Dr. Roger tentou renovar visto americano antes de ser preso

Dias antes de ser preso preventivamente sob a acusação de ter estuprado 56 pacientes, o especialista em reprodução humana assistida Roger Abdelmassih, 65, tentou renovar o seu visto americano. Além de não lhe conceder a renovação, o Consulado dos Estados Unidos em São Paulo carimbou um ‘cancelado’ no passaporte dele. A informação é de Sonia Racy, colunista do Estadão.

Uma das alegações dos advogados do médico para tirá-lo da prisão tem sido de que ele, além de ter endereço fixo, não deixará o Brasil. Mas ex-pacientes temem que ele fuja do país. 

No dia 25 de agosto, o criminalista José Luís de Oliveira Lima (na charge), um dos advogados do médico, protestou contra a transferência de Abdelmassih da cadeia de uma delegacia de São Paulo para a Penitenciária de Tremembé, a 138 km da capital.

“Ele [Abdelmassih] precisa de cuidados médicos”, disse, alegando que o médico, por ter sido submetido a cirurgias no coração, teria de ficar em São Paulo, perto dos seus cardiologistas. “A partir de agora, o Estado é o responsável pela saúde e segurança do meu cliente.”

Apesar da suposta fragilidade da saúde de Abdelmassih, naquela época o médico tinha acabado de voltar da Europa, onde esteve de férias com sua namorada, a procuradora Larissa Maria Sacco, do Ministério Público Federal, a uma distância maior do que a de São Paulo a Tremembé.

> Médico acusado de estupro se casa com a procuradora Larissa.
janeiro de 2010

> Caso Roger Abdelmassih.