplinar para que lá na frente a criança não cresça um assassino, um adulto mimado, ambicioso, egoísta, ai depois vem esse povo que não educa direito reclamar dos nossos governantes...

    ResponderExcluir
  35. O diálogo ou um castigo (como proibir o filho de jogar videogame por 1 mês por exemplo) funciona...mas nem sempre e nem com todas as crianças.

    Tem criança que é incorrígivel (eu já conheci algumas) e não havia diálogo ou castigo que funcionava com elas. Era a mesma coisa que nada. Infelizmente, elas acabaram se tornando adultos imaturos e mimados.

    Imagina os pais que estão em um supermercado com o filho de 3 anos e ele começa a berrar, a fazer pirraça pq pediu os pais para comprar um pacote de salgadinho e os pais falaram que não. Numa hora dessas, tentar conversar ou falar que o filho vai ficar de castigo assim que chegar em casa não adianta. Numa situação dessas precisa de uma solução imediata: um tapa na mão, por exemplo.

    Tapa na mão ou no bumbum não prejudica ninguém. O que não pode é agressão do tipo bater na criança com vara de marmelo, colher de madeira, cabo de vassoura, fio elétrico, queimar a criança com cigarro, deixar ela ajoelhada em cima do milho ou feijão por 1 hora ou mais, etc. Isso aí já é covardia.

    ResponderExcluir
  36. O pobre homem é só um seguidor religioso retardado mental.

    Errado mesmo está a religião que usa esse livro macabro e ultrapassado como verdade absoluta.

    ResponderExcluir
  37. Eu sempre soube que a religião é coisa do capeta e que foi ele mesmo que escreveu a bíblia...e o mais triste é que ainda tem gente que ainda o lê...

    ResponderExcluir

Postar um comentário