Pular para o conteúdo principal

Entidade evangélica terá de devolver R$ 100 mil de desvio

Dinheiro no bolso
em nome de Jesus
Por unanimidade, o TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Paraná determinou que a AEADEPAR (Associação Educacional das Igrejas Evangélicas Assembleia de Deus do Paraná) devolva R$ 100 mil aos cofres públicos. Cabe recurso.

A entidade recebeu em 2006 o dinheiro do governo estadual para melhorar o atendimento clínico-psicológico gratuito à comunidade por intermédio do aperfeiçoamento de seus profissionais. Mas a maior parte dos recursos foi aplicada na reforma de um imóvel em Curitiba onde estava instalado um centro particular de atendimento clínico-psicológico.

De acordo com o TCE, a associação tinha informado que investiu o dinheiro na reforma e compra de imóveis e equipamentos para a Facel (Faculdade de Administração, Ciências, Educação e Letras), escola da qual é mantenedora. A AEADEPAR terá também de pagar multa por ter enganado o governo.

A associação informou não ter sido notificada pelo TCE e que, caso confirmada a decisão, vai recorrer porque "cumpriu todos os requisitos legais" no uso do dinheiro. Ressaltou estar pautada por "princípios cristãos".

O TCE pediu ao Tribunal Regional Eleitoral que os nomes de José Polini e José Alves da Silva – responsáveis pela associação na época – sejam incluídos na lista de gestores de contas fraudadas. Assim, eles não poderão concorrer a nenhum cargo eletivo.

Comentários

Anônimo disse…
E os governantes ainda doam dinheiro para essa máfia chamada assembleia de deus.
Anônimo disse…
Essa gente forma uma quadrilha.
Anônimo disse…
"Pelo seus frutos os conhecereis" (Mateus 7:16)

Posts + acessados hoje

Desmascarador de curandeiros e paranormais, James Randi morre aos 92 anos

Fortalecida pelo bolsonarismo, associação de juristas evangélicos ameaça o Estado laico

Natalia Pasternak é a primeira brasileira a integrar o comitê cético de Carl Sagan