Falta coragem às autoridades para dar basta aos espertalhões da fé

Título original:
Os vendilhões dos templos eletrônicos 
em tempos de espertalhões da fé

por Luiz Cláudio Cunha
para Sul21

Nas eleições de 2010,
Dilma e Serra sucumbiram
à chantagem de religiosos
Incapaz de vender a alma ao diabo, a Rede Bandeirantes acaba de revender seu santo horário da noite para o pastor R.R. Soares, o líder da Igreja Internacional da Graça de Deus. O seu ‘Show da Fé’ de 20 minutos, que começava religiosamente às 21h, agora vai durar uma hora inteira, a partir das 20h30. Não se sabe ainda quanto custou esse novo e triplicado milagre, mas pelo contrato antigo o bom pastor já pagava R$ 5 milhões mensais à Band. O vil metal falou mais alto para a TV de Johnny Saad, que anunciava a devolução do horário nobre da noite a seriados consagrados, como o 24 Horas, para concorrer com as novelas da Globo e as séries do SBT, todas com melhor audiência.

A novidade escangalhou os planos do argentino Diego Guebel, que assumiu a direção artística da Band em outubro passado com a promessa de recuperar o espaço nobre e caro da noite para atrações mais mundanas do que a prosopopeia de Soares. A bíblica derrota de Guebel na Band é apenas outro indício da onda avassaladora do dinheiro que afoga a TV brasileira deste Brasil cínico que finge ser laico e imune à força econômica da religião e seus falsos profetas. Os canais de rádio e TV são concessões públicas, supostamente alheias aos credos e seitas religiosas que transformaram estúdios, igrejas, templos e estádios em púlpitos eletrônicos cada vez mais invasivos e escancarados.

Não existe ninguém no Governo ou no Congresso brasileiros com coragem para frear essa flagrante ilegalidade, sancionada por verbas, dízimos, patrocínios e uma farta hipocrisia. A irrestrita capitulação aos padres e pastores que lideram milhões de fiéis (e eleitores) ficou escancarada na última eleição presidencial, em 2010, quando os dois principais candidatos com raízes na esquerda — Dilma Rousseff e José Serra — sucumbiram vergonhosamente à chantagem das correntes mais atrasadas das igrejas, frequentando missas e cultos com o gestual mal ensaiado de pios devotos que não sabiam nem metade da missa, nem qualquer salmo dos evangelhos. Encenaram um constrangedor teatro de conversão medida para não ofender o eleitor mais ortodoxo. Para não perder votos, Dilma e Serra caíram na armadilha do falso debate religioso sobre o aborto — um tema que um e outro, por mera consciência política ou formação acadêmica, sabem que nos países mais evoluídos não passa de um grave e secular problema de saúde pública.

A submissão das instâncias do Estado secular ao poder cada vez maior das igrejas pode ser medida pela intrusão cada vez mais descarada da fé nos meios eletrônicos do Brasil, que deturpam a concessão pública pelo proselitismo religioso vetado pela Constituição. A igreja católica brasileira agrupa hoje mais de 200 rádios e quase 50 emissoras de TV, contra 80 rádios e quase 280 emissoras de TV de oito braços do crescente ramo evangélico. É um domínio que se fortalece cada vez mais, embora adaptando seu perfil para fórmulas mais agressivas e despudoradas de avanço sobre o bolso das populações mais pobres, mais desesperadas, menos instruídas.

Comer ou dormir

Em agosto de 2011, a Fundação Getúlio Vargas divulgou o Novo Mapa das Religiões, um denso estudo realizado pelo Centro de Políticas Sociais da FGV, com base em 200 mil entrevistas formuladas pelo IBGE em 2009 a partir de sua Pesquisa de Orçamento Familiar (POF). O trabalho mostrou que o Brasil deixará de ser a maior nação católica do mundo nos próximos 20 anos, mantida a queda progressiva que sofre a Igreja no país. Ela representava 83,24% da população em 1991 e caiu para 68,43% em 2009. “As mudanças que antes ocorriam em 100 anos agora acontecem em 10. Se esta perda de 1% de católicos por ano continuar, a Igreja católica terá em 20 anos menos da metade da população brasileira”, destacou o coordenador da pesquisa, Marcelo Côrtes Neri, economista-chefe do Centro de Políticas Sociais da FGV.

A economia é um forte indutor desta transformação, diz Neri. Ele lembra que as chamadas ‘décadas perdidas’ de 1980 e 1990 foram demarcadas pela queda do catolicismo em contraste com a ascensão dos grupos evangélicos, especialmente seus ramos mais belicosos e vorazes — os neopentecostais. O período de 2003 a 2009, compreendido entre duas graves crises econômicas, observa uma segunda explosão evangélica, passando de 17,9% para 20,2%. A primeira explosão, ainda maior, ocorreu nas últimas seis décadas do Século 20, quando os evangélicos aumentaram seu rebanho em sete vezes: passaram de 2,6% em 1940 para 15,4% em 2000. A FGV foi buscar no alemão Max Weber (1864-1920), o pai da moderna sociologia, o fundamento teórico que explica o avanço arrebatador dos evangélicos, a partir de sua obra mais conhecida — A ética protestante e o ‘espírito’ do capitalismo, publicada em 1904-05. Ali, Weber explica o maior desenvolvimento capitalista nos países protestantes no Século 19 e a maior proporção desses fiéis entre empresários e trabalhadores mais qualificados. “A tese de Weber era que o estilo de vida católico jogava para outra vida a conquista da felicidade. A culpa católica inibiria a acumulação de capital e a lógica da dívida de trabalho, motores fundamentais do desenvolvimento capitalista”, escreve Neri.

Weber repetia um ditado da época: “Entre bem comer ou bem dormir, há que escolher. O protestante quer comer bem, enquanto o católico quer dormir sossegado”. O pensador alemão constrói seu texto em cima de máximas do inventor e calvinista americano Benjamin Franklin (1706-1790), um dos líderes da Independência dos Estados Unidos, que dizia que “tempo é dinheiro” e “dinheiro gera mais dinheiro”. Era uma notável conversão justamente aos argumentos opostos que levaram ao grande cisma do cristianismo, no início do Século 16, quando um atrevido padre agostiniano alemão, Martinho Lutero, pregou nos portões da igreja de Wittenberg as suas 95 teses que desafiavam a autoridade do Papa e quebravam a hegemonia de Roma sobre o mundo cristão. Na época, Lutero denunciava justamente o que seria o âmago da Reforma Protestante: o desvio do caminho de fé da igreja primitiva para o atalho da corrupção, da indulgência, da simonia e da luxúria de papas e cardeais rodeados de amantes e concubinas, antecessores lascivos dos bispos e padres que comem criancinhas.

Teologia do bolso

Lutero (na reprodução) e sua radical volta às origens, estimulando o protesto aos desvios éticos de Roma e o retorno à palavra original dos evangelhos, geraram os dois termos que identificam os segmentos mais prósperos da dissidência cristã: os protestantes e os evangélicos, onde brilha sua facção mais agressiva e endinheirada — o pentecostalismo, que hoje abriga no mundo cerca de 600 milhões de seguidores, pulverizados em 11 mil seitas e subgrupos. Ali viceja sua parcela mais faustosa: a corrente neopentecostal, a que pertencem o abonado bispo R.R. Soares e seus parceiros mais ricos, os também bispos Edir Macedo, Silas Malafaia e Valdemiro Santiago, cada um chefiando sua própria seita, sempre na condição suprema de ‘apóstolos’. Todos mostram uma devoção especial pela alma e pelo bolso de seus seguidores, a quem não se acanham de pedir contribuições financeiras a que, recatadamente, chamam de ‘oferta’.

Para não atormentar ainda mais a vida de sua aflita freguesia, os quatro chefes religiosos tratam de facilitar ao máximo as ofertas financeiras. Na tela da TV de seus animados cultos, sempre se oferece o número das contas bancárias, a bandeira dos cartões de crédito ou o telefone para informações extras que permitam a oferta, rápida e facilitada. Nenhum deles fica ruborizado pela insistência do pedido de ajuda, porque todos são pios devotos da ‘Teologia da Prosperidade’, uma doutrina pecuniária que faria o velho Lutero engolir cada uma das 95 teses que vomitou contra a cupidez da velha Roma.

A ideia nasceu, evidentemente, no coração do capitalismo, os Estados Unidos, no início do Século 20. O pai dessa fé sonante é o americano Essek William Kenyon (1867-1948), um evangelista de origem metodista nascido em Saratoga, Estado de Nova York. Descobriu o milagre do rádio e plantou ali a sua “Igreja no Ar”, a ancestral eletrônica dos R.R.Soares e Malafaias da vida. Espalhou então aos quatro ventos o lema que explica as benesses divinas da fartura: “O que eu confesso, eu possuo”.

Kenyon passou o bastão da prosperidade para um conterrâneo, Kenneth Erwin Hagin (1917-2003), um jovem texano com deficiência cardíaca, que caiu de cama quando adolescente. Garantiu ter ido e voltado ao inferno e ao céu não uma, nem duas, mas três (três!) vezes. Com este desempenho singular, até para campeões de esportes radicais, o jovem naturalmente converteu-se. Dizendo-se ungido para ser mestre e profeta, Hagin garantia ter tido oito (oito!) visões de Cristo na década de 1950, além de acumular alguns passeios extracorpóreos. Tudo isso acrescido pela divina revelação de que os verdadeiros fiéis deviam gozar de uma excelente saúde financeira e que o caminho da fortuna passava, inevitavelmente, pela prosperidade de seus profetas aqui na Terra. Foi sopa no mel, e a teologia da prosperidade conquistou corações e mentes — e bolsos.

Na conta do santo

A primeira semente deste ostensivo neopentecostalismo brotou no Brasil com a Igreja Universal do Reino de Deus, fundada em 1977 pelo bispo Edir Macedo (foto). Três anos depois, o pastor R.R. Soares, casado com Magdalena, irmã de Macedo, saiu do ninho da Universal para fundar sua própria igreja, a Internacional da Graça de Deus, que acaba de alugar a tela do horário nobre da Band graças ao verbo divino e a verba milionária do pastor. Uma década depois, o bispo Macedo, ainda mais próspero do que o cunhado, comprou a sua própria rede de TV, a Record, hoje a segunda maior audiência do país (4,7 pontos) no horário nobre das noites de dezembro passado, embora ainda distante da Globo (13,8).

Os televangelistas brasileiros aparentemente compõem um paraíso na terra e no ar rico em mirra, incenso e ouro, muito ouro. Há tempos, quatro grupos evangélicos rondam o empresário Sílvio Santos, que topa tudo por dinheiro, na esperança de amealhar o espaço das madrugadas do SBT por módicos R$ 20 milhões mensais. Em 2009, o próprio Edir Macedo alvejou sua maior concorrente: ofertou R$ 545 milhões para alugar o espaço das madrugadas da Rede Globo para a sua Igreja. A Globo piscou, não respondeu, e o bispo voltou à carga em agosto passado, disposto a mover céus e terras. Nada feito.

A contabilidade desses pastores, pelo jeito, oscila entre o inferno e o paraíso. O bispo que oferecia milhões para comprar um naco do maior concorrente era o mesmo dono da Igreja que fazia um descarado apelo em seu blog, em abril passado, para que os fieis juntassem alguns trocados para ajudá-lo a pagar a conta salgada de seu site. Coisa miúda, apenas R$ 107.622 mensais, que o pobre bispo diz gastar com despesas mundanas como hospedagem do servidor, salário dos funcionários, água, luz e gastos administrativos da manutenção do site. “Se o Espírito Santo lhe tocar, nos ajude a carregar essa responsabilidade”, escreveu o bispo, implorando por uma doação mínima de R$ 20.

O espírito santo, aparentemente, tocou a Rede Globo. A emissora dos Marinho odeia o bispo Macedo, mas adora os evangélicos. Na véspera do Natal de 2011, 18 de dezembro, a maior rede desta vasta nação católica rasgou o hábito e transmitiu o seu primeiro evento evangélico, gravado uma semana antes no Aterro do Flamengo, no Rio. O público presente, apenas 20 mil pessoas, foi uma heresia para as ambições bíblicas da Globo, mas a fiel audiência na telinha na tarde do domingo seguinte foi uma bênção divina. Ao longo dos 75 minutos do programa, condensado de quase oito horas de gravação ao vivo (entre 14h e 21h30), apresentaram-se nove artistas no ‘Festival Promessas 2011′, sob o comando do astro global Serginho Groisman. Um dos mais festejados foi o cantor Regis Danese, 39 anos, que vendeu um milhão de cópias com um único disco gospel, “Compromisso”, o único a conquistar o primeiro lugar em rádios e TVs seculares do país e que lhe garantiu a indicação para o prêmio Grammy Latino em 2009.

A conversão da Globo

Antes desse sucesso, Danese já era consagrado como artista do “Só Pra Contrariar”, um grupo de pagode que ainda ostenta o 27º lugar do ranking brasileiro, com 8 milhões de discos vendidos. Apesar disso, com problemas no casamento, converteu-se ao protestantismo no início do século. Salvou o matrimônio com Kelly, sua parceira musical, e engordou ainda mais o bolso. O álbum “Compromisso”, que conquistou o ‘Disco de Diamante’ pela venda de 500 mil cópias em apenas quatro meses de 2008, traz o seu maior sucesso, Faz um Milagre em Mim. O jornalista Tom Phillips, do diário britânico The Guardian, anotou que, logo após sua triunfal apresentação no festival da Globo, Danese foi indagado na entrevista coletiva sobre os fundamentos deste milagre musical: “O senhor escutou a voz de Deus? O que ele disse?”, perguntavam-lhe. O ex-pagodeiro explicava e, embevecido, o isento repórter da revista Nova Jerusalém ressoava a cada resposta: “Amém. Louvado seja o Senhor!”

A genuflexão da Globo não representa uma súbita conversão da emissora ao credo evangélico da música: “A Globo não é um canal católico, e sim secular e republicano. Apenas documentamos um festival gospel por sua crescente importância na vida cultural do Brasil”, esquivou-se Luiz Gleizer, diretor da TV, ao jornalista britânico que ecoou o festival sob uma manchete embalada pela típica ironia inglesa: “O Gospel começa a dar o tom no Brasil, a casa da bossa nova”.

Os profetas da Globo não sabem entoar um único salmo, mas como os apóstolos eletrônicos da concorrência também têm um ouvido afinado pelo doce tilintar das moedas do templo. Isso não é contado nem no confessionário, mas os querubins globais sussurram nos corredores da ‘Vênus Platinada’ que os direitos de comercialização e os espaços publicitários do festival renderam à Globo algo entre R$ 35 milhões a R$ 55 milhões, o suficiente para remir muitos pecados, dúvidas e dívidas, aqui na terra e lá no céu. O grupo é dono da gravadora Som Livre e de um catálogo religioso onde brilham ídolos como o padre católico Fábio de Melo, que já vendeu quase 2 milhões de CDs pelo selo global.

O olho cúpido e republicano da Globo está mirando um mercado de música gospel que o The Guardian estima em R$ 1,5 bilhão, um paraíso econômico onde se irmanam crentes, artistas, emissoras laicas, pastores, espertalhões, vigaristas e políticos de todas as crenças, devotos todos do santo dinheiro que cai do céu diretamente em seus bolsos. O fluminense Arolde de Oliveira, deputado federal pelo PSD — aquele diabólico partido nascido da costela do prefeito Gilberto Kassab e que garante não pertencer nem ao paraíso, nem ao inferno, nem ao purgatório —, é dono da rádio 93 FM e do Grupo MK Music, que ele jura ser o maior selo de música gospel do continente. “Mais de 60 milhões de brasileiros estão direta ou indiretamente ligados à Igreja Evangélica”, lembra o deputado Oliveira. A Globo, como se vê, tem a inspiração divina e o ouvido apurado.

O festival Promessas abriu as portas de uma terra prometida para os profetas globais. No domingo gospel, a audiência da Globo subiu aos céus, dando-lhe a indulgência de miraculosos 13 pontos no Ibope (cada ponto representa 58 mil aparelhos ligados), bem mais do que os 7 humildes pontos habituais do horário. O pastor Silas Malafaia, inimigo da Universal do bispo Macedo, aproveitou e tripudiou no seu site: “A Record não acreditou nos evangélicos, a Globo acreditou e arrebentou na audiência! Enquanto a Record fala mal dos cantores e da igreja, a Globo abre espaço para o louvor e adoração a Deus”. E arrematou com um desajeitado elogio que deve ter sobressaltado as almas globais: “Quando os que deveriam abrir as portas fecham, Deus usa os ímpios para glorificá-lo”. Iluminada pela santa promessa do Ibope, a ímpia Rede Globo prepara mais três edições do sucesso gospel para 2012 — duas versões regionais e uma nacional, evitando cuidadosamente o Rio de Janeiro, que já padece a praga de um congestionamento evangélico todo santo ano.

O golpe do martelinho


Valdemiro Santiago (foto) é outro desgarrado da Universal. Depois de ser considerado um virtual sucessor de Edir Macedo, brigou com ele e saiu para fundar em 1998 a sua seita, a Igreja Mundial do Poder de Deus. Começou com 16 membros e hoje o apóstolo Valdemiro chefia mais de dois mil templos, alguns na África e em Portugal, e um jornal mensal, Fé Mundial, com tiragem de 500 mil exemplares — além de um maçante trololó diário de 22 horas na Rede 21, uma subsidiária da Rede Bandeirantes, que administra as duas horas restantes.

Sua marca registrada é um chapéu de boiadeiro, o que reforça sua imagem de astro sertanejo, que costuma ganhar espaço até no Jornal Nacional da Globo, uma devota do divisionismo que Valdemiro poderia provocar nas legiões de seu arqui-inimigo Edir Macedo. Quando enfrenta problemas de caixa, Valdemiro confia no santo gogó. Em 2010, chorou diante das câmeras de TV ao convocar 150 mil fiéis para ofertarem R$ 153, o número de peixes de um alegado milagre de Cristo. Faturou cerca de R$ 23 milhões.

Empolgado, o bispo sertanejo imaginou outra forma esperta de arrecadar dinheiro fácil, mas desta vez sem choro. Criou a campanha do “Martelinho da Justiça”, um pequeno, baratinho malho de madeira capaz de quebrar mandingas, maus-olhados e “as pedras que atravessam os seus caminhos”. A clava fajuta de Valdemiro, que despertaria a inveja do grande Thor, devia ser canonizada como a mais cara do mundo: cada oferta pelo martelinho tinha o mínimo de R$ 1 mil e Valdemiro esperava que 10 mil de seus seguidores o abençoassem com a compra do mimo, o que rechearia seu chapelão com R$ 10 milhões.

No reclame da Igreja Mundial na TV, o pastor de português trôpego, voz rouca, terno e gravata mostrava a certeza das favas divinas e muito bem calculadas: “Ainda hoje ou amanhã, na primeira hora, você vai até a agência bancária e faz esta ‘ofertinha’ de R$ 1 mil. Depois, mandaremos o martelinho pelo correio”. Para esse milagre acontecer, bastava ao crente fazer o depósito nas contas indicadas na tela e disponíveis no Banco do Brasil, Bradesco ou Caixa Econômica Federal. “De preferência no BB, como o nosso apóstolo tem nos orientado”, aconselhava o pastor, com ar compungido.

A atrevida igreja de Valdemiro já vendeu garrafinhas Pet de 400 ml com ‘água ungida’, entregues por ‘ofertas’ de R$ 100, R$ 200 ou até R$ 1.000, prometendo resultados espantosos: “Uma única gota dessa água será o suficiente para mudar a história de sua vida, para lhe abençoar de uma forma poderosa”, jurava o santo homem, escoltado por outros oito pastores calados e sisudos, todos de gravata e terno escuro. Se usassem óculos pretos iria parecer uma paródia do CQC, sem a divina graça do programa humorístico da Band que sucede o show religioso do pastor R.R. Soares nas noites da segunda-feira.

O trovão homofóbico

O bizarro merchandising da Mundial tem produzido bons resultados, pelo menos para as finanças da igreja de Valdemiro. No primeiro dia de 2012 ele inaugurou em Guarulhos, SP, a ‘Cidade Mundial’, um megatemplo de 240 mil metros quadrados e capacidade para acolher 150 mil fieis da Igreja Mundial do Poder de Deus — mais de duas vezes a lotação prevista do Itaquerão (68 mil lugares), o estádio que o Corinthians está construindo para a Copa do Mundo de 2014. Para erigir o templo, Valdemiro viu a igreja aumentar seus gastos mensais em R$ 30 milhões, prova de que o martelinho e a garrafinha são realmente miraculosos.

O pastor Silas Malafaia (foto), chefe supremo da AVEC, sigla da associação que mantém a Igreja Vitória em Cristo, é a voz mais trovejante desse abusado mercado da fé ancorado nos fundamentos pétreos da Teologia da Prosperidade. Embora tenha os mesmos instrumentos de redenção econômica de Edir Macedo, Malafaia é um inimigo mortal do dono da Universal. Divergiram até na eleição presidencial de 2010: ele primeiro apoiou Marina Silva, depois fulminou sua opção pelo plebiscito no debate sobre o aborto (“cristão não tergiversa nesse tema”), e acabou fazendo campanha por Serra, adversário de Dilma, apoiada justamente pelo rival bispo Macedo. Malafaia é figura fácil no Congresso Nacional, em Brasília, onde veste a armadura de sua santa cruzada contra a proposta de lei que combate a homofobia: “O projeto [que garante a livre orientação sexual] é a primeira porta para a pedofilia”, reza, com a fúria dos justos. Numa entrevista a uma revista religiosa, crucificou como “idiotas” todos os pastores que, ao contrário dele, não apostam suas fichas, martelinhos e garrafinhas na Teologia da Prosperidade.

Ele não poupa a garganta e fala muito: quase todo santo dia, Malafaia se esparrama por cinco horas de programas variados em redes nacionais como CNT, Rede TV, Boas Novas e Bandeirantes e ocupa os sábados de emissoras regionais em outros 15 Estados. Seu programa se espalha pelos Estados Unidos e Canadá e, desde meados de 2010, Malafaia atinge 142 milhões de lares em 127 países da África, Ásia, Oriente e Médio e Europa, com o apoio da americana Inspiration Network, que faz a dublagem para o inglês.

Para tornar mais veraz sua pregação, às vezes importa dos Estados Unidos especialistas nesta riqueza material. No ano passado, junto com o pastor americano Mike Murdock, Malafaia lançou o projeto do “Clube de 1 Milhão de Almas”. Alma, sabem os televangelistas, custa caro. Ele pretendia arrebanhar um milhão de crentes para sua grei e seus programas de TV, mediante a ‘oferta’ (voluntária, claro) de R$ 1 mil — ou seja, um martelinho de madeira, pelo generoso chapéu do bispo Valdemiro. Na conta do lápis, uma bolada plena de R$ 1 bilhão, capaz de pagar mais do que cinco Mega-Senas da Virada, que bateu em R$ 177 milhões no réveillon de 2011. Os ofertantes ganhariam o livro 1001 Chaves da Sabedoria, do pastor Murdock, e um certificado do clube milionário, em todos os sentidos.

Para inspirar o seu rebanho, Malafaia teve a feliz ideia de colocar um contador de acessos na página da igreja para que todos acompanhassem a adesão em catadupa do milhão de almas. Algo deu errado, ou o martelinho não funcionou. Lançado em abril do ano passado, o contador da igreja Vitória em Cristo virou uma estátua de sal, como a mulher de Lot em Gênesis (19,26) e estagnou num número pífio: miseráveis 58.875 almas era a contagem de quinta-feira passada, 5 de janeiro. Um inferno de faturamento que não chegou a R$ 60 milhões, muito distante do paraíso do R$ 1 bilhão arquitetado pelo diabólico Malafaia. Faltam portanto ainda 941.125 almas para Malafaia inaugurar, sob as trombetas de Jericó, o seu clube milionário. Haja martelinho!

O supermercado da fé

O bravo Malafaia não desiste facilmente. Em 2009 ele lançou a campanha de uma Bíblia por módicos R$ 900, pouco menos que um martelinho. Era a tarifa da Bíblia da Batalha Espiritual e Vitória Financeira, sacada genial de outro gênio da prosperidade, o pastor americano Morris Cerullo. Desta vez, a garrafinha deve ter funcionado, pois antes do final do ano ele viajou à Flórida, nos Estados Unidos, e lá viu se materializar, em nome da Vitória em Cristo, um jato executivo Cessna quase novo, modelo Citation Excel, pela bagatela de 12 milhões — de dólares!

Se alguém tiver alguma restrição a Bíblia, martelinho ou garrafinha, nem assim terá qualquer constrangimento para auxiliar o empreendimento celestial de Malafaia. Na sua página na Internet (www.vitoriaemcristo.org), o bom pastor dá a boa notícia de que todos podem participar de sua jornada, tornando-se seu ‘Parceiro Ministerial’, um programa de fidelidade da Igreja que arrecada fundos para manter seus programas de TV. A porta está aberta a “qualquer pessoa que receba de Deus a visão de abençoar vidas, proclamando o Evangelho por meio das mensagens do pastor Malafaia”, explica o dono do site e da igreja. Dependendo do tamanho da carteira, seu título de parceiro também cresce: o ‘Especial’ paga R$ 15 mensais, o ‘Fiel’ doa R$ 30 e o ‘Gideão’ entra na cota de sacrifício do martelinho: R$ 1 mil mensais, com direito a um exemplar por mês da revista Fiel, livros, Bíblias e um cartão para 10% de descontos nos produtos da Editora Central Gospel comprados pelo telemarketing, “desde que não esteja em promoção”.

Virar parceiro do pastor é fácil, pagar é muito mais. A organização abençoada de Malafaia trabalha com o ganhoso instrumental financeiro de uma grande loja de departamentos, como convém a este éden da prosperidade. A igreja Vitória em Cristo opera, sem preconceitos, com cartões Visa, Master, Diners, Amex ou Hipercard e tem contas abertas, sem discriminação, com o Banco do Brasil, HSBC, Bradesco ou Itaú, além de trabalhar com boletos bancários ou cheques nominais. Malafaia aceita boletos antecipados para o ano todo, mas nenhuma contribuição abaixo de R$ 15. Acima, pode.

Abobrinhas e beterraba

Agora, esse mundo dourado de riquezas, promessas, ofertas, obras e fartura vai ganhar outro e inesperado púlpito: um espaço de brilho, luzes e discussões mundanas, terrenas, insinuantes, quase lascivas. Começa na terça-feira (10/1) a 12º edição do ‘Big Brother Brasil’, o reality showda Globo que arrebata o país por 12 semanas no seu jogo canalha de perfídias, traições, intrigas e sensualidade explícitas, onde garotas curvilíneas e garotos musculosos, todos transbordantes de hormônios e carentes de neurônios, desfilam suas abobrinhas em diálogos patetas e reflexões idiotas. O jornalista Eugênio Bucci, professor de Ética Jornalística da ECA-USP e da ESPM, de São Paulo, tatuou o BBB como “o mais deseducativo programa da TV brasileira, onde a fama justifica qualquer humilhação”.

Na TV, onde nada se cria e tudo se copia, a Record também tem sua versão BBB, “A Fazenda”, com mais roupa e a mesma dose intragável de papo imbecil. A personal trainer Joana, a vencedora da versão 4 da Fazenda, que acabou em outubro passado, arrebatou R$ 2 milhões após encontrar uma beterraba premiada, entre outros sofisticados desafios intelectuais.

Apesar dessa crônica indigência, mais de 130 mil jovens brasileiros se inscreveram para o BBB12, ao longo de sete meses, filtrados em seletivas regionais em 10 capitais. É uma febre televisiva que pode parar até a maior cidade brasileira, São Paulo, onde chega a bater em 40% do Ibope, o que significa quase dez milhões de telespectadores, metade da população da Grande SP.

A vencedora do BBB de 2011, a modelo paulista Maria Helena, 27 anos, de São Bernardo do Campo, faturou um cheque de R$ 1,5 milhão ganhando o voto por telefone de 51 milhões de pessoas. Se fosse candidata a presidente em 2010, Maria Helena, capa da edição de junho de 2011 da revista Playboy, teria derrotado José Serra por mais de sete milhões de votos e perderia para Dilma Rousseff por menos de cinco milhões.

Boninho, o diretor do BBB, apimentou a receita em 2012, para horror do pastor Malafaia, infiltrando quatro homossexuais entre os doze sarados concorrentes. “Três dos quatro gays são mulheres”, adiantou o lúbrico Boninho no seu tuíter. Ele não disse, mas o programa de 2012 terá também a atração extra de duas evangélicas, a assistente comercial mineira Kelly, 28 anos, e a zootécnica baiana Jakeline, 22. O empresário Danilo Leal, 45 anos, pai de Jakeline, acha que a filha vai resistir bem ao paredão impiedoso do BBB, apesar de evangélica: “Ela não é recatada. Espero que Jakeline aproveite bem seus 15 minutos de fama e faça o pé de meia”, reza o empresário, dando sua sanção paternal para o que der e vier.

Não se sabe ainda o tamanho do fio-dental que as duas evangélicas vão exibir na casa mais vigiada do Brasil, nem o salmo que irão recitar debaixo do edredom, cercadas por tantas câmeras indiscretas. Não deixa de ser simbólico que, cinco séculos após ser cravado nos portões da igreja de Wittenberg, o credo rigorosamente puritano e austero fundado pelo cisma de Luterano infiltre duas crentes assanhadas e iconoclastas no cenário conspícuo do programa mais ímpio da maior rede brasileira de TV aberta. A explicação, certamente, não está nas páginas lambidas da Bíblia dos templos e igrejas desta terra supostamente laica, mas nas cédulas louvadas do dinheiro ungido pela graça divina e pela licença dos homens neste país tropical, que Jorge Ben resumiu como “abençoado por Deus e bonito por natureza”.

A louvação ecumênica ao dinheiro pintado pela hipocrisia de todos os credos esclarece, em parte, a progressiva invasão destes templos cada vez mais eletrônicos, escancarados por vendilhões cada vez mais acessíveis a espertalhões cada vez mais abusados no assalto à boa fé de sempre dos desesperados.

O velho evangelista Kenyon, profeta dessa cínica doutrina da prosperidade, poderia traduzir este Armagedom moral com o mantra invertido da religião de resultado que inventou: o que eu possuo, não confesso.





Filme chileno se inspira na Iurd para mostrar como tirar dinheiro de crente
outubro de 2011

Comentários

Avelino Bego disse…
Evangélicos: o novo filão de $$$$ e de votos.
Anônimo disse…
Lendo o texto, eu lembrei de um documentário que assisti nesse final de semana.

Segundo ele deixou subentendido, esses espertalhões da fé já existiam no tempo dos faraós.

Quer dizer que enquanto houver alguém acreditando em alguma coisa (seja em Jesus ou lontras azuis voadoras), haverá quem se aproveite disso.
Anônimo disse…
Hehehehe!!
Todos os supracitados são dignos se serem personagens do filme "Leap of Faith", em pt_br, "Fé Demais Não Cheira Bem".

Ahhh sim, exceto o Silas "Mala Chata"... pra ele tem que ser um filme de terror...
Anônimo disse…
Que os evangélicos buscam um modelo sócio-político-econômico para instala no Brasil, isso, todo mundo sabe, mas o modelo que eles buscam está mais para o Gabão do que para os EUA.
Anônimo disse…
ISSO prova sem nenhuma duvida que ser CRENTE ?

é assinar um atestado literal de burrice....!!!


só mesmo um ASNO em termos de intelectualidade pra frequentar e ofertar dinheiro pra esses picaretas pastores crentes e catolicos tbm....


religião é o OPIUM do POVO....
Charles disse…
Vamos ver se o cristão-Fernando se manifesta, ele que é seguidor do malacheia.
Natanael Silva disse…
Infelizmente a multidão que é manipulada por esses líderes sob uma "pedagogia do medo" onde os mesmos dizem "não toquei nos ungidos de Deus", levam o povo a submissão e a aceitação deses 'atos de fé" que só alimentam a ganância e ambição de quem quer "saquear o inferno"aumentando sua conta bancária.
Anônimo disse…
.

Não falta coragem das autoridades.

Falta vergonha na cara, ética, honestidade.

Essa insanidade continua impunemente porque aqui no Brasil pode-se conseguir qualquer coisa, por mais absurdo que seja, pagando as pessoas certas.

Att.,

Espancador de Pastores

.
Anônimo disse…
Tudo isto é um jogo de palavras que eles usam, como os evangélicos já estão vendidos a esta fé cega, fica facil para os espertalhões dos templos lhes roubarem até a ultima moeda de seus dinheiro ,póis a ultima é ainda a mais sagrada.

Eles usam frases feitas do tipo, deus esta levantando aqui mil pessoas para doar mil reais, são sempre enfaticos na mensagem , e para dar mais realismo em seguida gritos de glorias deus é poderoso etc, e pronto a teia esta formada e muitos são os que caem nele levados pela forte emoção do momento.

Usam muito também deus esta falando no seu coração para você doar, e em seguida eles usam frases de expressões para impressionar e sensibilizar ainda mais o doador, E eles os espertalhões sabe que esta tecnica mental que eles usam é diabolicamente infalivel, deus para curar é um trabalho, mais para pedir dinheiro ele é um tremendo cara de pau, ou seria os pastores espertalhões os cara de pau?

deus não existe.
Anônimo disse…
Tô pensando em abrir um negócio desses pra mim. he...he...he...he, alguns ateus me ajuda?? Vamos ganhar um bocado de dim dim $$.
Afinal ninguem vai pro inferno mesmo.
Tá dado o recado.
Anônimo disse…
Com tanto fanatismo em volta, dá até medo ser ateu.
Anônimo disse…
É complicado! Ao longo da história a fé sempre explorou seus devotos. A igreja católica construiu um império, desde seu luxo em ouro e obras de arte no Vaticano até milhares de templos e igrejas pelo planeta. Apoiou e cometeu crimes horrorosos em nome de Deus e do poder. Atos de pedofilia corriqueiros nas páginas dos escândalos. É assim mesmo, ninguém está livre das aventuras e das peripécias do espírito humano. Não sigo nenhuma religião, mas ver ocupado o tempo televisivo por uma programação que está a serviço da indústria de futilidades e bobagens que comprometem gerações com falsos valores, assistir filmes, jornais e programas que exploram o terror,a desgraça alheia, a bandidagem, sinceramente não sei o que é pior!
Fidelíssima descrição e bem fundamentada análise do caótico quadro. Historicamente correta. Há dois pontos que eu gostaria de acrescentar, para o enriquecimento do trabalho, como dizemos aos nossos alunos; para que não pensem que as críticas são no intuito de os desmotivar, nem ao seu esforço intelectual honesto desmerecer nem desqualificar. Um ponto é o que nós poderíamos dizer realmente como sendo o de Minerva, que é a lógica explícita de todo o processo narrado, o de um movimento ideológico, religioso e eminentemente sociológico; caracterizar-se em grande maioria dos seus aspectos como um processo de desenvolvimento do industrialismo de últimas gerações; para além do próprio sistema de produção, em direção ao capitalismo mais tecnológico que é o virtual. Assistimos à emergência no mundo de um sistema onde o dinheiro assume proporções cósmicas. Nem falamos aqui de um mediador universal, mas de relações absolutamente e totalmente monetárias; tal como aliás fora preconizado pelo próprio Karl Marx, sobre o desenvolvimento das relações capitalistas ulteriores, a ponto de prever que todas as demais relações transformar-se-iam em meras relações de capital. O segundo ponto que houvemos por bem destacar, é o clássico princípio posterior à Revolução Gloriosa britânica, de que o povo deve adotar a religião do seu príncipe. Nada mais óbvio que, deixando o Brasil de ser um regime de padroado, passando após a quartelada ( e inútil tentativa de tomada do poder pelos intelectuais liberais-políticos), para uma república de forte influência free-masonic e positivista, com predomínio dos liberalistas econômicos; tenhamos chegado ao fim como nação evangélica, neopentecostal e neoliberal muito agressiva, adequando-nos via Teologia da Prosperidade, aos dogmas e doutrinação da Escola Econômica de Chicago. A palavra-pedra de toque do discurso é o empreendedorismo. Todos estes evangelizadores eletrônicos estão pregando o mesmo catecismo, a mesma coisa, o mesmo discurso que a AnaMaria Braga repete todas as manhãs na TV, como um discurso fascista ao exército de alienados recebendo A Ordem do Dia! Discurso mobilizador, organizador e aglutinador; todo um arsenal motivacional, influenciador, para a luta, para a produção, para o "prazer" pelo trabalho. Foi esta a grande intuição de Hagin, aliás, de toda a corrente anterior a ele, na filosofia americana do chamado Novo Pensamento (New Tought), que é a mãe da Auto-Ajuda. Este é o segredo de todo o sucesso, inclusive do discurso único, fundamentalista-econômico; como na década de 80 era o da "competência", tão bem criticado pela Professora Marilena Chauí. Empreendedorismo.

José Wagner Almeida
Engenheiro Mecânico
Mestre em Educação pela UFC
Professor da UVA
Dauton Magnus disse…
um dos melhores textos sobre o assunto, parabéns mesmo. agora a pergunta:

QUANDO IREMOS ACORDAR?
Anônimo disse…
O longo artigo do sujeito apenas faz um grande mimimi ateísta para pregar aquilo que todo militante ateu safado prega:

Que o "Estado laico" deve perseguir, silenciar e punir as manifestações religiosas.
Anônimo disse…
Todos nós sabemos que a fé move montanhas.......
De dinheiro
rodrigo disse…
Eu nunca tive muito apreço pela religião. Considero-a, do ponto de vista estritamente intelectual, a nossa invenção mais deprimente. A lógica de um crente pode ser definida como uma falta de lógica. Se meu filho nascer saudável, eu tenho que agradecer a Deus. Se meu filho nascer doente, eu tenho que agradecer a Deus. Se eu ganhar na Mega-sena, isso prova que Deus me ama. Se eu quebrar a coluna cervical e ficar tetraplégico, isso prova que Deus me ama. Ser religioso consiste em jogar o cérebro no esgoto sempre que for necessário.

Veja o comentário do anônimo aí de cima. Primeiro, não dá para entender por que alguém publica um comentário anônimo quando poderia facilmente se identificar. Segundo, vejam que primor de lógica, isto é, de falta de lógica... O texto apenas denuncia a intromissão sórdida da religião nos espaços públicos, em especial nos meios televisivos. Ou seja, a intenção do autor não é reprimir qualquer manifestação religiosa ou silenciar os adoradores da Grande Ilusão, como afirma o anônimo. A intenção dele é simplesmente defender o estado laico, o único que consegue garantir a pluralidade religiosa e a liberdade de pensamento de que se aproveitam certos trogloditas para debitar aqui suas pias sandices.
Anônimo disse…
Fabuloso o texto realmente, o melhor dos últimos três anos. A minuciosa descrição, e com detalhes, de uma longa evolução da mentira religiosa. Por baixo dos "véus" das sacerdotisas, e abrasada do fogo nada sagrado das vestais; Roma iniciou o culto público e estatal, da divindade que hoje todos adoram. Desmascarada e prostituída divindade!Eu me pergunto às vezes se aquela outra prostituta romana, não a católica, mas a imperial, dos césares; não teria sido também uma atriz-impostora, disfarçada de Sibila...Meretriz cultual que iniciou a maldição que vigora pela eternidade: Nunca levantar-se-ão deuses mais poderosos que aqueles de Roma. Dinheiro e sexo, essa dupla falange de um hyerogamos promíscuo e venal da religião romana, comandam o circo da fé nessa nossa sociedade do espetáculo. Não sou eu chama nossa "civilização" assim, universalizando o fetiche e o voyeurismo...Roma, algum nazicatholic pretérito já me esconjurou aqui; "possui defensores bem mais poderosos do que eu".Quem diz é Debord, de cuja reflexão se pode concluir que a tragédia é espetaculosa; a religião tornou-se midiática, videoshow eletrônico. Absolutamente manipulável, característica de todos os cultos idolátricos, cujos scripts são desenvolvidos em cima de um simulacro. O de agora, nem é mais a posse real do dinheiro; só a promessa ou a expectativa de obtê-lo, já torna todos "agraciados"...O amor ao dinheiro, outrora cupiditas, invidia, avareza...São virtudes máximas dessa religião fetichista voyeurista do neocapitalismo puritano! Ao inferno os excluídos da beauty society, sejam anatematizados os remissos, os preguiçosos, os incapazes! Benditos e louvados sejam os diligentes e afortunados, porque criativos, empreendedores, portavozes do Sonho Norte-Americano mais sagrado! Santa apoteose! O dogma e a confissão são lindos, mas improváveis...A riqueza é para poucos, só aos ELEITOS! O que fazer? Ah, mas o sonho, a motivação, já indicam o "divino chamado", "a bênção está aqui", venha, por que temer? A Fé sustenta o desejo, alimenta do pão dos esforçados o furor objetal, eis a promessa da riqueza aguardada! Na ilusão contrária, pois é óbvio que a fortuna enriquece apenas o milionário dono da fé empresária; a advertência pesa sobre os duvidosos, os tímidos, os preocupados... A ansiedade e a necessidade de vê-lo realizado não é verdadeira fé. Fé é acreditar no que não vemos! Prosperar é mérito, favor divino; o "justo" DEVE "prosperar" e com a "bênção" (divina) nele contida...TUDO QUANTO FIZER PROSPERARÁ...ALELUIA IRMÃOS. A liberdade de explorar sem peias finalmente criou asas! E começa a voar!
Fui.
Anônimo disse…
o grande problema é que naquele tempo não existiam os controles do estado(ou deveriam existir) como hoje.
Recomendo que todos que se sintam prejudicados, ou estupefatos, como eu, e tu, nobre colega, entrem no site do MPF, e no campo denuncias, metam o páu pra quebrar.
se muitos de nós, agirmos, ele vão ter que mexer, e mexem, pode crer, esta semana eu já tive lá, para outro assunto, é na frei caneca, prox. a av. paulista. pode ser pos email, carta ou pessoalmente. vão, por amor à liberdade intelecutal, antes que nós a percamos.
wrl
Anônimo disse…
comentário safado este seu, não? sempre que alguem fala algo, contra um direito constitucional, vem alguem como voce e inverte a realidade,
CAra vai ler a constituição, a Lei geral das teles, e estude o que é estado laico, e a forma que as conceções são ou deveriam ser feitas no Brasil, antes de falar besteira como esta.
Ninguem esta preocupado com o que acontece dentro dos templos, alias, se tudo isto é verdade, cabe ao MP agir. pois isto de prometer cura, vender toalhinha milagrosa que faz sumir divida, martelinho e outras, é crime de charlatanismo.
mas invadir os meios de comunicação, do geito que esta, é uma vergonha, metade da grade já é esta porcaria.
cara vai estudar e seja justo, correto e honesto, como um bom evangélico deve ser, se não tu vai para o inferno.
Anônimo disse…
Cada um vê o que quiser na TV e na mídia em geral, e acredita no que quiser.

Tem gente que acredita em toalhinha e martelinho.

E tem gente que acredita em MP e em jornalistas ateístas panfleteiros.

Liberdade de crença é isso aí.
Cristão disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristão disse…
Paulopes gostei do novo formato dos posts.
Cristão disse…
Em certo lugar, Jesus disse: "Dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus".

Por isso não adianta espernearem com tanto blá,blá,blá inútil, o que for de Deus permanecerá e absolutamente ninguém poderá mudar isso.
Anônimo disse…
Cristão ?

qual DEUS vc se refere ? o DEUS JUDAICO YAVÉ da GIBIBLIA ???

mas ele apareçeu como o ´´DEUS DOS DESERTOS´´ a cerca de 5000 anos atrás........

Antes ninguem nunca tinha citado absolutamente nada dele

e o ser Humano começou a andar ereto a 4 milhões de anos atras.....


A gibilia é uma FARSA

só mesmo um crente dos mais ignorantes pra acreditar em tanta mentira e bobagens...
O Sili disse…
Exatamente, Cristão. A Deus o que é de Deus, a César o que é de César. Com essa frase, Jesus defendeu e incentivou o ESTADO LAICO! Não é óbvio, ou você é cego e surdo? A César (leis, estado) o que é de César. A Deus (espiritualidade, fé, crença) o que é de Deus! Concessão de TV é de César, não é de Deus. Deveres e obrigações civis são de César, não de Deus. O Estado que deve abarcar e servir a a todos os cidadãos, sem distinção de raça, cor, sexo, credo, orientação sexual, TAMBÉM é de César!
Gostaria muito que me explicasse o que você acha que significa essa frase de Jesus. O que seria "de César", em sua opinião?
SATANÁS disse…
um recado para esse ANÔNIMO FUNDAMENTALISTA: cara, deixe de ser imbecil!! isso só prova o que essa merda de igreja fez com teu cérebro( se é que vc tinha um): PUDIM. fanáticos cristãos= escória do mundo.
Anônimo disse…
concordei com muitas coisas do texto, mas vcs nã o podem generalizar, os evangélicos são pessoas de bem e tem igrejas sérias.

ATEU DO SUL
Anônimo disse…
o próprio repórter confessa com sua boca tudo o quanto Deus tem feito através desses homens de Deus.Realmente deve incomodar pra quem não acredita, mas o fato é que vocês falam de coisas que não conhecem, vocês querem viver suas vidas da maneira que os convêm, mas existe um fato que ninguém pode mudar.Jesus vai voltar pra buscar a sua igreja.Olhem os fatos, olhem o que está acontecendo no mundo...não estou aqui pra enfrentar ninguém e nem ofender.Todos esses homens estão sujeitos aos mesmos sentimentos de todos nós...Vcs que não conhecem as escrituras talvez não saibam disso.A Bíblia defende moral, família, decência, honestidade...tudo que é perfeito e agradável a Deus.Eu tenho certeza de qualquer homem nessa discussão gostaria de ter um filho gay.Essa opção só existe porque temos raciocínio, isso não é doença, distúrbio...isso é falta de princípios de família, criação decente, exemplo dentro de casa...antes de condenar qualquer coisa, pesquise.Como cristão também existem várias coisas que não gosto mais nem por isso é pecado!!!que Deus os abençoe em nome de Jesus!


"Porquanto os meus inimigos retornaram, caíram e pereceram diante da tua face. Salmos 9:3
Porque os meus inimigos falam contra mim, e os que espiam a minha alma consultam juntos, Salmos 71:1
Envergonhem-se e perturbem-se todos os meus inimigos; tornem atrás {e}) envergonhem-se num momento. Salmos 6:1
Anônimo disse…
***não gostariam de ter um filho gay!!!!digitei errado!!!
Anônimo disse…
Brilhante denúncia da hipocrisia das religiões. Parabéns!
Gustavo disse…
"Olhem os fatos, olhem o que está acontecendo no mundo...". Até onde eu sei, a civilização sempre conviveu com guerras, doenças, crimes, etc. Hoje é bem mais fácil de se viver, principalmente em países de primeiro mundo que são laicos de fato, bem como vivemos mais e melhor graças aos avanços científicos.

Agora, querer defender esses canalhas citados no texto é muita cegueira, ingenuidade, burrice ou mau caratismo mesmo.
Anônimo disse…
tente levar uma conversa séria com um evangélico se ele estiver em um grupo. sozinho ele talvez naõ fale nada para voce, mas quando ele estiver com mais alguns da igreja dele, se prepare, se voce se atrever a falar que é ateu, babau, experimente, e veja se voce não muda de ideia. não estou falando do fato da pessoa ser decente ou do bem, mas da atituda que eles tem em relação a religião, eles misturam tudo.
pregam para não fazer negócios com pessoas que não seja da propria igreja,
que não sse deve casar com idem idem,
se voce for ateu, declarado, preparese. eu cai na besteira de falar para a familia da minha mulher, que é tudo de uma delas que era espirita. kkkkk voce não sabe o que eu já ouvi. os caras não aceitam,
e te ofendem. abraço.s
wrl
mary da silva disse…
valeu,Luiz Claudio Cunha. são todos falsos profetas,a bíblia diz que desses tais, não devemos temer, não são ungido de DEUS, são é do satanás mesmo.usando o nome de JESUS para extorqui o povo,eles deveria ir pra cadeia.que la é o lugar deles.isso é uma mafia.
mary da silva disse…
cristão, quando JESUS disse, dai a "césar o que é de césar.... não esta se referindo ao que esses espertalhões estão fazendo. vai estudar a bíblia e entender.leia o texto e o contexto,ou melhor leia na integra. pra se entender melhor.
Cara, a constituição foi ortogada por debilitados mentais como você. Você que está invertendo a realidade. Quer dizer que quando a prefeitura de Ribeirão Preto mandou retirar um outdoor com mensagens bíblicas não foi perseguição, pois o "Estado é Laico" e nós que não sabemos o que isso significa?

Quer dizer que um PLC 122 que manda pessoas para a cadeia por condenar o homossexualismo, deixado bem claro pela Marta Suplicy, não visa "deve perseguir, silenciar e punir as manifestações religiosas"?

É...realmente eu não sei o que significa. Preciso urgentemente comprar um Dicionário da Novilíngua Esquerdista, mas ao menos agora sei que, pra vocês, "censura de opinião religiosa" é "Estado Laico".

Besteira é achar que TVs ou qualquer tipo de propriedade privada deve ser regulada por "concessões" do Estado, que ele deve escolher pela gente o que podemos ou não assistir, ou em achar que o MP deve censurar as igrejas por oferecer "curas" ou qualquer outra coisa.

Doente, do mesmo jeito que a igreja promete "cura" e não cumpre, o Estado promete saúde, segurança, educação, etc e também não cumpre.

A DIFERENÇA é que se você não der o dízimo (10%), nenhum promotor da Receita Federal virá à sua casa confiscar sua propriedade por não ter pago os 40% que o Estado EXIGE que você pague. E muito menos nenhum pastor te mandará para a cadeia por não pagar por um serviço que você não pediu, ou atirará em você por resistir à prisão.

Safado é você, ou se não for é no mínimo idiota. O dinheiro é do povo, se eles quiserem gastar com curas milagrosas, cachaça, putaria ou para ajudar crianças africanas vítimas da fome, O QUE DIABOS VOCÊ TEM A VER COM ISSO?!?!?
Não misture as coisas:

"Essa frase foi dita por Jesus aos Fariseus que estavam tentando encurralá-lo. Os Fariseus eram inimigos dos Herodianos, mas ambos haviam se aliado porque Jesus estava sobrepujando a autoridade deles. E então os Fariseus Lhe armaram uma cilada. Os Fariseus queriam que Jesus declarasse legítima a tirania romana, para que assim houvesse atrito entre Ele e os judeus. Por outro lado, se Ele negasse a legitimidade da tributação imposta por Roma, os Herodianos certamente iriam contar isso às autoridades romanas. Logo, "Ele estaria encurralado", pensaram. E assim ambos se livrariam Dele. E então Jesus pediu a eles que Lhe mostrassem uma moeda. Foi aí que Ele virou o jogo, pois a moeda era um denário, a moeda específica para se pagar impostos. E ela tinha uma imagem e uma inscrição de César. A linguagem invocava a divindade, coisa que os judeus consideravam idolatria. O que eles faziam com tal moeda? Ao aceitarem essa moeda, eles estavam aceitando a autoridade romana. Logo, dai a César o que é de César. (Obs: Jesus estava fazendo uma crítica aberta à hipocrisia dos fariseus. E ele deu a resposta de uma maneira que os fariseus não mais pudessem constrangê-lo.)"

E então o sr. mistura as coisas para defender uma clara censura do Estado em relação ao que devemos assistir ou não...
Concessão de TV? Oras, porque não concessões de livros? Ou de alimentos, como a ANVISA vem tentando impor? E porque não uma concessão de PENSAMENTOS?

Me parece que para o sr. algumas idéias são muito perigosas, não é mesmo? Principalmente aquelas que vão contra os interesses do Estado e seus administradores...então nada mais certo do que o Estado decidir o que devemos pensar, não é mesmo?

Se o horário é da Band, ela que venda para quem quiser.

"Em sua opinião", o que justifica que o controle do que os brasileiros pode ou não assistir seja de "Cesar" e não deles mesmos?
Anônimo disse…
diria que seu texto é o melhor que já li sobre o assunto, meus sinceros parabéns! você deveria profetizar isso aiuhauihaiuhahia brincadeira
Anônimo disse…
eca.
Robson disse…
Puxa, amei a matéria. E sabe o que é melhor? Eu amei todas as obras que o dinheiro que esse pessoal dão a Igreja Universal do Reino de Deus gera, como por exemplo a Fazenda Nova Canaã, os trabalhos na televisão e no rádio, que já impediram muitas pessoas de por exemplo, cometerem suicidio e terem um encontro com Deus, Ah, têm também os projetos que reune milhoes de jovens no mundo inteiro em combate contra as drogas, no Brasil criaram até um bordão ""crack, tire essa pedra do seu caminho".

Só resumindo, sou sim da igreja universal, dou meu dinheiro suado para contribuir com essas obras, tenho plena consciência do que estou fazendo. Então quando escreverem essas babaquices, tenham a certeza do que estão falando. Porque se eu por exemplo criticasse a igreja, vocês poderiam acreditar, mas um babaca que com certeza nunca colocou os pés dentro de uma igreja não pode criticar um lugar que não frequentou, isso chama-se preconceito, e preconceito é crime.

Mas no seu próximo post, comente dos trabalhos do grupo jovem da igreja universal, ajude a divulgar a campanha contra o crack, isso é indiferente de religião viu!
Anônimo disse…
acho que isso e estelionato e os politicos nao fazem nada porque precisam do voto deles alias politico e pastor sao a mesma coisa sanguessugas .reparem que so pobre e de aparencia ruim sao iludidos pois os espertos ¨crentes¨tem cargos e ganham dinheiro por isso estao envolvidos nisso me da muita raiva e eles poem na cabeca das pessoas que qualquer um que vier falar alguma coisa contra a religiao estao possuidos pelo diabo ai e facil;;;;em pleno2012 e ainda temos esse tipo de coisa.nao acredito mais em deus pois se ha tanta gente fazendo isso tudo em nome de deus deus deve ser o diabo o pior e que eles elegem quem querem chegara o ponto em que eles mandarao nesse pais alias ja mandam tem influencia em todos os setores da sociedade tenho medo acho que a igreja evangelica e o anticristo so pode ser estao dominando tudo eles separam as pessoas nao acredito em religiao nenhuma.
Estudante Bíblico Constitucional disse…
No livro de êxodo 19:5, está escrito que toda a terra é pertence a Deus.
Estudante Bíblico Constitucional disse…
No livro de êxodo 19:5, está escrito que toda a terra pertence a Deus.
Ateu disse…
Mentira séria.
Anônimo disse…
Se vç está aí e por que ele te fez seu jumento.
Anônimo disse…
Estude a Bíblia e o catecismo da igreja católica, que é a igreja que Cristo deixou. Salve Maria.
Anônimo disse…
Igreja Catolica a única Igreja de Cristo.
Anônimo disse…
não adianta senhores ateus, idólatras e feiticeiros vir atirar pedras no telhado evangélico. Antes remetam aos crimes do comunismo ateu contra a humanidade, lembrem-se da mortandade efetuada pela igreja romana, feita mais pra roubar e enriquecer-se.Falem da devassidão, maldades e hipocrisia do espiritismo. Depois lavem a cara para reconhecer que mais que as igrejas evangélicas, apesar de errar também, são elas que recuperam mais pessoas para reeintegrá-las à sociedade de fato... Então falem... Mas falem de nós rsrsrrrs
Anônimo disse…
A veadagem e, ou pedofilia dos padres, a idolatria, a inversão dos valores apostólicos, as matanças e roubalheira católica, dão conta que a igreja de Roma é a antítese do verdadeiro cristianismo.E mais, a vida promíscua dos papas, dão provas que tal igreja pertence ao Diabo. Confiram em Apocalipse 17 seus cretinos.
Anônimo disse…
Poema o Amor

O Amor é o princípio
O princípio é o Amor
Eu lhe pergunto:
Será que você Ama como devia Amar
Jesus Cristo nos Ensinou
Que nós devíamos Amar verdadeiramente uns aos outros
E o que você faz?
É, mata e rouba o seu semelhante
Você acha que vai ficar sem justiça?
Aqui você faz, aqui você vai pagar - e não adianta chorar

A Palavra você torceu
Fez como lhe agrada
Mas a Deus você não seguiu
O você acha que está seguindo?

Você prega que Eva foi tentada pelo Diabo
Que você sabe que não foi
Porque Deus é o Único
E todas as coisas foi Ele que fez
Ensina que existe o fogo do Inferno
Que você sabe que não existe fogo do Inferno
Tirou o dízimo que era feito em alimentos
Você, roubou o Senhor
Porque objetivo da igreja é pregar a Palavra
De Deus sem cobrar nada de ninguém

Em Atos - a Palavra é verdadeira
Mas os homens, para roubar a herdade do coitado
Mentia, dizendo que era Deus que estava pendido
O homem vendesse,ou desse a herdade
Eram os religiosos usando o Nome Santo de Deus para roubarem
Você pensa que Deus vai deixar de graça?
Ah, muitos no passado sofreram;
E muitos hoje vão sofrer - e não adianta correr
Porque Deus vai te pegar

Ai, ui - ui
Ai, ui - ui

Um dia para o Senhor pode ser mil anos
E mil anos...
E um dia a Verdade virá à tona
E você vai se lamentar
Parecendo um preá, procurando o oco
É, mas não vai conseguir se esconder
Você pensa que o esperto
Mas o dia chegará
E você vai ver que não passa / passou de um bobalhão

Deus te fez
Deus me fez somente para obedecermos a Ele
E o que você fez?
Você fez o que Eva fez

Ame Deus
Obedeça a Deus
Seja fiel a você e a tudo
Não deixe se levar pela a descrença
Pois Deus é Real
Porque nós não viemos da cosmologia ou dos macacos não
Somos ( alguns filhos) ouros criaturas de Deus
Acredite nisso e viverá bem

Acredite nisso e viverá bem
Viverá bem
Viva bem com Deus

W.S.B
J. Tadeu disse…
"Money, it's a hit.
Don't give me that do goody good bullshit.
I'm in the high-fidelity first class travelling set
And I think I need a Lear jet."

Pink Floyd


"Money makes the world go around
The world go around
The world go around
Money makes the world go around
It makes the world go 'round.

A mark, a yen, a buck, or a pound
A buck or a pound
A buck or a pound
Is all that makes the world go around,
That clinking clanking sound
Can make the world go 'round.

Money money money money money money
Money money money money money money
Money money money money money money
Money money"

Do musical (e filme) Cabaret
Anônimo disse…
Mais que nunca a vida exige que sejamos inteligentes !
Não adiante impor nada a ninguém ! A fé do povo é algo maravilhoso e ao mesmo tempo dá medo...e é esse medo que me faz esperar e aguardar que isso tudo mude um dia; que as pessoas creiam em Deus e saibam separar o que é DELE do que é do homem!
Só uma coisa que Deus quer de nós "que amemos aos outros como a nós mesmos" !
Líderes de igrejas têm o poder de influenciar quem não conhece a Deus e seu Filho Jesus Cristo, mesmo falando sobre Eles, não os conhecem!
Suh Denbuvise
Rio de janeiro
samuquinhadabahia disse…
em malaquias 3;18 esta escrito; que ha uma diferença em quem serve a DEUS e quem não serve. DEUS conheçe e sabe quem é sinçero e quem vai pro çêu, a palavra de DEUS diz que; que importa o homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? e tambem fala que o que pratica o pecado não entrara no reino do çêu, quem é sujo suje-se mais, quem é limpo, limpe-se mais,quem faz injustiça, faça mais injustiça ainda, quem é justo faça mais justiça, DEUS vai cobrar de cada um, pois a salvação é individual.
Anônimo disse…
ficar provocando uma pessoa pq é cristã nao é o melhor jeito de mostrar superioridade ateista.
e prvocar uma pessoa por ter religiao tambem nao é um bom jeito de mostrar o quanto que os ateus são "discriminados"
Anônimo disse…
espancador de pastores... isso mostra como certos ateus são pessoas de bem, que respeitam a todos como seres humanos.
Anônimo disse…
prove que não existe e eu faço questao de publicar sua resposta em todos os blogs cristaos...
Anônimo disse…
e ai, em 1200 e kctd, a igreja católica fez isso e akilo...
jah leu essa:
quem vive de passado é museu...
concordo com a parte da midia... ele querem te acostumar a desgraça para que voçe seja uma pessoa fria, te expoem ao sexo para que voce possa procriar o mais cedo possivel... eles mentem toda hora na nossa cara e nos nao vemos isso.
vida longa ao governo illuminati...
Anônimo disse…
eu pergunto o msm:
quando vamos acordar e ver que tudo o q voce pensa e acha que sabe é manipulado pelo governo?
Anônimo disse…
que revolts esses kras...
não veem que, enquanto vcs falam sobre "estado laico" e "abolicao da religiao", o governo esta pondo em pratica todos os planos.
e isso inclui matar um bocado de gente.
em vez de ficar discutindo sobre religiao e ateismo, pq todos nos unimos e nos fortaleçemos contra o governo e todos os males que pode nos causar.
"como assim o governo causa males? isso é papo de religioso fanático."
quer exemplos concretos? la vai:
HAARPS
MK3
H1N1
midia em geral
terremotos no haiti e japao(nao me vem com essa historia de coincidencia, pq isso é papo pra boi durmi)
miseria na africa e diversos outras regioes
governo(sim, esse da dilma e cia)
fatos mal explicados
apariçoes de ets(td mundo sabe que sao naves do propio governo)
etc.
quer mais?
entra na deep web e se informa.
tem um site sol do governo illuminati.

todos unidos contra a ditadura illuminati!!!
Anônimo disse…
Prove que existe, o ônus da prova é de quem afirma. Prove que existe, e eu não te prometo nada, mas você com certeza ficará MUITO rico. Existe muita gente interessada em que isso seja provado, e pode ter certeza que o primeiro a fazer isso vai ganhar muitos e muitos prêmios. Aliás, qualquer coisa que você conseguir provar que possa ser usado para corroborar de alguma forma a hipótese de que Deus existe vai te render muito dinheiro.

Ainda assim, essas pessoas interessadas ainda tem que viver de migalhas de lacunas na ciência, com medo de que o próximo cientista consiga preencher essa lacuna e vá fechando o cerco ao redor de suas crenças frágeis. E, enfim, nunca foi provado que Deus existe.

Sua retórica é falha e pobre.
Anônimo disse…
E o que você acha que mudou entre 1200 e hoje? A igreja e suas vontades ou a cabeça do povo de não querer mais dar tanto poder à igreja? Esteja certo que o segundo. É só a gente olhar pro lado, e a igreja volta a ser tudo o que já foi, se for possível.
Anônimo disse…
Com certeza o Anônimo que critica a opinião esclarecida e secular do autor é a favor da teocracia. Eu sugiro que ele se mude para o Oriente Médio, onde seus amigos vivem.
Carol disse…
Queria eu ainda ter paciência para escrever textos como esse. :) Eu queria que fosse possível que apenas por um dia todos os teístas bobinhos (não os mais esclarecidos, mas esses mais comuns e bobos, que realmente acreditam, que acham que fé é uma virtude, tanto os que se acham inteligentes e superiores - como o Anônimo mais acima - quanto os mais ignorantes e humildes), pudessem se por no nosso lugar, e enxergar o mundo e a eles mesmos com os nossos olhos.
carol disse…
Numa folha de papel que eu acabei de escrever tem escrito "Estudante Bíblico Constitucional deveria parar de estudar a Bíblia e começar a estudar algo realmente importante". Esse texto ganha da Bíblia em diversos aspectos: sua autoria pode ser provada, ou seja, podemos confiar que foi escrito por MIM enquanto EU estava viva, e não por desconhecidos que nunca estiveram comigo; não tem edição, o texto é integral e está ali da forma que foi escrito, sem passar por editores que tentaram ajustar o texto de forma a coincidir com o que eles queriam que fosse entendido, por exemplo.
Carol disse…
Ignorando todos os outros comentários, e apenas com o intuito de adicionar um ponto que não foi coberto pelo autor no texto, talvez porque fuja um pouco do seu objetivo central, mas é algo que eu gostaria que levasse mais ateus, céticos e humanistas a pensar. (Se você não é nenhum desses, pule meu comentário, não precisa ler.)

Nós temos o dever humanista de tentar suprimir esse tipo de manifestação. Ateus e céticos em geral costumam concordar que a religião é uma forma de limitar a experiência da vida humana. Elas ditam regras de como as pessoas devem viver, e, seja por dizer quando uma mulher deve perder a virgindade, por dizer com quem devemos nos casar ou chegando ao ponto de instruir pessoas a se mutilarem ou mutilarem os seus filhos (pensem aqui na circuncisão masculina e no que as vezes é chamado de circuncisão feminina, onde mutilam o clitóris - procedimento comum em vários países africanos).

Ainda assim, é absurdo o número de pessoas que, mesmo concordando que religiões são "ruins" ao determinarem esse tipo de coisa, tratam o assunto como tabu, "em respeito à diversidade".

Me pergunto, então, que diversidade é essa que é mais importante que a liberdade de uma pessoa, que o respeito aos Direitos Humanos. Devemos, então, concordar que as pessoas sejam castradas mentalmente apenas para que sirvam de enfeite no nosso mundo? É tão importante que saibamos que o mundo é tão diverso porque existem mulheres na África que são violentadas todos os dias? Essas pessoas não seriam tão diferentes de mim ou de você, se elas fossem libertas dessas amarras. Poderíamos estar no lugar delas, é só uma questão de onde nascemos.

Pode parecer um discurso de missionário. Mas eu não estou propondo ir para uma aldeia e falar para essas pessoas o quanto elas estão erradas sobre o mundo, sobre a vida, sobre a forma como as coisas acontecem. Eu sequer me formei ainda, e me ponho no meu lugar como leiga. Não estou propondo nenhuma ação desse tipo. Como disse no começo do meu comentário, eu só quero que mais ateus, céticos e humanistas pensem sobre o assunto e derrubem seus próprios tabus.
carol disse…
"Nós temos o dever humanista de tentar suprimir esse tipo de manifestação."

Posso ter me expressado mal, a intenção era dizer que temos o dever de suprimir o poder que essas manifestações têm, devemos nos posicionar claramente contra tudo o que fere a humanidade. Podemos ser poucos, mas temos ética e bons argumentos, ao contrário dessas instituições cujo poder vem da ignorância e fé cega dos seus. Não podemos, então, cair para o "outro lado", sendo covardes e deixando de gritar que o rei está nu.
Anônimo disse…
eu pergunto o msm:
quando vamos acordar e ver que tudo o q voce pensa e acha que sabe é manipulado pelo governo? [2]

Vamos nos converter que esse mundo, o ar que vc respira, tudo e todos é obra de Deus, um dia vc pode clamar a Deus pela ajuda dele, se humilhe agora pra Deus. E veja que esse mundo é uma passagem. Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Isaías 55.6
luk1945 disse…
Por isso mesmo, Não se prova que uma coisa não existe, apenas que ela existe. A afirmação que deus existe é feita a século e nunca foi provado. E como vc mesmo disse "o ônus da prova é de quem afirma". Para provar que uma coisa não existe eu teria que descrever tudo que há no universo e ver se dentro dele ou fora há ou não. Mais quem afirma que deus existe nunca mostrou nenhuma evidência que o mesmo exista.
luk1945 disse…
Uma coisa é liberdade de crença, outra coisa é fazer uso da ingenuidade das pessoas e das crenças para obter ganhor. Isso que essa Ígrejas cometem, é crime. E outra ígreja deveria pagar imposto e muito só assim seriam mais utéis.
luk1945 disse…
É verdade, Gustavo a verdade esta no que as pessoas querem aceitar. Nada mudou hoje temos menos violência do que a meio século atraz quando se diz respeito a guerras ou a doenças. Terremotos, furacões ou seja desastres naturais sempre ocorreram e sempre vão acontecer mais se uma pessoa quer ver nisso um sinal não há lógica ou razão que faça uma mente irracional compreender uma verdade racional.
Estudante Bíblico Constitucional disse…
No Código Penal está escrito que é crime atrapalhar cultos religiosos e na Constituição está escrito que ela foi promulgada sob a proteção de Deus.
Anônimo disse…
O que é existir?
Anônimo disse…
A exploração dos pastores, pedofilia na igreja católica, acreditar no que?
O que eu vejo é todo mundo que tem uma oportunidade, sai correndo atrás do dinheiro, esse é o maior vilão do planeta, por ele milhares de pessoas cometem essas atrocidades que vemos aí, políticos, pastores, papa e seus asseclas tudo farinha do mesmo saco e eu não gosto de farinha. Não acredito em nenhuma religião, e sim na boa vontade em buscar dentro de nós a essência boa (por pouco0 que tenhamos e tentar viver direito sem , desculpem o termo, sacanear ninguém como fazem essa corja tão bem representada nas palavras lidas acima
Eu sinto que sua ironia não me toca, uma vez que jamais me sinto tentado a ser violento com pobres vítimas da ignorância e dos bandidos. Mas um bandido monstruoso como Malafaia ou Macedo nos dá tamanho embrulho no estômago que é difícil não dizer que queria dar-lhes uns bons sopapos. Não é intolerância com aq crença e sim com a exploração. O que certamente eles (os líderes)não podem ser é crentes pois se existisse um deus é provável que ele não gostasse muito de quem usa o nome dele para ficar rico.
Anônimo disse…
Gente idiota tem mais é que ser roubada mesmo pra aprender.
Anônimo disse…
Meus irmãos, Jesus é muito maior do que isso. Eu sou cristão evangélico. Sou pós graduado e não sou burro, como em alguns comentários escritos. Dou dízimo, oferta e ajudo quando posso em obras da igreja. é por isso que os evangélicos serão a maioria no Brasil em menos de 10 anos, pois somos unidos em Cristo. Quem tem Jesus tem tudo, quem nao tem, não tem nada. Entregue sua vida para Jesus agora mesmo. Abraço a todos. Deus ama a todos, mesmo os descrentes. Ahhh.. Meu pastor é mestre e doutorando, e tambem não é burro.
Fernando disse…
Doutorado em burrice seu deus nada mais é a um deus sol plagiado ridículo e vc não ta vendo q esses malucos vão transforma o brasil no Ira Cristão..
vilsonorsi disse…
Com tanta coisa para vcês criticarem, pornografia, pedofilia, drogadição, álccool na TV, cigarro na TV, artistas rock e outros incentivando vícios, sexo facil, falta de carater, sem falar na criminalidade pobre e rica colarinho branco ou sem camisa. Delegado protogenes e Juiz processados por prenderem banqueiro e tanta porcaria que nosso sofrido país esta tentando passar a limpo. Vocês vem atacar a IGREJA, que pode la ter seus defeitos, mas tiram jovens da drogas, da prostituição, do crime, recuperam familias, lutam por elas. Conseguem grandes e melhores resultados que o governo no Social sem gastar tanto dinheiro Público
Anônimo disse…
Óbviamente q a igreja quer q o jovem saia das drogas,mas ele ao inves de perder dinheiro para traficantes compra uma idéia q se equipara a uma droga.
Jaciarah disse…
Apoiado!
Anônimo disse…
Daqui a 10 anos esses evangélicos idiotas vão explodir bombas presas a seus corpos em boates, bares, e demais locais que eles acham ser do diabo, e vão fazer em nome de Deus. TEMOS QUE ACABAR COM ESSA MERDA DE IGREJA EVANGÉLICA AGORA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
AINDA DA TEMPO....TEMOS QUE NOS UNIR CONTRA ESSA PRAGA QUE EM BREVE VAI DESTRUIR NOSSO PAÍS!!!!!!!
A ideia por trás da igreja é linda. A prática é tão suja quanto o tráfico de drogas ou de armas. Não me venha com sermão dizendo que a igreja ajuda o pobre, que ajuda o drogado, que doa comida pra quem precisa ou qualquer coisa do gênero... Elas fazem isso por que PRECISAM fazê-lo se quiserem continuar livres de impostos do governo. Mas o que elas arrecadam com o dízimo dos fiéis cobre abundantemente o valor gasto com essas doações.
E outra... Nós não precisaríamos de igreja nenhuma fazendo trabalho de caridade se, no lugar do dízimo, o fiel doasse os seus 10% de salário para instituições carentes.

Vamos pensar assim: Um fiel doa 10% do seu salário pra igreja. Supondo que esses 10% somem o valor de R$ 62,20 (10% de 622,00). Quanto você acha que a igreja vai repassar desse valor em doação? Quanto você acha que será retido?

Agora digamos que essa mesma pessoa fizesse a sua doação de 62,20 reais para um orfanato... Quanto desse dinheiro seria utilizado pelo orfanato?

A igreja só serve pra tirar dinheiro e encher a cabeça do povo de imbecilidades sem sentido e bitolantes. A igreja não ensina ninguém a pensar, não ensina ninguém a ter senso crítico. Você senta no banco e balança a cabeça pra tudo o que o pastor fala, concordando com qualquer merda que saia da boca dele. Ouve com aceitação ele dizer que Deus é justo e bom, mas que precisa do seu dinheiro pra gerar milagres. Aceita a bíblia como verdade absoluta, mas ignora completamente suas contradições.
Como as passagens que menosprezam e diminuem a mulher, que fazem apologia à escravidão, ao estupro, ao apedrejamento de filhos, ao infanticídio. Deus, de acordo com a própria bíblia, matou mais gente do que o Diabo.

Sinceramente, não tenho nada contra a crença de ninguém. Quer acreditar numa mentira e se sentir mais confortável com ela, beleza. Mas, por favor, não venha me dizer que eu não posso criticar as merdas e absurdos que eu vejo por ai, só porque, supostamente, existem outras coisas piores para se criticar.
Religião é um câncer pra sociedade, é uma maneira de manter o pobre ignorante sob controle e ter a certeza de que ele permanecerá para sempre ignorante. Religião é um freio para o discernimento e para a evolução da mente humana.
Anônimo disse…
Não tem subjetividade nenhuma. Os faraós eram esses espertalhões da fé. O faraó era o Deus mais importante encarnado
Anônimo disse…
"Santo" remédio contra a imbecilidade evangélica (e de outras religiões)? ENSINO! Instrução, conhecimento. O problema é que neste país a corja evangélica é grande no Congresso e quer impor até coisas obscenas como criacionismo nas escolas. Assim fica difícil, mas a internet está aí. Um direcionamento do acesso dos jovens a ela pode resultar em adultos menos aptos a serem enganados pelos vigaristas de púlpito.
Anônimo disse…
É a mesma coisa que o Conselheiro fez.
É só mais um malandro enganando trouxas.
Anderson Santos disse…
Muito bom o texto, um trabalho de primeira categoria.
Guilherme disse…
Ato falho...
André Gusmão disse…
Na verdade tudo isso é de interesse do próprio Governo.
Quanto mais bitolada a pessoa, mais manipulável ela é.
E o que mais bitola uma pessoa senão a religião?
Um ajuda o outro, o Governo mantém o crescimento das igrejas que, por sua vez, mantém o povo ignorante.