Hitchens se submete a tratamento experimental para tentar se salvar de câncer

O ateu Christopher Hitchens  – que se notabilizou pelo livro ‘Deus Não é Grande’ e por contundentes críticas à Igreja Católica – está se submetendo a um tratamento científico-experimental recomendado pelo geneticista e militante religioso Francis Collins.

“Sou um experimento”, disse Hitchens, 61, ao deixar claro que o tratamento exclui qualquer possibilidade que poderia ser descrita como cura milagrosa.

No ano passado, após saber que estava com câncer no esôfago, Hitchens deu uma entrevista no qual fez a indagação: “Por que não eu?”


Hitchens e Collins se encontraram como adversários em debate sobre a existência de Deus e se tornaram amigos.

O cientista foi diretor do National Human Genome Research Project e atualmente é responsável pelo America's National Institutes of Health.

Ele decifrou toda a composição genética de Hitchens, que é uma das poucas pessoas que têm esse tipo de mapeamento. O objetivo do tratamento é atacar diretamente o DNA danificado.

O tratamento está no começo, e Hitchens tem esperança de que dê certo. “Se isso ocorrer, não será uma boa notícia apenas para mim, mas para as pessoas em geral.”

Ainda assim, pelo histórico de pacientes que tiveram o mesmo tipo de câncer, ele afirmou que é provável que daqui a um ano esteja morto.

Disse que Collins provavelmente esteja rezando por ele, com o que não se importa. Sobre isso, eles nunca conversaram.

Hitchens garantiu que o seu ateísmo continua inabalável. E advertiu que, se um dia disser que se converteu, será por causa dos efeitos colaterais dos remédios ou porque adquiriu demência.

Com informação e foto do The Telegraph.




Stephen Hawking afirma em seu último livro que ‘ninguém dirige o universo’

Universo é mais simples do que se imagina, diz última teoria de Hawking

Hawking chegou a dizer à Nasa que tipo de buraco negro serve como máquina do tempo

Homenagem a Stephen Hawking (1942-2018)