Vaticano proíbe veneração da Legionários de Cristo a padre devasso

Por determinação do cardeal italiano Velasio De Paolis, interventor do Vaticano na Legionários de Cristo, Alvaro Corcuera, diretor-geral da ordem, proibiu a exibição de fotos do seu fundador, o padre mexicano Marcial Maciel (1920-2008).

Comparado com Maciel, os padres que ultimamente têm sido denunciados por pedofilia são amadores. O padre mexicano foi estuprador de coroinhas e seminaristas e de pelo menos dois de seus filhos, teve várias amantes, deu golpe em viúvas milionárias (e essa é uma das origens da fortuna da ordem) e era viciado em cocaína.

Ele dizia aos seminaristas da ordem que tinha permissão do papa para sodomizá-los porque era a única forma de atenuar suas dores no abdômen.

A ordem está sob intervenção desde julho, mas lá permanecia a veneração ao devasso. No México, na casa onde nasceu, por exemplo, havia fotos de Maciel as quais eram reverenciadas como se fossem de um santo.

Maciel continuava sendo chamado de “nosso padre”. Comunicado assinado por Corcuera publicado no site da ordem proíbe tal tratamento e estabelece que ele seja chamado apenas de “padre Maciel”. Tampouco ele pode ser referenciado como o “fundador da ordem”.

A partir de agora, também não poderá ser comemoradas datas como nascimento de Maciel, batismo e ordenação. “O aniversário de sua morte, 30 de janeiro, será um dia dedicado especialmente à oração”, diz o comunicado.

A ordem não poderá vender “escritos pessoais do fundador e suas conferências”. A cripta onde estão os restos mortais do padre, no México, passa a ser considerada como “toda sepultura de cristão: lugar de oração pelo eterno descanso dos mortos”. A cripta também servia para a veneração ao devasso.

Legionários da cúpula da ordem, incluindo Corcuera, tem dificultado o trabalho do interventor De Paolis. Corcuera foi nomeado diretor-geral por Maciel, de quem teria sido amante depois de ter sofrido abuso do fundador.

Luiz Garza Medina, o vigário-geral, vinha se recusando a entregar o controle da financeira da ordem, a Integer, ao interventor. E ali que está a contabilidade da ordem, chamada de "Bilionários de Cristo" por causa  da sua fortuna.

Recentemente, o Vaticano criou uma comissão presidida por De Paolis para modificar as normas de conduta dos sacerdotes da ordem. Corcuera e Medina não fazem parte dessa comissão.

Ambos se recusam a pedir demissão, o que seria uma atitude de dignidade e de colaboração para com o interventor, e nem o Vaticano parece disposto a afastá-los de vez, talvez porque sabe da influência que ainda têm sobre os sacerdotes e na hierarquia da Legionários.

Com informação das agências e do arquivo deste blog.

> Pedófilo, ladrão e drogado. Esse foi o criador da Legionários de Cristo.
do jornal mexicano do La Vanguardia, em agosto de 2010

Comentários

  1. Anônimo10/13/2011

    Que moral a ICAR tem para impedir que fiéis venerem uma figura ilustre no ramo da pedofilia? Afinal se merecem o padre e a própria Igreja. Hipocrisia é só o começo.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo2/01/2012

    Eles têm que ser suspensos do sacerdócio e removidos de suas funções. Uma vez que a Santa Sé tenha investigado todas as denúncias e contabilidade, deveria dissolver os LC-RC.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Gloria Perez defende a novela 'Salve Jorge' de críticas de religiosos