Freira canonizada tinha sido denunciante de padre pedófilo

Freira denunciou
um padre pedófilo
Em 1871 a freira Maria Helena Mackillop (1842-1909), na foto, foi excomungada pelo bispo Laurence Sheil, de Adelaide (Austrália), por denunciar com firmeza um padre pedófilo.

O episódio mostra que a pedofilia dentro da Igreja Católica vem de longa data e o acobertamento dos abusos pela hierarquia também.

Neste domingo (17), a freira será canonizada pelo papa Bento 16 – será a primeira santa da Austrália.

Cinco meses depois da excomunhão, Sheil, em seu leito de morte, teve de recuar de sua decisão frente à vida exemplar de Maria. Ela foi a fundadora da ordem das irmãs de São José do Sagrado Coração de Jesus, entre outras obras. O padre pedófilo já tinha sido afastado de suas atividades.

Iniciado em 1925, o processo de canonização relata dois milagres atribuídos à freira após a sua morte. Dois devotos teriam se curado de câncer após orar pela freira.

Ao canonizar a freira, o próprio papa parece esperar que ocorra um milagre, o de que a Igreja Católica recupere um pouco do prestígio que perdeu nos últimos anos diante de uma abundância de denúncias contra padres pedófilos, inclusive na Austrália.

O fato é que, 101 anos após a sua morte, a freira permanece com um exemplo: ela se recusou à lei do silêncio que possibilitou que muitos sacerdotes tarados permanecessem impunes nesses anos todos.

Com informação das agências e pesquisa feita pelo blog sobre freira Maria Mackillop.

Revista masculina faz ensaio com santa australiana e papa anão
outubro de 2010

Papa pedirá desculpas pelos padres pedófilos da Austrália
julho de 2008

 Casos de padre pedófilos.

Comentários

uma vitima de ex-seminarista disse…
Talvez o Santo Papa espere que ocorra o "milagre de que a Igreja Católica recupere um pouco do prestígio que perdeu nos últimos anos diante de uma abundância de denúncias contra padres pedófilos". Mas o Sr. Ratzinger (penso eu) deve estar encarando a canonizacao da freirinha como um evento a confundir as opinioes menos conformadas e a amenizar a incredulidade dos devotos mais decepcionados.
eu (vitima) de novo disse…
E.T.: sera que a ICAR nao tomara pprovidencias para, nao digo nem punir os criminosos, mas para acabar de vez com essas barbaridades?!
Anônimo disse…
Deve ser louvada essa iniciativa, pois a coragem dessa mulher e a sua bravura fizeram com que o próprio purpurado que perseguiu-a fosse desacreditado. Uma mulher sem dúvida intimorata, além de verdadeira amante da humanidade. Procurai mulheres ou homens desse quilate em palácios suntuosos, em mansões luxuosas e vivendo vidas nababescas, como os parasitas ociosos do dinheiro e os sibaritas das igrejas...Como os barões do estelionato internacional e senhores do dinheiro , da terra e da guerra. É certo que não os achareis.
Sugiro uma correção ao texto.

Excomungação -> Excomunhão.
Sugestão aceita, embora a palavra "excomungação" também exista, só que não é muito usada.

Eu até acho o som de "excomungação" mais condizente com o seu significado, é mais forte, mas esse é um entendimento muito particular, subjetivo.
Anônimo disse…
Duas citações retiradas do texto:
"[...] e o acobertamento dos abusos pela hierarquia também."

"O padre pedófilo já tinha sido afastado de suas atividades."


A hierarquia esconde ou afasta o "sacerdote" que cometeu um crime?

O sujeito não precisa de dois parágrafos para cair em contradição.
Marcelo Paz disse…
Assim como teu conhecimento se contradiz com a realidade da igreja, e para não fazer papel de total ignorante, fica de anônimo falando besteira =)
emanoel26 disse…
Essa Noticia é mentirosa... Não existe a posibilidade de excomunhão por levantar calunia. Veja o que o Codigo de direito canonico prever para que exista excomunhão.

Profanação das espécies sagradas;
Violência física contra o Pontífice;
Absolvição por um sacerdote do cúmplice do pecado da carne;
Consagração ilícita de um bispo sem mandato pontifical;
Violação direta do segredo da Confissão;
Apostasia;
Heresia;
Cisma;
Aborto;