Pular para o conteúdo principal

Por 1 dólar máquina substitui padre em casamento

Máquina fornece até alianças
Por encomenda de um museu de Detroit (EUA) sobre mecânica, a Concept Shed construiu uma máquina de casamento que substitui o padre.

Com uma moeda de US$ 1, a máquina, além de celebrar a cerimônia, toca música e fornece as alianças e a certidão de casamento. Tudo rapidinho. A empresa informa que aceita outras encomendas.

No Japão já existe um robô que celebra casamento. Um vídeo (ver abaixo) mostra o primeiro casamento presidido em 2010 pelo simpática máquina, que até diz coisa engraçada.

O noivo é Tomohiro Shibata, 42, professor de robótica e tecnologia. A noiva é Satoko Inoue, 36, funcionária de um fabricante de robôs.


Casamento por 1 dólar




Robô japonês celebra casamento

Comentários

AlyneS2 disse…
Uma forma prática de se casar.
^^
Fernando disse…
É piada, quando nos pensamos que vimos de tudo eis que surge... quem sabe o Japão lance um robô com a aparência de Maria.
Anônimo disse…
Quem sabe o Japão lance um robô com a aparência de um pastor...pedindo dinheiro, dízimo , ofertas.
Nada mais digno, afinal, todas estas máquinas não chamam-se caça-níqueis?
O Japão JÁ FEZ robô casamenteiro antes...

http://www.youtube.com/watch?v=uguH2dN2uvE

http://www.telegraph.co.uk/technology/news/7730865/Robot-conducts-Japanese-wedding.html
Fernando disse…
Na mão de pecadores tudo é possível.
Anônimo disse…
O melhor testemunho que um ateu pode ter para seu casamento,e ainda sai mais barato...
Fernando disse…
Valeu José, não sabia.
Anônimo disse…
Isso se passa nos Estados Unidos, um país onde 50% da população se declara protestante.Por que a matéria em vez de falar em padre, não fala pastor?

Renato
Anônimo disse…
Pelo o menos a maquina não abusa de crianças e nem rouba dinheiro dos fieis....kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Posts + acessados hoje

Desmascarador de curandeiros e paranormais, James Randi morre aos 92 anos

Pastor de Manaus é acusado de ejacular ‘esperma de Deus’ em obreiras

Fortalecida pelo bolsonarismo, associação de juristas evangélicos ameaça o Estado laico